Arquivo | setembro, 2009

Bolsa de Patchwork II, mais beleza para nossos olhos!

28 set

Bolsa de Patchwork II

Outra bolsa linda que minha irmã fez, desta vez para minha mãe.

Ficamos muito orgulhosos do capricho e bom gosto da moça! As coisas que ela faz estão cada vez mais bonitas e bem feitas, e além disso, são peças únicas!

Ótima semana para vocês!

Pão de Semolina

25 set

Pão de Semolina blog

Adoro pães…isso não é novidade para quem já passeia por aqui…e sempre procuro novas receitas e ingredientes que enriqueçam o pão que faço para nossa família!

A semolina de trigo é um subproduto do trigo obtido no primeiro processo de moagem, veja mais aqui.  É uma farinha um pouco mais cara que a farinha de trigo e sua cor é amarela.  Seu sabor é bem especial, vale a pena experimentar!

Já postei aqui uma outra receita com semolina, e agora encontrei o produto numa loja aqui perto de casa que vende a varejo num preço bem mais em conta.

A receita é simples e fica uma delícia:

Pão de Semolina

Na panificadora: 3/4 xícara de leite integral; 1 colher (sopa) de manteiga amolecida; 1 colher (sopa) de mel; 1 ovo caipira;  2 colheres (chá) de fermento biológico seco; 2 1/2 xícaras de semolina de trigo; 1/2 xícara de farinha de trigo; 1 colher (sopa) de alcarávia e 1 colher (chá) de sal.  Coloque os ingredientes na ordem acima na cuba da panificadora untada com azeite ou manteiga.  Ligue no ciclo massa e quando acabar, aproximadamente 1 1/2 h retire da panificadora e coloque em forma de bolo inglês untada com manteiga.  Deixe crescer em local quente e livre de correntes de ar. Faça alguns cortes na superfície do pão e leve para assar após 1 hora crescendo.  Forno médio a alto até que o pão esteja dourado ou que ao bater com o nós dos dedos na parte de baixo saia um som oco.  Retire da forma e deixe esfriar em um rack.

Sem panificadora: numa tigela coloque o leite e dissolva o fermento.  Espere uns 3 a 5 minutos.  Junte a manteiga e o mel, o ovo, depois o sal e a alcarávia.  Por último vá juntando as farinhas até dar ponto.  Deixe crescer coberto com um pano.  Após dobrar de volume retire da tigela e leve para crescer novamente em forma de bolo inglês untada com manteiga.  Deixe crescer em local quente e livre de correntes de ar. Faça alguns cortes na superfície do pão e leve para assar após 1 hora crescendo.  Forno médio a alto até que o pão esteja dourado ou que ao bater com o nós dos dedos na parte de baixo saia um som oco.  Retire da forma e deixe esfriar em um rack.

Lavandula officinalis, L. ou simplesmente Alfazema

21 set

Lavanda

Muitas pessoas têm me perguntado sobre a Lavanda (Alfazema) que uso para as receitas, onde acho, como é, enfim…

Esta é a flor, a parte que se usa para fazer chás, sorvetes, geléias, biscoitos, bolos, sachês, infusões, aromatizadores, entre outras possibilidades.

Como é muito perfumada há que ser ter muito cuidado na dose a ser utilizada, um pouquinho já faz o efeito desejado, ou seja, aromatizar o prato.  Não adianta aumentar a quantidade pois o produto final poderá ter gosto de sabonete ou colônia…

Encontrei no supermercado embalada em saquinhos de 10g da marca Chinatown, dê uma olhada no site para maiores informações onde encontrar na sua cidade… Fica a dica…de forma alguma é propaganda da marca.

Não adianta comprar em grande quantidade, como a utilização é pequena para o efeito desejado pode ficar velha e perder muito do aroma.  Os condimentos e temperos devem ser comprados em pequenas porções para que estejam sempre frescos.

Algumas informações interessantes (leia mais aqui):

O óleo essencial da lavanda (do latim "lavare", "lavar") já era utilizado pelos romanos para lavar roupa, tomar banho, aromatizar ambientes e como produto curativo (indicado para insônia, calmante, relaxante, dores, etc.). O óleo é obtido da destilação das flores, caules e folhas da espécie Lavandula officinalis. Entre várias substâncias, o óleo apresenta na sua composição o linalol e o acetato de linalila, que conferem a sua fragrância e, ainda, resina, saponina, taninos cumarinas.

As flores de lavanda produzem um néctar abundante que rende um mel de alta qualidade produzida pelas abelhas. O mel da variedade lavanda foi produzida inicialmente nos paises que cercam o Mediterrâneo, e introduzido no mercado mundial como um produto de qualidade superior.

Como produto terapêutico, em infusão, deve ser evitado o uso contínuo, podendo produzir excitação em dose tóxica.

Lavender-Lemon Bundt Cake

17 set

Lavender Lemon Bundt Cake blog

English Recipe

Mais uma experiência com a perfumada lavanda, este bolo de limão ficou muito especial! O perfume da lavanda e o sabor do limão siciliano foi um casamento muito feliz e bem sucedido!

Usei ovos caipiras e isso deixou o bolo com uma cor divina, além de mais saboroso! Seja feliz, faça este agrado!

A receita original é do Williams-Sonoma, que achei no delicioso blog da Mônica.  Não resisti…ainda bem, pois ficou divino!  Fiz poucas mudanças por conta de ingredientes, mas quase nada diferente, como a Monica também fiz só meia receita, que é a quantidade abaixo,perfeita para uma forma de bolo com buraco no meio tamanho pequeno.

Lavender-Lemon Bundt Cake

(ligeiramente adaptado daqui)

1 1/2 xíc. de farinha
1 colh. (chá) de fermento em pó
1/2 colh. (chá) de bicarbonato de sódio
1/8 colh. (chá) de sal
100g de manteiga sem sal
3/4 xíc. açúcar
1/2 colh. (sopa) de flores de lavanda seca
2 ovos, levemente batidos
1/4 colh. (chá) de suco de limão (usei suco de limão Siciliano) 
1/2 xíc. de iogurte natural
1/2 colh. (sopa) de raspas de limão (usei Siciliano)
Glacê:
1/4 xíc. açúcar de confeiteiro

1/2 colh. (sopa) de suco de limão fresco

Deixar todos os ingredientes em temperatura ambiente.
Preaqueça o forno (180 ° C). Unte e enfarinhe uma forma com furo central pequena. Retire o excesso de farinha.
Peneire a farinha, o fermento, o bicarbonato e o sal. Reserve.
Na batedeira coloque e bata a manteiga até ficar cremosa (cerca de 3 minutos). Adicione o açúcar e a lavanda e continue batendo, até ficar fofo e claro (5 minutos). Raspe as laterais da tigela vez por outra. Junte os ovos, um de cada vez, batendo bem após cada adição. Acrescente o suco de limão.
Reduza a velocidade da batedeira e acrescente a mistura da farinha em 3 adições, alternando com o iogurte (começando e terminando com a farinha). Bata cada adição somente até incorporar os ingredientes, parando ocasionalmente para raspar as laterais da tigela utilizando uma espátula de silicone, junte as raspas de limão.
Coloque a massa na forma preparada, alisando a superfície.
Asse até que enfiando um palito ele saia limpo (cerca de 1 hora). Transfira para um rack e deixe esfriar por 15 minutos.
Enquanto isso prepare o glacê: em uma tigela coloque 1/2 xícara de açúcar de confeiteiro e o suco de limão. Misture.
Coloque o rack sobre papel manteiga, desenforme o bolo sobre o rack. Despeje com cuidado o glacê sobre o bolo. Deixe o bolo esfriar completamente (no mínimo 2 horas) antes de servir.

Perfeito para um chá da tarde! Ou para presentear quem merece um mimo!

Harissa bel louz em duas versões

14 set

Harissa bel louz _ amendoa blog

Desde que vi pela primeira vez esta receita lá no cantinho da Cris fiquei super entusiasmada para prepará-la, adoro receitas que levam amêndoas, nozes, frutas secas e especiarias. Além da farinha de amêndoas o bolo também é aromatizado com água de flor de laranjeira, açúcar baunilhado, leva a linda semolina de trigo, dentre outras maravilhas.  Fiquei intrigada, como será o sabor que vem lá da Tunísia?  Corri ao blog da Fabrícia, brasileira casada com um tunisiano, dona da receita e literalmente viajei nas fotos, receitas e textos! Ainda não conheço o país pessoalmente, mas imagino que deva ser um local envolto em deliciosos aromas e comidas, repleto de história e ensinamentos e pessoas generosas e especiais. 

Consegui reunir os ingredientes para o bolo depois de algum tempo e pude finalmente prepará-lo.  A primeira vez usei a farinha de amêndoa da receita original, a única coisa que não acrescentei foram as tâmaras, mas tentei ao máximo seguir a receita da Fabrícia.  Muito simples e sem maiores dificuldades de preparo o bolo é um dos melhores que já provei.  O sabor é difícil de descrever, meu marido perguntou-me se havia especiarias…acho que é muito mais do que isso, a combinação perfeita dos elementos dão a esse bolo uma sensação de provar tantos anos de História em forma de alimento.

Foi a primeira receita tunisiana que fiz, e fico me perguntando quantas outras delícias desconhecidas por mim tiveram sua origem naquele país colonizado pelos fenícios, depois pelos romanos, árabes, turcos e posteriormente franceses?  Essa mistura cultural com certeza deixou marcas profundas e saborosas naquelas mesas. 

Depois de ter me apaixonado pelo bolo resolvi testar com farinha de castanha de caju, um pouco mais escura, com sabor mais marcante e cujo preço é 1/3 da farinha de amêndoas. 

Harissa bel louz _ castanha de caju blog

Veredicto: o segundo bolo ficou gostoso, mas a castanha de caju é muito presente, os outros sabores da água de flor de laranjeira, semolina, zest de laranja ficaram lá escondidos.  Aqui em casa o bolo com a farinha de amêndoas, conforme a receita original da Fabrícia, foi o preferido.  É um bolo fino, delicado, próprio para degustar, não para simplesmente calar a fome.  Faça e tire um momento especial para apreciar cada pedacinho…

Harissa bel louz (original aqui)

  • 250 g de farinha de amêndoas
  • 200 g de tâmaras (não usei)
  • 100 g de açúcar
  • 155 g de sêmola de trigo fina ou grossa (usei fina)
  • 3 ovos
  • zest de ½ laranja (usei de tangerina)
  • 50 g de manteiga (usei sem sal)
  • 250 ml de leite
  • 3 gotas de essência de amêndoas amargas (usei essência de amêndoas comum)
  • 1 colher (sopa) de água de flor de laranjeira
  • ½ colher (café) de fermento em pó
  • 10 g de açúcar baunilhado
  • 1 pitada de sal

Pré-aquecer o forno à 180°C. Em uma panela que possa ir ao forno, colocar a sêmola e dourar durante 10 minutos no forno. Em seguida, retirar panela do forno e acrescentar a manteiga. Deixar a manteiga derreter e misturar bem. Adicionar o leite e mexer delicadamente. Vai formar uma papinha.
Num recipiente fundo, misturar os ovos, o açúcar, a essência de amêndoas, a zest de laranja, a água de flor de laranjeira, o açúcar baunilhado, o fermento em pó e o sal. Adicionar em seguida a papinha de sêmola e misturar bem. Acrescentar a farinha de amêndoas e as tâmaras, sem a semente e cortadas ao meio. Misturar tudo.
Untar uma assadeira retangular (20 x 26 cm) e despejar a massa. Levar ao forno (180°C) por aproximadamente 30 à 40 minutos. Até que ao enfiar um palito este saia limpo .

Calda (pode ser feita enquanto o bolo assa, fiz só a metade da receita achei que era muita calda e mesmo assim acabou sobrando)
– 100 g de açúcar
– 5 g de açúcar baunilhado
– 1 colher (sopa) de suco de laranja
– 1/2 colher (sopa) de suco de limão
– 400 ml de água
Colocar todos os ingrediente em uma panela, misturar bem e levar ao fogo médio até ferver. Depois que ferver, diminuir o fogo e deixar cozinhando por 30 minutos.
Retirar o bolo do forno, cortar em quadrados ou losangos sem retirar os pedaços da assadeira. Molhar com a calda bem quente. Deixar esfriar e repetir a operação para que o bolo fique bem molhadinho.

Gelado de limão siciliano e pistache

10 set

Gelado de limão e pistache blog

Este gelado é outro mix de alimentos que me agradam! O limão siciliano com cream cheese, o crocante do pistache, a leve acidez no ponto certo do iogurte natural… maravilha! Foi “a” sobremesa do feriado! Será repetido várias vezes!

Ás vezes acho o limão siciliano por quase metade do seu preço normal, ultimamente o Taiti tem estado absurdamente caro e quando o mercado fez uma promoção do siciliano ele foi o escolhido. Seu sabor mais leve e o perfume me encantam e decidi que faria o próximo sorvete com ele.

Experimente esta combinação, além da linda cor do pistache a pipocar na massa do sorvete, fica muito cremoso. Sou suspeita, muito suspeita…

Gelado de limão siciliano e pistache

Numa frigideira no fogo médio toste a seco, isto é, sem óleo ou água, ½ xícara de pistaches sem casca. Quando começarem a ficar dourados reserve. Deixe amornar e pique grosseiramente.

Com um ralador fino ou zester retire a casca de 2 limões sicilianos bem lavados e secos. Reserve.

No liquidificador bata: 1 lata de creme de leite (com soro), ½ copo de iogurte natural, 75g de cream cheese, suco de 3 limões sicilianos e ½ lata de leite condensado (vai depender do quão doce você gosta do seu sorvete). Bata bem. Leve à geladeira por uma hora.

Coloque a mistura gelada na sorveteira e quando estiver quase no ponto, aproximadamente 23/25 minutos após ligar, coloque o zest e os pistaches picados. Deixe finalizar e leve ao freezer por uma hora no mínimo em pote próprio.

Tijolinhos de chocolate branco com amoras

9 set

Tijolinhos de chocolate branco e amoras

Quando a Patrícia postou esta receita de Fudge com chocolate branco fiquei super curiosa e resolvi adaptar para usar maracujá, que era o que tinha em casa. Não sei o que houve mas o Fudge não endureceu como deveria, talvez o limão da receita tenha algum efeito no leite condensado com relação ao endurecimento…e como substituí o limão pelo maracujá…mas esqueci de fotografar.

Enfim, resolvi colocar no freezer para endurecer e ficou uma delícia, meio puxa-puxa, bem geladinho, mas ainda mordível… não congelou… Daí a Cinara postou esta receita de babar de Fudge de Macadâmia e Pistaches e resolvi fazer novamente a receita do Fudge “congelado”…Como tinha amoras pretas congeladas elas foram as frutas da vez!

Meninas, obrigada pela inspiração!

Tijolinhos de chocolate branco com amoras

3 xícaras (465g) de chocolate branco em pedacinhos
1 lata (395g) de leite condensado
1 ½ xícara de amoras pretas congeladas (frutas inteiras, não a polpa)

Forre uma forma quadrada de 22cm com papel vegetal, deixe um pouco para fora da forma, irá lhe ajudar a desenformar se quiser.
Numa panela média junte o chocolate branco e o leite condensado e leve ao fogo baixo, mexendo, até que o chocolate derreta e a mistura fique homogênea. Retire do fogo, adicione as amoras pretas congeladas e despeje na forma preparada. Tente nivelar o fudge…eu esqueci e dá para ver na foto que a superfície não ficou muito lisa.
Deixe amornar por uns 10 minutos, cubra com papel filme e leve ao freezer por umas 3 ou 4 horas. Para servir: levante o fudge e retire-o da forma. Remova todo o papel vegetal e corte o doce em quadradinhos.
Caso não seja consumido imediatamente guarde em recipiente plástico, tipo pote hermético, no freezer.