Arquivo | 10:01 pm

Sopa de Romã

15 jun

Sopa de Romã

Como toda pessoa curiosa e apreciadora da gastronomia eu não resisto a um aroma ou sabor diferente, cheiros me encantam e várias vezes já me senti compelida a bater numa porta ou entrar num restaurante só pelo perfume que exalava do local.  As especiarias em especial me fascinam e não consigo só pegar, tenho que tocar, muitas vezes até não resisto a colocar um pedacinho de canela ou cravo na boca para sentir o gostinho.  Moramos numa casa que tinha um pé de canela e o cheiro da folha era uma coisa maravilhosa, eu não conseguia passar perto sem amassar um pedacinho para sentir…coitada da plantinha…!

As comidas que levam especiarias também tem um lugar especial na minha lista de preferidas, e logo que li sobre esse livro Sopa de Romã não sosseguei enquanto não comprei.  Demos de presente para minha mãe no último dia das Mães e não poderíamos ter escolhido melhor, ela amou!!!! Disse que não conseguia parar de ler, sabe aqueles livros que a gente lê de uma vez, numa sentada?  Ela me mandou um torpedo no celular dizendo que o perfume do cardamomo que emanava das páginas tinha a enfeitiçado.Bom, só isso já me deu coceira e assim que ela me passou o livro para que eu lesse me atirei na leitura.  A história é muito bonita, permeada de romance e emoção, mas realmente o jeito que a autora poeticamente narra a feitura dos pratos no Café Babilônia me levou à pequenina cidade de Ballinacroagh, na Irlanda, querendo desesperadamente mordiscar umas Orelhas de Elefante e experimentar a deliciosa Sopa de Romã. 

O melhor de tudo é que no início de cada capítulo há uma receita que se relaciona com aquele pedacinho da história e se não fosse uma pequena indisposição minha (que me faz estar de dieta há alguns dias) já tinha feito quase todas as receitas do livro.  Preparem-se, assim que melhorar eu vou começar a provar.  Algumas receitas pedem ingredientes diferentes e não muito fáceis de achar, mas a maioria dá para fazer.  Ainda estou pensando onde vou achar Pasta de Romã por aqui…ai,ai,ai…A tradução do romance é da Nina Horta, que dispensa apresentações, e a editora é a Jaboticaba.