Arquivo | Conservas RSS feed for this section

Pasta de pimenta vermelha–Ribb al-harr

15 fev

DSC08159

Não pude deixar de me lembrar dessa receita assim que li o post apimentado no Diga Maria. A Maria postou uma receita perfeita para amantes de pimenta e explica um pouco mais sobre o porque da ardência na boca…Deu vontade…

Aprendi a gostar e apreciar as pimentas…começou ainda adolescente, quando morei na fronteira do México e Estados Unidos…e foi aumentando…ainda sou tímida, vou experimentando devagar , mas confesso que o ardor anestesia a boca e dá uma sensação muito boa… uma experiência gastrosensual…

A ardência das ditas cujas pode ser medida por uma escala desenvolvida por um químico, Scoville. Quer saber mais, leia no blog Edu Explica.

Escala de Scoville

fonte: Edu Explica

Meu pai pediu-me para comprar para minha mãe o livro Man oushé – Inside the street corner Lebanese Bakery, da super simpática Barbara Massad. Libanesa de nascimento ela morou nos Estados Unidos e depois voltou já adulta ao Líbano. A culinária estava na veia, seus pais tinham um restaurante na Flórida e ao voltar para seu país natal tentou ganhar a vida de outras maneiras mas acabou se rendendo a gastronomia. Atualmente é fotógrafa na área de alimentação e escritora de livros de culinária. Saiba mais aqui.

Antes de concluir a compra já estava apaixonada pelo livro…e quando chegou pedi emprestado para namorar…o livro…as fotos… Que qualidade de imagens e quantas histórias maravilhosas. Vale a pena!

Fizemos um jantar típico libanês, que fica para outro post, já que é mais longo…mas essa pasta de pimenta nos conquistou! Uma delícia aos olhos e ao paladar! Não é muito forte, pode ser comida sobre uma bruschetta ou um filé de frango ou carne bovina…ou até acompanhando um cozido…vale tudo!

E as pimenteiras da horta da minha mãe estão sorrindo à toa…carregadas e nos convidando a uma degustação. Vai rolar mais essa semana…e eu dou a maior força…!

DSC08163

Ribb al-harr  – pasta de pimenta vermelha

1 kg pimenta vermelha bem picante (4 xíc)

1 kg pimenta vermelha doce (4 xíc)

2 colheres de sopa de sal

120 ml de azeite

1. Lave as pimentas em água fria. Seque bem. Use luvas para abrir as
pimentas no sentido do comprimento e retire todas as sementes e
membranas.
2. Passe-as pelo processador, junte o sal, mexa bem. Deixe-as por 2
horas num escorredor.
3.Numa panela com pouco azeite cozinhe as pimentas em fogo leve por cerca de 15 min. até ficarem tenras. Deixe esfriar.
4.Coloque num vidro esterilizado e junte o azeite, cobrindo bem a pasta.
5. Para conservar cozinhe os vidros em panela com água por 15 min.

A dona da receita faz sua remessa no final do verão para durar todo o ano. Após aberto deixe na geladeira.

Obs: a receita é suave. Quem preferir pode aumentar a quantidade de
pimenta picante. É importante manter sempre muito azeite sobre a pasta para conservar, senão mofa.

Minha mãe fez menos quantidade, pode ser feita uma proporção para as pimentas que obtiver. O resultado é tão bom que foi possível até passar no pão!!

Fonte: Barbara Abdeni Massaad – Man oushé – Inside the street corner Lebanese Bakery

1-DSC08080

Anúncios

Tempo de jabuticaba é tempo de fazer geléia

7 out

074

As jabuticabas estão em plena safra e vale a pena procurar aquele pé carregadinho para colher as frutinhas! No supermercado também se acha, mas infelizmente o preço está um absurdo…

Cheguei a ver a R$12,oo o kilo! Talvez na sua feira preferida elas apareçam!

Fomos passar alguns dias na casa da mãe do meu marido no interior do Rio de Janeiro e no condomínio onde ela mora achamos um pé transbordando de tantas frutas! Fiquei feliz pois a colheita proporcionou dois vidros de geléia!

A fruta in natura é uma delícia, e não consigo deixar de lembrar dos netinhos da Dona Benta do Sítio do Pica-Pau Amarelo trepados no pé chupando a jabuticaba!

Você sabe que:  jabuticaba tem capacidade para conter diarréias e disenterias, por isso é indicada para tratar de desarranjos intestinais.

Nativa da mata atlântica, a fruta ainda contém ferro, potássio, cálcio, sódio, fósforo, magnésio, vitaminas C e do complexo B. Leia mais aqui.

A geléia é simples e fácil de fazer, só requer um pouco de paciência. A receita que segue é adaptada do Olivier Anquier.  Como nem sempre a quantidade que temos é a indicada para a receita adaptei ao caso concreto e já fiz 3 vezes.  Fica maravilhosa no pão, torrada, crackers e até sobre aquele manjar ou sorvete!

069

Geléia de Jabuticaba

  • lave a jabuticaba, deve ser uma quantidade razoável, pelo menos mais de 600g, senão não vale a pena o tempo de espera pois ela rende pouco.
  • retire os cabinhos e coloque a jabuticaba limpa numa panela grande de inox, e cubra as frutas com água. Não coloque água demais, somente o necessário para cobrí-las.
  • deixe cozinhar em fogo médio/fraco por aproximadamente 1 1/2h, destampada.
  • quando perceber que a fruta está começando a amolecer, use uma colher de pau e comprima as frutas contra a parede da panela para abrí-las.
  • esse cozimento lento irá resultar num suco roxo e repleto de pectina, o que irá ajudar no processo de endurecimento da geléia.
  • coe o caldo e descarte as cascas e polpa.
  • meça o suco e acrescente a metade do volume do suco em açúcar.
  • misture bem e leve novamente ao fogo médio, mexendo de vez em quando com colher de pau.
  • o ponto é quando a geléia está grossa mas não demais senão depois fica difícil para espalhar no pão.
  • envase em vidros fervidos por 15/20 minutos (ferva as tampas também, mas os vidros devem ser destampados).
  • guarde fora da geladeira até abrir.

A escritora Rosaly Senra, do blog Quitandas de Minas, faz quase da mesma forma e ensina um truque:

“É importante cuidar para não deixar passar o ponto de tirar do fogo. Minha mãe sempre reclama que as geleias de jabuticaba que faz ficam muito duras. O ponto certo para que a geleia fique fina é quando, tirando com a colher, aquele suco não escorra tão facilmente. Dá um pingo grosso, quase que não pinga. É esse o momento de desligar, colocar nos potes e deixar esfriar.”

Geléia de pimenta

2 jun

jun10 002

A Patty me pediu para postar a receita de geléia de pimenta depois de um comentário que fiz no blog dela… e como estava fora de casa, consequentemente sem as minhas listas e listas de receitas para testar, fui buscar outras possibilidades. Essa é para você, viu, amiga?

Achei várias mas esta em especial me chamou a atenção, vai suco de tangerina ou laranja e vem de Minas Gerais….para mim não precisa mais nada. E não é que a geléia é muito boa demais da conta? Gente, sério, eu adorei! Não fica muito forte e é perfeita para acompanhar carnes, grelhados e até queijos e pães.

A receita é da Dona Dinéia, de Rio Acima, e está aqui.  De qualquer forma transcrevo para facilitar a vida de vocês:

Geléia de Pimenta

900g de açúcar cristal (a receita original pede 1k, achei muito)
750 ml de água
200 ml de
glucose de milho
2 xícaras (de chá, cheias) de caldo de tangerina ou de laranja (usei tangerina daquelas da roça…!)
4 pimentas-dedo-de-moça inteiras (sem cabinho)

Bater, no liquidificador, as pimentas com o caldo de tangerina ou de laranja. Despejar em uma panela grande (sem coar), de preferência grossa, e pôr o restante dos ingredientes. Misturar bem. Levar ao fogo brando, mexendo de vez em quando, até virar uma calda grossa. Para saber se o doce está no ponto, pôr um pouco da calda em uma colher (sopa) e levar ao congelador por 30 segundos. Se ficar consistente, está pronta. Retirar a espuma que se forma sobre geléia, com uma escumadeira. Ainda quente, pôr a geléia em vidros esterilizados.

Dicas do Mangia

  • Para esterilizar os vidros: coloque-os submersos em água numa panela grande e funda e leve para ferver por pelo menos 15 minutos. Não esqueça das tampas.  Retire com cuidado usando uma pinça e coloque sobre uma tábua ou pano de prato para escorrer.
  • Essa geléia pode ferver e derramar, vai fazer a maior meleca no seu fogão (vai por mim, aconteceu comigo!). Ou você fica do lado da panela ou coloca um pires virado para baixo no fundo da panela como se faz com doce de leite.

Para terem uma idéia, eu coloquei até no frango grelhado que almocei ontem…delícia mesmo!

Rendeu 5 potes de 200ml. A consistência pode parecer meio líquida mas depois a geléia endurece um pouquinho.

PS: esse vidro está bem perua com esse paninho de oncinha, não é???

Antepasto de Beringela

9 dez

New_Antepasto de Berinjela

o potinho da esquerda com uvas passas e o outro sem

Para servir como entrada na sua ceia de Natal ou Reveillón que tal Antepasto de Beringela com torradinhas, pão ou crackers?

Fácil de fazer e agrada a todos que gostam de comidinhas temperadas, esta receita pode ser feita com antecedência e guardada na geladeira num recipiente de vidro bem fechado.

Fiz assim:

Antepasto de Beringela

4 beringelas médias

2 pimentões amarelos pequenos sem sementes e em cubinhos

1 pimentão vermelho pequeno sem sementes e em cubinhos

1 cebola grande picadinha

3 dentes de alho em lâminas

3 colheres (de sopa ) de uvas passas sem sementes

2 colheres (de sopa) de castanhas de caju torradas

sal

azeite de oliva

óregano a gosto

Descasquei as beringelas e cortei em cubinhos. Lavei bem e deixei escorrendo numa peneira.

Misture numa vasilha grande: os cubinhos de pimentão vermelho e amarelo, a cebola picadinha, o alho picadinho, sal, óregano.  Misture bem todos os ingredientes, acrescente a beringela e envolva-os com azeite até ficarem bem besuntados. 

Numa assadeira grande untada com azeite coloque a mistura e leve ao forno baixo (150ºC / 180ºC) por aproximadamente 2 horas.  Prove e veja se já está macio e assado.  Caso precise ajuste o sal.

Retire do forno e deixe esfriar completamente.  Neste estágio, caso deseje, divida em duas porções: numa delas acrescente as uvas passas sem semente.  Na outra porção acrescente 2 colheres de sopa de castanha de caju torrada e salgada picada grosseiramente. 

Guarde em recipientes de vidro muito bem fechados na geladeira por 5 dias.  Cubra com azeite para não mofar.

Algumas pessoas costumam acrescentar alcaparras, azeitonas picadinhas ou fazem o antepasto sem as uvas passas ou castanhas de caju. Fica ao seu gosto! É um ótimo belisquete!

Tomate seco fácil, fácil e Natal em casa, parte III

8 dez

Tomate seco fácil

Na correria do dia a dia não dá tempo de fazer em casa tudo que a gente gosta, infelizmente muitas vezes somos obrigados a comprar alguns produtos alimentícios já prontos para o consumo…pena…quase sempre são mais caros e contém conservantes e outros “antes” que sabidamente não nos fazem bem.

Já tinha feito tomate seco antes, mas a receita é demorada e sinceramente não tinha ficado muito satisfeita…outro dia achei uma outra receita  no blog Paladares da Isa, que se intitula “Tomate seco fácil” e resolvi tentar novamente…!

Muito, muito gostoso e fácil de fazer.  Além do custo ser muito mais baixo do que o produto comprado em supermercados ou delicatessens.  Para os belisquetes de final de ano são uma opção festiva e muito gostosa!  Usei na pizza, no macarrão, em saladas, e com torradinhas também fica uma delícia!

Que tal presentear neste Natal com tomates secos feitos por você?

Pizza de abobrinha com tomate seco

Pizza feita em casa de abobrinhas com tomates secos

Tomate seco fácil (adaptado ligeiramente daqui)

tomates maduros
vinagre de arroz
sal
açúcar
azeite
alho em fatias finas

alecrim seco

Lave bem os tomates e limpe-os de seguida com papel absorvente.  Corte ao meio e retire as sementes.
Coloque as metades limpas num recipiente (que vá ao microondas) viradas para cima (a pele fica para baixo).
Polvilhe com uma pitada de açúcar, sal e borrife com o vinagre (é só borrifar e não temperar).
Leve ao microondas por 25 minutos no total, sendo que, a cada 5 minutos se retira a água acumulada. Cuidado para não se queimar pois estará muito quente.
Leve ao forno a 200º por +/- meia hora para acabar de secar a pele do tomate. Tive que deixar um pouco mais de tempo para secar melhor, no total ficou quase uma hora no forno.
Retire do forno e deixe esfriar por completo.
Esterilizar um vidro e tampa com água fervente, colocar as metades dos tomates seco, os alhos fatiados finamente e o alecrim seco.
Cubra com azeite e tampe. Guarde em local fresco e ao abrigo de luz.  Após aberto guarde na geladeira.

A quantidade de tomate vai variar de acordo com o que tiver em mãos. Não esqueça de colocar um rótulo com a data de fabricação.

Gingerbread man

Este gingerbread man foi outra brincadeira de costura que fiz para enfeitar nossa árvore de Natal.