Sfiha da minha avó

20 jul

jul10 030

Esta receita sempre foi um sucesso entre nós, perfeitamente fechadas, pequeninas e muito saborosas, as sfihas da minha avó são deliciosas. Aproveite as férias e sirva de lanche para a garotada!

Ela costumava fazer com a ajuda do meu avô e congelava pré-assadas para sempre ter o que oferecer a quem resolvesse chegar para visitar ou para aqueles dias em que o queríamos algo diferente no lanche da tarde .

Fiz no último dia de aula do meu pequeno, para um lanche coletivo da escola e o que sobrou foi o lanche de casa.  Agradei aos pequenos, ao marido e filhote e de quebra minha irmã, cunhado e sobrinha também!

Resolvi fazer metade da massa com no formato de sfiha tradicional mesmo, aquela trouxinha, e a outra metade fiz tipo pasteizinhos assados pincelados com gema. Mesma massa e mesmo recheio, só mudei a forma.

A receita é um tesouro, meu avô me mandou numa carta em 2003.  A letra dele é linda e me emociona mais ainda estar assim documentada esta gostosura!

Sfiha

(rende bem!)

xícara medidora 200ml

Massa

  • 1xícara de leite faltando um dedo, para ser completado com água morna
  • 1 colher (sopa) rasa de açúcar
  • 1 colher (chá) de sal
  • 1 ovo inteiro
  • 1/2 xícara de óleo
  • 30g fermento fresco para pão
  • trigo para dar ponto (sorry…esqueci de medir da última vez que fiz…)

Recheio

  • 250g de carne moída
  • 3 tomates pequenos sem sementes picados
  • 1 cebola média picadinha
  • caldo de 1/2 limão
  • sal

Preparo do recheio: faça antes da massa.  Misture bem a carne moída com os temperos.  Corrija o sal e coloque numa peneira para sorar.

Preparo da massa: numa tigela junte o fermento e o açúcar até que vire uma pasta mole, esmague com as costas de uma colher.  Junte o ovo batido, leite, óleo, sal e misture bem.  Coloque o trigo aos poucos até que a massa possa ser virada numa superfície de trabalho para dar ponto.  Parece um pouco massa de pizza, tem que dar para abrir com rolo.

Abra a massa numa superfície untada usando o rolo e corte os discos com um copo ou molde inox próprio, dependendo do tamanho da sfiha.

Com a massa aberta e cortada vá colocando o recheio e fechando a sfiha.  Não coloque muito pois não conseguirá fechar direito a massa e a sfiha abrirá e escorrerá o líquido.

Feche em forma de triângulo, apertando bem para não abrir no forno.

Coloque em assadeira untada com óleo e pincele com gema (se quiser).

Os pasteizinhos eu fiz com o mesmo molde mas fechei ao meio após rechear e usei um garfo de sobremesa para prensar bem as bordas.

Asse em forno médio até dourar.

Minha avó sempre assava quase até o ponto. Deixava esfriar e congelava. Quando servia ela levava novamente ao forno (congelada) e deixava dourar.

Pode ser que sobre um pouco do recheio, fica delicioso se refogado e servido com arroz!

Anúncios

10 Respostas to “Sfiha da minha avó”

  1. Bá Maglia julho 21, 2010 às 12:47 pm #

    Adoro sfihas! Marquei com a Mãe de uma amiga, de origem árabe, uma tarde para aprender as delícias tradicionais! Tomara que ela tenha colocado as sfihas na lista!

    Beijos!

  2. Dani julho 21, 2010 às 2:37 pm #

    Oieeeee

    Receitas boas essas que nos trazem além do sabo maravilhoso, a lembrança de pessoas tão queridas.

    Minha avó é expert em muitos quitutes, no quesito salgadinhos/congelados ela manda bem nas coxinhas, tb quando faz distribui entre os mais chegados e congela o resto para nossas visitas a sua casa.

    Mas vc me fez lembrar da avó de um quase parente, era de origem síria, e algumas vezes ao ano fazia uma farta produção e eu era uma das convidadas para aquela noite saborear a produção. Naquela época eu ainda não era ligada a cozinha 100% e fiquei sem pedir a receita, uma pena!

    Bjs

  3. Andréia Lédio julho 21, 2010 às 3:29 pm #

    Aqui em casa sfihas fazem o maior sucesso!
    E receita de vó é sagrada, né?! Sempre é garantia de gostosura 🙂
    bjs

  4. Maura julho 21, 2010 às 4:42 pm #

    Oi Verena, eu acho que receitas de família são aquelas que não devemos perder porque são especiais, por isso já anotei essa! bjs
    Maura

  5. Ameixinha julho 21, 2010 às 7:14 pm #

    Só pelo facto de ter sido manuscrita pelo teu avô… este petisco ganha logo outro significado e outro sabor. Imagino a delícia que deve ser 🙂

  6. Fátima julho 22, 2010 às 11:08 am #

    Adoro esfirras, feita com essa receita da vovó, então, devem ficar boas demais.Beijos amiga.

  7. iliane julho 22, 2010 às 4:39 pm #

    maravilha de receita..eu amo esfirra!!é tudo de bom..bjus

  8. Luciana Betenson julho 24, 2010 às 8:40 pm #

    Ve, que história linda! Fiquei emocionada… e adorei a receita. Aliás, aquela receita de maça do amor com granola também está tão legal! Beijos, querida.

  9. sallybr agosto 3, 2010 às 6:04 pm #

    Adorei a receita, com o “xicara de leite faltando um dedo” – bem tipico de antigamente –

    eu sempre quis fazer sfiha, mas ate’ agora nunca tive coragem. Uma experiencia pessima com coxinhas de galinha ha’ um mes e pouco atras me traumatizou….

    Uma hora eu tomo coragem! 🙂

  10. o mesmo janeiro 3, 2014 às 1:54 am #

    Adorei a receita, principalmente aquela parte que você não sabe a quantidade de farinha que vai na receita que você tem por escrito e é tão preciosa para você, francamente né.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: