Arquivo | 11:40 pm

Pecan Pie – Torta de Noz Pecan, perfeita!!!!

30 mar

pecan-pie1

Já comentei algumas vezes aqui que fiz intercâmbio nos Estados Unidos, mais precisamente na Califórnia, e apesar do preconceito que os americanos sofrem com sua comida, sinto um tipo de “saudades gastronômica”.  Fora a comida que todos conhecemos de filmes e TV, alguns deliciosos pratos me encantaram, a mistura de culturas agregada à cozinha americana tradicional são uma ótima pedida!

Uma das guloseimas que provei foi a Pecan Pie, famosa torta servida na época de Thanksgiving e Festas de Final de Ano.  Nunca tinha tentado fazer e de repente me deparei com uma receita de massa de torta que me pareceu “a receita perfeita” para receber o recheio maravilhoso de Pecans que achei neste outro blog.  O que saiu desse mistura aqui e acolá? Uma Pecan Pie maravilhosa, fiz para a Ceia de Natal e no almoço do dia 25 lá estava ela novamente, pediram bis e repeteco da delícia… será que foi aprovada?

Este site diz que foram os franceses os responsáveis pela criação da Pecan Pie após colonizarem Nova Orleans (Louisiana, EUA) e conhecerem as Pecans através dos índios que lá habitavam.  Informa o site que as Pecans têm sua origem na Pré-história, e que o Texas e norte do México seriam o local originário das nozes visto que fósseis foram achados naquelas áreas. Mais informações aqui.

 

Resolvi juntar a massa daqui e o recheio daqui, pois ao ler as duas receitas (depois de muito procurar e tentar imaginar como ficariam outras dezenas de receitas que achei, ufa…) me pareceu que casariam perfeitamente.  E que grata e saborosa surpresa!  Pena que não dá para ser a torta nossa de cada dia, além do preço meio proibitivo das Pecans (acho aqui no Mercadão em SP em torno de R$39,00 o kilo) o valor calórico da mocinha não é mole não….mas de vez em quando podemos fazer uma estravagância, por que não?

 

Bem, aqui vai a receita:

Massa – 1 ½ xíc. de gordura vegetal (na receita original usa-se Crisco e a autora do blog afirma de pés juntos que não funciona com manteiga…eu segui a risca o que ela disse, não sou boba nem nada…), 3 xíc. trigo,  1 colher (chá) sal, 5 colheres (sopa) de água fria, 1 colher (sopa) de vinagre branco e 1 ovo.

Nada de pânico, os ingredientes são básicos e tudo dará certo no final! Só não se assuste com o passo a passo…parece um livro mas é para explicar tudo nos mínimos detalhes….

Coloque as 3 xíc. trigo numa tigela e junte a gordura vegetal.  Use um Pastry Blender ou então duas facas e vá agregando (sem as mãos!!!!) a gordura vegetal à farinha, demora um pouco mas vale a pena, pense no resultado final que a energia vem!  A mistura ficará parecendo meio esfarelenta, sem pedaços grandes da gordura, ok?

Bata o ovo em um prato e jogue na mistura de trigo/gordura vegetal e mexa com um garfo.  Coloque 5 colheres (sopa) de água fria e 1 colher (sopa) de vinagre branco.  Junte 1 colher (chá) de sal e suavemente misture os ingredientes.  Divida a massa em três bolas e coloque cada uma num Ziploc (ou algo do gênero) para congelar.  (Quando fiz usei as facas…eu nem sabia direito o que era um Pastry Cutter…mas encasquetei e comprei um via Correio lá dos EUA, agora falta comprar a Pecan para fazer novamente usando o novo equipamento!).

Com o rolo de macarrão amasse cada bola (facilitará seu trabalho no futuro, acredite!) e feche os sacos.  Leve-os ao freezer até que deseje usar a massa.  O melhor é aproximadamente 20 minutos se for assar logo a torta, para abrir a massa é mais fácil se estiver bem gelada.   Os outros discos poderão ser descongelados e utilizados quando desejar… facilita bem o trabalho no futuro, hein?

Numa superfície enfarinhada coloque o disco de massa retirada do freezer e salpique um pouco de trigo (dependendo do tamanho da forma a ser usada pode ser necessário mais de um disco!  Mas só se usa para a parte de baixo, esta torta não tem massa cobrindo o recheio.).  Caso sinta necessidade use mais trigo para facilitar seu trabalho.  Os movimentos devem ser do centro para fora, não é necessária muita força, o negócio aqui é jeito mesmo.  Se as bordas começarem a se partir use os dedos para ajeitá-las e formar novamente um círculo (não se assuste, narrar a forma de fazer é mais complicado do que a coisa em si!).  Se  começar a grudar na superfície use uma espátula ou faca para desgrudar e vire a massa do outro lado.  Lembrando sempre de deixar a superfície enfarinhada. 

O círculo de massa deverá ficar cerca de 1,5 cm maior do que o diâmetro da forma de torta.  Com cuidado coloque a massa sobre a forma (usei pirex pois não tinha outra opção na cozinha da minha avó, mas a recomendação é de preferência de metal) e ajuste para que cubra todos os espaços sem formar bolhas de ar.  Faça uma bordinha mais gordinha e fure com um garfo a superfície da massa.

Recheio – 3 ovos inteiros, 1 xíc. açúcar, ½  xíc. Karo, ¾ xíc. manteiga (amolecida), 1 xíc. Pecans (picadas ou inteiras, a gosto do freguês)

Numa tigela bata os ovos e acrescente o açúcar.  Misture os ingredientes restantes e coloque na forma de torta com a massa crua.  Leve ao forno frio e deixe em 150ºC por aproximadamente 1 hora.  O ponto é quando o centro do recheio já estiver durinho.

Aí é só alegria! Aproveite a maravilha e coma de olhos fechados!

Versão para impressão (Printer Friendly version)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios