Arquivo | junho, 2007

Pane Toscano com manteiga feita em casa

29 jun

Pane Toscano com manteiga feita em casa

Esta receita estava aguardando super impaciente na fila para ser testada, já havia ameaçado furar fila várias vezes e ontem ela deu um show na minha cozinha e na mesa de jantar!  E o show continua pois o sabor é incrível!  Sei que muitos irão pensar que é um desperdício de tempo esperar tanto para comer um pão, que isso ou aquilo, mas eu digo que vale a pena pois a textura e sabor são deliciosos!  Outra receita Top 10 da Lien que eu correndo pedi para ela traduzir para o inglês (o blog é holandês) quando vi a foto do pão… a foto me deixou de queixo caído e fiquei sonhando com o gostinho do pão até ontem.  Infelizmente ela não fala português e fica triste de não conseguir entender patavinas do que escrevo…mas já disse várias vezes que as receitas dela são mágicas e não me canso de viajar nas páginas daquele livro virtual.  

Traduzi para o português (sorry my fellow English teachers if something is wrong…but..) e os comentários estão em itálico.

A manteiga que está fazendo companhia para o pão na foto foi feita na batedeira com um creme de leite fresco que estava vencendo e eu não havia usado todo…tenho pânico de jogar comida fora e não me conformava em não usá-lo…então me lembrei da minha avó que fazia manteiga na batedeira quando sobrava nata em casa. Não deu outra, deu um pote cheio e o sabor é uma maravilha.  Tive que me segurar para não comer metade do pão!  É só bater o creme de leite integral (fresco) com um pouco de sal na velocidade alta até que endureça bem e fique com consistência de manteiga.  Prove o sal e pronto!  A cor fica mais clara pois não contém corantes como as industriais.

Pane Toscano
(1 pão grande ou dois médios)
1 colher (chá) de fermento biológico seco
55 ml água morna
± 550 g farinha branca
± 200 ml água
± 70 g Biga*
azeite para untar a assadeira

Dissolva o fermento na água morna (não deve estar quente!) e deixe descansar por 5 minutos.   Acrescente os ingredientes e sove até que esteja uma massa homogênea e macia.  Faça uma bola e deixe crescer numa tigela untada.  Cubra com plástico filme PVC e deixe crescer até dobrar o volume (aproximadamente uma hora).  Eu misturei o fermento já preparado (depois dos 5 minutos que deve ficar descansando) aos outros ingredientes já na vasilha da máquina de pão e deixei por 20 minutos na função Massa.  A única coisa é que até que a massa fique uma bola uniforme, o ponto é esse, temos que ficar perto para ver se há necessidade de mais trigo ou água.  No meu caso tive que colocar mais um tantinho de água.  Deixei crescer ali mesmo com a máquina desligada.  Unte uma forma de aproximadamente 20 x 20 cm com azeite. Coloque a massa e pressione para os cantos. Cubra com plástico filme e deixe crescer pela segunda vez, aproximadamente uma hora.

                   Pane Toscano crescendo                         

Para variar eu fiz diferente…coloquei numa grande forma de pão (tipo bolo inglês mas que uso para pão) e pressionei a massa para os cantos, ela fica baixinha mesmo, não tenha medo.  Deixei crescer por uma hora.

Pré-aqueça o forno a 246ºC e coloque uma pedra de assar pão/pizza pelo menos 40 minutos antes de assar o pão.  Coloque uma tigela no fundo do forno onde será colocada água para fazer vapor enquanto o pão é assado. Eu não tenho essa pedra, então deixei o pão onde cresceu. Enfarinhe uma superfície de trabalho e cuidadosamente coloque a massa crescida.  Não aperte para baixo.  Divida em dois pedaços iguais no sentido do comprimento usando uma faca ou um instrumento próprio chamado dough scraper.Forre uma forma com papel manteiga e polvilhe fubá. Cuidadosamente coloque os dois pães e com as mãos enfarinhadas dê uma forma mais ovalada. Leve os pães ao forno para assarem sobre a pedra já aquecida, coloque água fervente na tigela que está no forno e rapidamente, mas sem bater, feche a porta do forno.

Eu levei a forma que já estava com o pão e coloquei a tigela com água fervente, isso faz com que a casca do pão fique crocante. Dê uma olhada nas dicas aqui e aquiAsse por aproximadamente 30 minutos ou até que esteja dourado.  O ponto é o som oco que sai quando se bate embaixo do pão com o nó dos dedos.  Retire do forno e deixe esfriar numa grade. 

*Biga
1/4 colher (chá) de fermento biológico seco
2 colheres (sopa) + 1 colher (chá) de água morna
165 g farinha branca                                                                                                                                                                              100 ml água

Dissolva o fermento na água morna e deixe repousar por 10 minutos.  Acrescente o resto da água e trigo e misture bem. Cubra com plástico PVC e leve à geladeira por pelo menos 24 horas antes de empregar.  Pode ser guardado no refrigerador por até duas semanas – a única observação é que o gosto fica mais forte.Retire a biga da geladeira com pelo menos uma hora de antecedência da feitura do pão para que fique em temperatura ambiente.

Dica da Lien: o Pão Toscano é um pão sem sal.  Deve ser consumido com carnes temperadas (salami, pancetta, etc) e queijos fortes.  Eu acabei colocando uma colher de (chá) de sal…prefiro mais salgado..!

Comidinha do dia-a-dia

26 jun

Frango Ensopado com Legumes

Ontem me deu uma vontade enorme de comer Frango Ensopadinho com Legumes, minha memória gastronômica levou-me de volta à infância, época em que pelo menos uma vez em cada dez dias havia este prato para o almoço e era um sucesso, preparado pela pessoa que trabalhava em casa naquele período, todos aprovavam e pediam bis, inclusive nós crianças.  Uma comida bem segunda-feira como dizem alguns, simples e honesta, saborosa e repleta de vitaminas e energia. Enfim, uma comida que esquentava a alma e sempre me faz feliz quando como.  

Quer saber como fiz?  Lavei algumas coxas de frango orgânico e refoguei numa panela de ferro com azeite, até dourar bem.  Coloquei então tempero pronto da Nonna e deixei pegar o gosto no frango para depois acrescentar água.  Não coloquei muito, o suficiente para cozinhar lentamente o frango.  Experimentei o sal e deixei no fogo até que estivesse cozido.  Juntei mandioquinha (batata baroa), inhame e abobrinha em cubinhos e deixei cozinhar. Aí é que está o xis da questão, os legumes vão ser envoltos no delicioso sabor do frango e também deixam sua marca no caldinho que fica…nossa já estou salivando de novo…Na hora de servir salpique salsinha picada.  Acompanhou um arroz feito no alho e cogumelos frescos salteados.  

Tudo de bom, não??? Essa receita vai para a Akemi do Pecado da Gula que propôs posts sobre Comidinha do dia-a-dia. Um beijo!

Salada de Couve-flor com nozes e salsinha – Insalata di cavolfiore con noci e prezzemolo

25 jun

rei couve-flor

Salada de Couve-flor

Quando vi que o Rei da Quinzena do Colher de Tacho na verdade é uma rainha, a Couve-flor, lembrei-me dos pratos que costumo preparar com ela: gratinados, refogados, saladas cozidas e uma vez ou outra couve-flor empanada.  Nada de diferente no reino da Dinamarca…mas de repente ao ler a receita que a Cris do From our Home to Yours postou, com couve-flor crua me deu um estalo e lembrei-me de uma receita guardadinha para ser testada e que ainda não tinha tido a possibilidade de fazer, essa salada refrescante e muito saborosa que vi neste site. Como a Cris disse não é muito comum comermos essa florzinha crua, mas várias vezes nos Estados Unidos vi saladas cruas de couve-flor, só que eles costumam usar litros de molho e imagino que isso mascara o sabor original da hortaliça. 

Dito isso, comprei uma couve-flor pequena para experimentar a salada.  E não é que ficou uma delícia??? Me surpreendeu mesmo, fiz como manda a receita e por minha conta deixei uns 10 a 15 minutos na geladeira para que o molho penetrasse mais na couve-flor.  Muito boa e com um leve sabor de verão, é uma salada para quem gosta de uma travinha na língua, o limão do molho deixa as papilas alertas e com vontade de repeteco! A receita original está aqui e a traduzida segue abaixo: 

Salada de Couve-flor com nozes e salsinha
Ingredientes: uma couve-flor pequena;  nozes picadas (acho que Pecans são mais suaves e da próxima vez serão as usadas); salsinha picadinha; suco de limão; sal (preferivelmente de ervas) e azeite extra-virgem.

Lave a couve-flor com cuidado e divida em quatro.  Fatie finamente em uma mandolina.  Como não possuo uma usei uma faca bem afiada – é meio difícil pois a couve-flor é muito delicada, mas deu certo.  Use somente os buquês, reserve o caule para uma sopa ou outra receita.  Disponha as fatias numa tigela e agregue o molho feito com sal, salsinha, limão e azeite (misture muito bem antes de juntar à couve-flor).  Salpique generosamente nozes picadas e sirva. 

Torta de Morangos e Iogurte

24 jun

Strawberry Yogurt Pie

Ontem fui arrebatada pelo delicioso aroma de morangos no supermercado e não resisti, trouxe nada menos do que três caixinhas para casa.  Eles estão super fresquinhos e de um vermelho apaixonante.  Muito bem, sentei no computador e comecei a procurar receitas diferentes para usá-los…nossa, como existem coisas maravilhosas e diferentes para fazer com morangos! De repente dei de cara com essa receita e ela me pareceu bem interessante pois não era muito calórica nem trabalhosa, então fui para a cozinha e não me arrependi. Ficou bem gostoso e tenho certeza de que repetirei a dose outras vezes. A torta é feita com iogurte, o que já gostei logo de início, menos dor na consciência por não usar cream cheese ou creme de leite e pode ser feita com morangos ou qualquer outra berry.

Receita Finlandesa chamada de “Mustikkaiiras” na língua original, não é muito doce, o que também me agradou, e pode ser servida em temperatura ambiente ou gelada.  Como sobremesa ou acompanhando um café…ai que delícia!

A receita original está aqui e a traduzida segue com algumas observações.

Torta de Morangos e Iogurte (Strawberry Yogurt Pie) 

Massa: 1/3 xíc. manteiga (6 colheres de sopa – achei um exagero, na verdade acho que a relação não é essa, usei bem menos do que 6 colheres de sopa e em temperatura ambiente),1/4 xíc. açúcar, 1 ovo, 1 xíc. farinha de trigo, 1/2 colher (chá) de fermento em pó.
Recheio: 2 ovos, 3 colher (chá) açúcar (usei 3 colheres de sopa), 1 xíc. iogurte natural,1 colher (chá) essência de baunilha,1 colher (sopa) de suco de limão (opcional – eu usei e achei que deu um toque bem gostoso), 1 colher (sopa) de amido de milho, 2 xíc. de morangos, frescos ou congelados (usei morangos frescos picados).
 

Unte com manteiga e enfarinhe uma forma de aro removível de aproximadamente 23 a 25 cm de diâmetro (a minha é maior então fiz num pirex). Pré-aqueça o forno a 177ºC.  Usando uma batedeira ou na mão mesmo misture bem a manteiga e o açúcar.  Misture a farinha de trigo e o fermento e junte aos ingredientes líquidos até que forme uma massa homogênea e macia.  Com os dedos enfarinhados forre a forma com a massa, inclusive as laterais (achei meio difícil pois o trigo da forma atrapalhou, talvez da próxima vez eu só unte a forma com manteiga).   Leve a forma com a massa a geladeira enquanto prepara o recheio.Misture todos os ingredientes do recheio, exceto os morangos, até que estejam bem misturados. Coloque os morangos na forma e gentilmente despeje o recheio sobre eles até que estejam cobertos.  Asse por 50 a 60 minutos ou até que a massa esteja dourada e o recheio esteja firme.  Dica: não deixe o recheio ficar muito firme, depois que esfria ele endurece mais e pode ficar muito seco e rachar.  Deixe esfriar numa grade, desenforme e sirva.  Caso queira pode ser coberta com açúcar de confeiteiro.

Nota: uma forma com furos no fundo ajuda a massa a assar uniformemente pois deixa o calor penetrar e previne assim que fique encruada.  Como eu não tenho uma forma assim fiz uns furinhos com um garfo antes de colocar o recheio.

Ê trem bom!!!!

22 jun

Doce de Leite Aviação

Entre uma correria e outra, uma receita que dá certo e outra que não (na verdade foram 2 seguidas – tudo para o lixo e muita vontade de jogar as panelas e formas pela janela!!! Minha bisavó era assim…será que puxei a ela????) a pessoa tem que dar uma relaxada…e nessas horas nada melhor do que uma comfort food.  No meu caso em particular me deu vontade de comer algo doce, ultimamente não tenho sentido vontade alguma de doces, muito menos chocolate…será que esotu doente????

Tive uma indisposição uns dias e desde então tenho estado mais light por que o corpo assim anda pedindo.  Mas hoje me deu vontade de comer algo doce, só um pouquinho, e lembrei dele na geladeira…esse Doce de Leite Aviação é uma loucura…perdição mesmo.  Eu adoro Doce de Leite, principalmente aqueles quadradinhos durinhos por dentro e moles por fora, sabe????***  Mas esse é de comer rezando, ainda juntei um pouco de requeijão que não tinha queijo minas ou prato e foi suficiente para matar a vontade!Leite, açúcar e outras cositas mais dão essa maravilha!  

Essa marca é uma das minhas preferidas para manteiga e doce de leite.  Não experimentei todos os produtos deles, mas no site tem algumas dicas legais e receitas que parecem boas. Além de que adorei a diagramação e desenhos.Só podia ser de Minas…BTW, não sou mineira, mas já morei em Juiz de Fora e gostei muito das dilícias de lá…Para matar as saudades!

***Acho que foi o sono, na verdade quis dizer o contrário, doces durinhos por fora e moles por dentro! Obrigada, Agdá!

Frango com cebola e moyashi

19 jun

Frango com cebola e moyashi

Sábado é dia de feira e lá fomos nós passear (para mim é sempre um passeio!), levamos as crianças, minha irmã e eu (sobrinha e filhote), e partimos para a aventura gastronômica.  Já mencionei antes que aprendi a gostar de feira, infelizmente a que tem aqui perto de casa não é muito extensa, são poucas barracas, mas muitas delas têm produtos de excelente qualidade, só falta a barraca orgânica…Sempre compro legumes e vegetais numa barraca de uma senhora japonesa, várias vezes já a vi dar receitas de preparação dos cogumelos, broto de bambu e outros produtos que vende, e sempre muito solicita apesar de não perder muito tempo com um cliente em particular…a atenção deve ser geral…este sábado eu a vi comandando os rapazes que trabalham com ela, são uns 5 ou 6 jovens, e ela dá conta de tudo, sempre com um maço enorme de dinheiro nas mãos.  Figura!!!

Dentre as delícias fresquinhas que comprei veio um pacote de Moyashi, que nada mais é do que broto de feijão. É crocante e dá uma textura interessante no prato, além do seu sabor especial.  Ao comprar verifique se a cor dos brotos está uniforme, deve ser de um verde bem clarinho.  Quando mais velho fica amargo, deve ser consumido rapidinho.  Houve um tempo em que produzíamos em casa, fácil e rápido.  Não era exatamente como está neste site, mas o princípio era o mesmo.

Muito bem, Moyashi em mãos comprei coxa e sobrecoxas desossadas da Korin *(sem hormônios e outras porcarias) e fiz Frango com cebola e moyashi, um prato simples, rápido e muito saboroso.

Temperei o frango com alho e sal e deixei tomar gosto por uma hora, mais ou menos.  Cortei em tirinhas e refoguei no azeite até ficar douradinho. Reservei. Na mesma frigideira dourei cebolas cortadas em rodelas (mais ou menos 1 cebola grande para uma embalagem de frango, daquelas com bandeja descartável, sabe?).  Acrescentei o Moyashi e molho de soja e deixei dar uma fritada por alguns minutos, juntei o frango e servi com arroz e uma salada de tomates com hortelã. Hummmm!

Para maiores informações sobre brotos e alimentação natural para melhorar sua saúde veja aqui e aqui 

* ultimamente tenho estado muito preocupada com o consumo de frango, já que o frango de granja tratado com hormônios que aceleram o crescimento e outros remédios para prevenção de doenças aviárias deixam grande resíduo na carne do animal e consequentemente esses resíduos são absorvidos pelo nosso organismo quando consumimos a ave. Sabe aquela enxaqueca que não te abandona…provavelmente é decorrente das coisas ocultas nos alimentos que você come…

Moedor de especiarias _ para realçar o sabor de seus pratos

18 jun

Moedor de especiarias

As especiarias são ingredientes que procuro ter sempre em casa, aqui ou acolá elas costumam dar o toque final em vários pratos e sem dúvida fazem uma grande diferença no sabor final. Experimente uma banana nanica assada só com açúcar sem canela e depois deixe este pó mágico cair como neve sobre o prato, mil vezes mais saboroso e especial.Nas minhas andanças pela 25 de Março em São Paulo encontrei uma coisa que há muito vinha procurando, um moedor de especiarias.  Na verdade eu acabava usando o moedor de pimenta para moer minhas sementinhas e bagas mágicas, mas o sabor da pimenta sempre estava lá…fica difícil separar.  Quando vi não hesitei em levar, o melhor de tudo é que foi barato e achei bem lindinho, de aço inox e vidro.Especiarias já moídas perdem seu aroma rapidamente, por isso sempre as compro inteiras, duram muito mais e ao serem moídas exalam seus cheiros e tornam-se mais ativas.  Procure sempre as mais frescas e se puder compre seu próprio moedor, almofariz ou então um moedor elétrico de café, como recomenda este siteOutra dica legal do site é dar uma pequena aquecida na especiaria, inteira ou já moída, antes de empregá-la, usando uma frigideira seca, também irá ajudar a realçar o aroma e sabor. 
Você poderá fazer experiências juntando várias especiarias para obter seu próprio mix de temperos e dar aquele tchan na sua receita.

Esse moedor também é show de bola, funciona como o meu mas é mais fashion, mas o meu ainda foi mais baratinho…êba!!!

Sopa de Romã

15 jun

Sopa de Romã

Como toda pessoa curiosa e apreciadora da gastronomia eu não resisto a um aroma ou sabor diferente, cheiros me encantam e várias vezes já me senti compelida a bater numa porta ou entrar num restaurante só pelo perfume que exalava do local.  As especiarias em especial me fascinam e não consigo só pegar, tenho que tocar, muitas vezes até não resisto a colocar um pedacinho de canela ou cravo na boca para sentir o gostinho.  Moramos numa casa que tinha um pé de canela e o cheiro da folha era uma coisa maravilhosa, eu não conseguia passar perto sem amassar um pedacinho para sentir…coitada da plantinha…!

As comidas que levam especiarias também tem um lugar especial na minha lista de preferidas, e logo que li sobre esse livro Sopa de Romã não sosseguei enquanto não comprei.  Demos de presente para minha mãe no último dia das Mães e não poderíamos ter escolhido melhor, ela amou!!!! Disse que não conseguia parar de ler, sabe aqueles livros que a gente lê de uma vez, numa sentada?  Ela me mandou um torpedo no celular dizendo que o perfume do cardamomo que emanava das páginas tinha a enfeitiçado.Bom, só isso já me deu coceira e assim que ela me passou o livro para que eu lesse me atirei na leitura.  A história é muito bonita, permeada de romance e emoção, mas realmente o jeito que a autora poeticamente narra a feitura dos pratos no Café Babilônia me levou à pequenina cidade de Ballinacroagh, na Irlanda, querendo desesperadamente mordiscar umas Orelhas de Elefante e experimentar a deliciosa Sopa de Romã. 

O melhor de tudo é que no início de cada capítulo há uma receita que se relaciona com aquele pedacinho da história e se não fosse uma pequena indisposição minha (que me faz estar de dieta há alguns dias) já tinha feito quase todas as receitas do livro.  Preparem-se, assim que melhorar eu vou começar a provar.  Algumas receitas pedem ingredientes diferentes e não muito fáceis de achar, mas a maioria dá para fazer.  Ainda estou pensando onde vou achar Pasta de Romã por aqui…ai,ai,ai…A tradução do romance é da Nina Horta, que dispensa apresentações, e a editora é a Jaboticaba.

Por que nem só de pão vive o ser humano….

13 jun

Muffins de Pistache e Mel

Reparei que quase só tinha postado receitas de pães ultimamente…sorry, mas eles estão em voga em casa…Outro dia vi essa receita no Chucrute com Salsicha que viu no Kitchen Space e se enamorou.  Pois é, eu também copiei a receita e tive que fazer, sabe aquela coisa que não sossega enquanto a gente não vai para a cozinha e sai de lá o delicioso aroma esperado?  Fiz e aprovei! Os muffins ficam menos fofos do que os que normalmente faço, provavelmente pela farinha integral que vai, então já ganhou vários pontos comigo.  São muito nutritivos e alimentam bem, além de ganharem uma cobertura deliciosa de mel! Tudo de bom!
Eu não tinha pistache então usei nozes, acho que da próxima vez vou testar com pecãs…

Segue a receita que tirei da Fer, com algumas observações:

1 xícara de farinha de trigo comum; 1 xícara de farinha de trigo integral; 1/4 xícara de flaxseed meal (farinha de linhaça) – não tinha; 1 1/4 colher de chá de fermento em pó; 1/8 colher chá de sal; 1 xícara de buttermilk – não tinha, usei leite; 1/2 xícara de açúcar mascavo; 2 colheres de sopa de óleo (usei manteiga); 2 ovos, levemente batidos; 1/4 xícara de uvas passas brancas; 3 colheres de sopa de pistaches picados (usei nozes); mel a gosto

Pré-aqueça o forno em 350°F/180ºC. Misture os ingredientes secos numa vasilha. Em outra vasilha misture bem os outros ingredientes. Faça um buraco no meio da mistura seca e jogue lá a mistura liquida. Mexa bem, jogue os pistaches na massa e coloque em colheradas nas forminhas de muffins, untadas ou forradas com formas de papel. Asse por 15 minutos. Deixe esfriar numa grade. Na hora de servir derrame mel a gosto por cima do muffin.  Meu forno é meio sensível então demorou mais um pouco do que os 15 minutos da receita, antes de levar ao forno eu decorei com meia metade de noz cada muffin (fiz em forminhas de papel).

Todo dia é dia de pão!

11 jun

Pão de milho com sementes de girassol

Não adianta que não me canso de fazer pães, agora então estou mais empolgada do que nunca!  De qualquer forma consigo juntar as duas coisas: testar novas receitas e fazer o pão que temos que comer todo santo dia.  Esta maravilha que há tanto tempo alimenta os povos já era feito por volta de 10.000 aC e a Bíbila conta que os Hebreus foram os responsáveis pela descoberta e divulgação da massa fermentada. Já foi usado para pagar salários, selar matrimônios, amizades e tirar a fome de muitos.  Contém muitas vitaminas, energia e fibras e é relativamente barato.  (fonte: Wikipedia e Holsum)

Esta receita também tirei do blog da Lien, fico babando de vontade de fazer todas as maravilhas que ela posta lá….aos poucos vou experimentando. Já fiz este pão duas vezes, na máquina e na mão (esta última no final de semana na casa da minha avó).  Todos aprovaram e o pão fica uma delícia.Pegue seu fubá e mão na massa, porque o gosto de um pão feito por nós não dá para descrever, só provando!!! 

 Pão de milho com sementes de girassol(Cornloaf with sunflowerseeds) 

1/2 xíc. de fubá fino; 2 3/4 xíc. de trigo branco; 1/4 xíc. de germe de trigo (tostado); 1/3 xíc. de sementes de girassol; 1 cup maiscrispies (um tipo de salgadinho feito de milho, como flocos de arroz) – não usei; 1 colher (sopa) glúten; 1 colher (sopa)  açúcar; 1 colher (sopa) extrato de malte (não usei); 1 colher (chá) de sal; 1 1/2 colher (chá)  fermento biológico seco; 1 1/4 xíc. + 1 1/2 colher (sopa) de água morna; 2 colheres (sopa) de manteiga amolecida (acrescentei por conta própria)
(opcional para decoração: mais sementes de girassol)

Siga as instruções do pacote de fermento deixando-o borbulhar ao ser misturado com o açúcar e a água.  Misture os ingredientes e sove a massa (que é macia) acrescentando gradualmente a água.  Você pode usar sua máquina de pão também.  Foi o que fiz.  Coloquei primeiro os ingredientes líquidos (menos a água) e depois os secos, por último o fermento.  Liguei a máquina e fui acrescentando aos poucos a água.   Na máquina o ponto é quando a massa forma uma bola homogênea e não fica grudada nas laterais. Usei o ciclo massa e quando todo o ciclo se completou tirei a massa da máquina e coloquei em uma forma de pão untada para crescer novamente em um local aquecido.Deixe crescer por uma hora em uma tigela untada coberta com plástico filme.  Abaixe a massa com os punhos para retirar o ar e coloque numa forma de pão untada.  Deixe crescer por mais um tempo até que dobre de tamanho.  Durante o crescimento pré-aqueça o forno a 221ºC com uma pedra de assar pão/pizza. Eu não tenho então só deixei aquecendo o forno.  Molhe a superfície do pão com as mãos umedecidas e decore com mais sementes de girassol – opcional.   Asse por 10 minutos em 221ºC , abaixe para 191ºC e asse  por mais 25 minutos ou até  que  esteja dourado ou que a temperatura do pão seja de 93ºC.  Eu deixo o forno na mesma temperatura, nível 3, perto de 220ºC durante o tempo todo. Eu faço o teste de bater com o nó dos dedos na parte de baixo do pão quando já estiver dourado, se o som for oco está pronto.  Retire do forno e deixe esfriar completamente antes de servir.