Arquivo | Família RSS feed for this section

Caipirinha de limão cravo e tomate de árvore

10 dez

DSC09832

Com o calor que tem feito por aqui estamos na fase das experimentações com caipirinhas, de várias frutas: pitanga, caju, abacaxi, mexerica e recentemente a de limão cravo e tomate de árvore!

Esta última foi um sucesso no almoço de domingo! Assim que soube de uma amiga que tinha provado num restaurante contei para minha mãe e ela se empolgou, já que a árvore de tomates dela está de vento em popa!

DSC09290

Foi a campeã do domingo! Fica super refrescante e saborosa! Esta foi a maneira que a mamma fez:

Caipirinha de limão cravo e tomate de árvore

(1 copo)

1 tomate de árvore (sem casca)

1 limão cravo

1 dose de cachaça boa

1 colher (sopa) de açúcar (ou á gosto)

gelo à gosto

Num copo de boca larga desmanche com um socador o tomate e misture com a cachaça e o açúcar. Acrescente o limão, mexa bem esmagando e prove. Junte gelo picado e sirva!

 

Bolo de pecan, melaço e bourbon

9 out

DSC09591

Apesar do sumiço por estas bandas tenho cozinhado e testado algumas delícias…esta é uma delas.

Assim que coloquei os olhos na foto desse bolo e li a receita fiquei totalmente obcecada para experimentar.  Dei uma indireta (?) para minha mãe e mostrei a ela a receita, foi batata, ontem fizemos a maravilha! A 6 mãos, já que meu Galego também ajudou! Uma farra na cozinha!

Fica difícil tentar explicar o que é o sabor dessa iguaria, as pecans dão um toque para lá de especial e a calda de bourbon tira o fôlego e te dá ideias não muito publicáveis por estas paragens… Maravilhoso, só isso que posso dizer. Há tempos não comia um bolo que caísse nas minhas graças assim! E a calda…ai, a calda… Ficará deliciosa sobre bananas assadas e sorvete, sensual sobre uma tartelete de nozes e macadâmias, de suspirar sobre um bolo de banana…ainda bem que rende bastante e dá para experimentar em outros pratos!

É um bolo com cara de festa, tem jeito de bolo de Natal e fizemos na segundona…quer coisa melhor? Corre lá e vai experimentar, tenho certeza que irá entrar no seu top 10! A receita veio do Gastrolândia, que tem muita coisa boa e interessante.

A receita é essa, como está no site, só diminuí um pouco a quantidade de açúcar na massa e usei creme de leite de caixinha, que era o que havia em casa.

Bolo de pecã, melaço e bourbon

(xícara 240ml)

Ingredientes para o bolo:

  • 3 1/4 xícaras farinha de trigo peneirada
  • 2 colheres de chá de fermento em pó
  • 3/4 colher de chá de sal
  • 1 xícaras de açúcar (usei 1/2 xícara)
  • 1 xícara de açúcar mascavo
  • 1 xícara de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha
  • 4 ovos grandes
  • 1 1/2 xícara de leite integral
  • 1 xícara de pecãs, torradas, picadas finamente
  • 1/4 xícara de xarope de milho (Karo e afins)
  • 1/4 xícara de melaço de cana (encontrado na prateleira de produtos naturais do supermercado)
  • 1/2 colher de chá de bicarbonato de só

Ingredientes da calda:

  • 2 colheres de chá de água
  • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • 2 xícaras de açúcar
  • 1 xícara de creme de leite fresco (usei de caixinha mesmo)
  • 1 xícara de manteiga sem sal
  • 2 colheres de chá de xarope de milho
  • 2/3 copo de bourbon

Modo de preparo do bolo
Pré-aqueça o forno em temperatura média. Unte com manteiga uma assadeira média com furo no meio.

Em um tigela, coloque a farinha de trigo, o fermento e o sal.

Em outra, bata com batedeira o açúcar normal e o mascavo, a manteiga e a baunilha até se tornar uma mistura cremosa.

Incorpore os ovos, um por vez. Jogue dentro desta tigela, aos poucos, a mistura de farinha de trigo, alternando com o leite.

Coloque metade desta massa na forma untada. Em outra tigela, coloque as pecans, o xarope de milho, o melaço e bata, com batedeira, até misturar bem.

Incorpore o bicarbonato. Jogue essa mistura na metade restante da massa e bata, novamente.

Coloque delicadamente sobre a massa já na forma. Asse em forno médio por cerca de 45 minutos ou até inserir um palito de fósforo no centro do bolo e este sair seco.

Modo de preparo da calda
Misture 2 colheres de chá de água eo  bicarbonato de sódio em uma tigela pequena e mexa até dissolver. Numa panela, coloque o açúcar, a manteiga, e o xarope de milho e leve ao fogo alto — mexendo sempre — até que o açúcar e a manteiga derretam. Reduza o calor, adicione a mistura de bicarbonato e ferva, sem esquecer de mexer, até que vire uma calda espessa e dourada (cerca de 8 minutos). Retire do fogo, adicione o creme de leite e o bourbon.

Assim que o bolo esfriar, desenforme-o em um prato e coloque a calda quente sobre ele. Deixe esfriar antes de comer.

Dos deuses!!!!

DSC09586

O forno da minha mãe é muito quente e não assou o bolo por igual, mas isso em nada interferiu no sabor divino! E com o passar dos minutos a calda vai ficando mais espessa e mais apetitosa!

Pastiera di Grano, antes, durante e depois da Páscoa…

24 abr

DSC08687

Uns dias antes da Páscoa meus pais ganharam um pedaço de uma Pastiera di Grano, uma torta preparada na Páscoa, típica de Nápoles, Itália. Experimentei e adorei! Já tinha ouvido e lido a respeito mas a torta me parecia muito elaborada e ainda não tinha me animado a testar alguma receita.

Depois de provar a torta eu e minha mãe ficamos encantadas e passamos um bom tempo confabulando sobre sua origem, ingredientes, etc… Acabei me encantando pela receita da Carla Maicá, do maravilhoso blog  Cucina Artusiana, que me pareceu perfeita. Fiz duas alterações, usei casquinhas de mexerica cristalizadas no recheio e tive que tirar um pouco do trigo para caber na minha forma. 

A torta exige preparação, então não dá para fazer de última hora, mas é tranquilo.  Recomendo muito!!! Experimentem essa maravilha! E não só para comer na Páscoa…

Tradicionalmente preparada pelas donas de casa napolitanas para presentear os amigos e familiares na Páscoa, essa torta celebra a chegada da primavera e apesar de rústica  é saborosa e muito especial.

Quer saber mais sobre esse doce, leia aqui.

DSC08702

Pastiera di Grano – Torta Napolitana de Páscoa (receita bem pouco adaptada do Cucina Artusiana)

Ingredientes
Trigo
250 gramas de trigo integral (em grãos) deixados de molho por 3 dias
01 litro de leite integral
Massa
250 gramas de farinha de trigo
02 gemas
75 gramas de açúcar
60 gramas manteiga sem sal
½ xícara de água fria
½ colher (sopa) de canela em pó
Creme
02 gemas
75 gramas de açúcar
250 ml de leite integral – Use o leite que foi cozido o trigo
35 gramas de farinha de trigo
Casca ralada de 01 limão
01 colher (chá) de essência de baunilha
Ricota
500 gramas de ricota fresca sem sal
03 ovos inteiros
03 gemas
400 gramas de açúcar
01 colher (chá) de canela em pó
01 colher (sopa) de Cointreau (licor de laranja)
01 colher (sopa) de essência de baunilha
Açúcar de confeiteiro para polvilhar                                   
2 colheres de casquinhas de mexerica cristalizadas (em pedacinhos)


Preparo

Cozinhe o trigo em água nova por 40 minutos. Escorra, junte o leite e leve ao fogo baixo, mexa algumas vezes para não grudar no fundo da panela. Cozinhe até ficar macio, aproximadamente 1 hora. Retire metade do leite do cozimento e utilize este leite retirado para fazer o creme.

Bata todos os ingredientes da massa no processador até obter um composto homogêneo. Faça uma bola com a massa, enrole com filme PVC e leve ao refrigerador por 40 minutos. Passado este tempo abra a massa com espessura de 2 centímetros e coloque sobre o fundo e bordas de uma forma de 25 centímetros com aro removível. Leve novamente ao refrigerador até a hora da montagem.

Para o creme bata bem as gemas com o açúcar. Acrescente o leite e a farinha de trigo. Misture bem, leve ao fogo baixo, junte a casca de limão e mexa até começar a engrossar. Adicione a baunilha e passe por uma peneira.

Amasse a ricota e reserve. Bata os ovos e as gemas e o açúcar. Junte a ricota e misture. Acrescente os outros ingredientes e misture bem.

Pré aqueça o forno a 180º C.

Em uma tigela grande coloque o creme de ricota, o trigo e o creme. Misture bem e despeje sobre a massa. Asse por aproximadamente 02 horas, até a superfície dourar. Desligue o forno e deixe a torta esfriar lá dentro. Sirva em temperatura ambiente polvilhada com açúcar de confeiteiro.

Observação do Mangia: minha forma de fundo falso não é muito alta, então tive que tirar 1 1/2 xícaras do trigo já cozido na hora de misturar com os outros ingredientes para assar…ou não caberia na forma. Usei para fazer pão.

DSC08697

Pavlova de aniversário

23 nov

Pavlova.2

Semana passada foi aniversário da minha mãe, houve um almoço para comemorar e me ofereci para fazer o bolo.  Ela então me surpreendeu e pediu uma Pavlova!

Com o calor que está fazendo por aqui e a safra de amoras a todo vapor foi uma escolha super acertada.

A sobremesa é muito leve, fácil de fazer e claro, deliciosa!  A receita que segui foi a da Donna Hay, australiana que gosto muito e que ao meu ver tem receitas fáceis e saborosas. 

Anna Pavlova, uma bailarina russa que visitou a Austrália e a Nova Zelândia nos idos de 1920, encantou os dois países e a linda e saborosa sobremesa foi uma homenagem à dançarina.  Não se sabe ao certo qual dois dois países foi o criador do prato, há quem forneça evidências nos dois lados, mas o que realmente importa é que é leve e deliciosa.

Se a receita for seguida de acordo com as explicações não tem erro, pode fazer que dá certo.

Depois que fiz e experimentamos, ficamos apaixonados, que delicadeza e textura especiais! Vou fazer outras muitas vezes, quem sabe em porções individuais? Ou com recheio de frozen iogurte? Hummmmm!

Pavlova (retirado daqui e ligeiramente adaptado)

  • 150ml claras (approximately 4 eggs) em temperatura ambiente
  • 220g açúcar de confeiteiro * (bata o açúcar cristal ou refinado no liquidificador e terá o mesmo efeito)
  • 2 colheres (sopa) de amido de milho peneirado
  • 2 colheres (chá) de vinagre branco * usei de maçã
  • 1 colher (café) de extrato de baunilha
  • 1 colher (café) de raspas de limão (zest)
  • 250ml de creme de leite fresco gelado
  • amoras pretas (inteiras e cortadas também)
  • morangos cortados em quatro

  Pré-aqueça o forno a 150°C.

  Todos os utensílios a serem utilizados devem estar muito limpos e secos, caso contrário o resultado pode ser comprometido.

   Forre uma assadeira com papel vegetal e desenhe com lápis um círculo de 18/20 cm de diâmetro.

  Coloque as claras na tigela da batedeira e ligue na velocidade média até que forme picos. Aos poucos vá colocando o açúcar às colheradas, batendo bem, até que fique com a consistência dura e comece a brilhar.

  Junte o amido de milho, as raspas de limão e o vinagre e com um fuet ou uma espátula misture delicadamente só até combinar.  Coloque a mistura sobre o papel vegetal (ou manteiga) já sobre a forma e forme um “monte” de 18/20 cm de diâmetro, deixando a parte de cima mais lisa.

Reduza a temperatura do forno para  120°C  e asse por aproximadamente 1 h e 20 minutos. Desligue o forno e deixe a Pavlova esfriar completamente lá dentro.

  Se não for ser consumida logo, a Pavlova pode ser guardada até 5 dias num container hermético sem o recheio de creme e frutas.

Pavlova(assada sem o recheio)

  Para servir logo: bata o creme de leite fresco até formar o chantilly com 2 colheres de açúcar de confeiteiro ou refinado (conforme instruções da embalagem) e o extrato de baunilha.  Com cuidado quebre a parte de cima da Pavlova (com cuidado senão os lados podem se partir e aí não ficará tão bonita!) e coloque o chantilly. Cubra com as frutas e sirva imediatamente. Serve de 8-10 porções.

* O ponto do merengue em picos e brilhante é atingido ao ter triplicado o volume da mistura.  Outra dica é segurar as pás da batedeira de cabeça para baixo e o merengue não cair, formando picos duros.

* A baixa temperatura do forno faz com que o merengue cresça e o longo cozimento o seca tornando a casca crocante.

* Da próxima vez vou experimentar esquentar um pouco as claras antes de bater, como se faz com suspiros, acho que a consistência fica melhor.

* A receita original usa polpa de maracujá e morangos, mas há outras milhares de combinações de frutas, kiwi, tangerinas, banana, framboesas, manga, abacaxi, mirtilos…fica a seu critério.

Veja um vídeo da execução da receita aqui .

Pavlova.4

Quiche de tomates e cebolas com gostinho francês…

26 ago

DSC04986

Esta quiche foi inspirada num telefonema da minha irmã mais nova, Maria Rosa, ela e o marido são vegetarianos e ela havia feito esta receita para o jantar… Da França para o Brasil, fiquei com água na boca e resolvi fazer para nós também, simples, saborosa e muito fácil!

Esse verdinho decorando é tomilho-limão, uma erva muito perfumada e saborosa, nativa do mediterrâneo, que agora também habita minha horta! Tenho o tomilho-limão e aquele tipo mais comum, mas há vários tipos, leia mais aqui!

Essa quiche pode ser servida ainda morna ou fria, dependendo da sua vontade e tempo! Para levar a um almoço ou piquenique, fica deliciosa com uma salada de folhas e um grelhado!

A receita da massa é a que minha mãe nos ensinou e a base do recheio também, o que mudam são os ingredientes do recheio. Eu não uso creme de leite pois acho que o iogurte deixa a quiche mais leve.

Quiche de tomates e cebolas

Massa: 180g de manteiga em temperatura ambiente,, 1 colher (chá) de sal,  1 colher (sopa) de água gelada e aproximadamente 2 xícaras de trigo (pode ser que precise um pouco mais)

Misture os ingredientes com as mãos até que esteja uma massa homogênea. Pode ser feita no processador colocando-se os ingredientes e pulsando até que estejam bem misturados.  Forre os fundos e as laterais de uma forma de fundo falso de 25cm.  Com um garfo faça furinhos na massa e leve para pré-assar até que comece a dourar, a massa deve estar firme. Lembre-se que ainda vai assar com o recheio então não deixe dourar muito.

Recheio: 4 tomates grandes italianos bem maduros sem sementes e cortados no comprimento, 3 cebolas médias em rodelas, 3 ovos grandes inteiros, 4 colheres bem cheias de parmesão ralado, sal, 200ml de iogurte natural e páprica doce para decorar (ou coloral)

Bata as claras em neve e reserve. Misture numa outra tigela as gemas, iogurte, sal, os tomates e as cebolas. Junte esta mistura às claras em neve, mexendo delicadamente. Coloque sobre a massa pré-assada, polvilhe a páprica  e leve novamente ao forno para dourar.

DSC04984

Espere amornar um pouco, desenforme com cuidado para não quebrar as laterais.  Eu uso a estratégia de colocar a forma sobre um vidro para que as laterais saiam mais facilmente. Assim como na foto. A base da forma fica intacta com a quiche.

Eu não tinha outro queijo  então usei parmesão ralado, mas essa quiche fica deliciosa com queijo fontina, provolone ou mesmo muçarela em pedacinhos no recheio.

Guarde na geladeira em recipiente fechado.

A razão do meu sumiço…

1 jul

DSC04616

Cinco dias depois do meu último post por aqui minha pequena nasceu, super querida, esperada e programada!
Difícil descrever a emoção de ver aqueles olhinhos cor de jabuticaba olhando para mim…não é a primeira vez, já que tenho um príncipe que semana que vem fará seis anos, mas cada experiência é única e essa foi para lá de especial.

Não consegui postar nada durante os três primeiros meses dela, além do nascimento e cuidados com um bebê, tivemos que nos ajustar a uma nova casa, cidade e estado! Os cuidados com o maior também, já que além de mudar de casa, escola e cidade, ele recebeu uma irmã, e vai entender o que isso significa. Beijos e abraços a todo momento, mas e a atenção dos pais e por que não dizer, do resto do mundo, que só quer saber daquele bebezinho que chegou!

Graças a Deus estamos super bem, nos adaptando as mudanças várias que ocorreram e aprendendo a conviver com as novidades.

Estamos morando em casa, até que enfim, depois de ter vivido e crescido numa casa grande a vida inteira, tive que morar em “apertamento” até abril…e agora temos espaço, o pequeno pode pular e correr e temos uma horta! Depois coloco fotos!

Enfim, estamos muito felizes, só para terem uma idéia… minha vista da janela da cozinha…

DSC04606

Até breve! Tenho várias receitas para postar, inclusive com cítricos, que estão no auge da delícia e beleza!

Babadores feitos em casa…

23 fev

DSC03969-2

(clique nas fotos para ampliá-las)

Nossa, quase um mês sem aparecer por aqui… as coisas têm acontecido uma em seguida da outra e quando vejo o dia  já se foi e não consegui postar nada, apesar da vontade!

DSC03970-1

Esses babadores já estavam há tempos na minha lista de artesanato para fazer, mas como não tinha máquina de costura ficaram à espera… Agora ganhei uma máquina da mãe do marido e é ótima! Como os bichinhos que postei aqui,  fazem parte de uma nova etapa das artes, as costuras. Ainda estou engatinhando, mas é tão gostoso ver que pedacinhos de pano tomam vida!

DSC03971-1

O molde da maioria deles é o mesmo, só mudei os tecidos, em alguns fiz a parte de baixo de uma camiseta de malha branca, que achei que absorveria melhor os líquidos, noutro usei um pano de prato novinho para ser a parte de cima. Em outro emendei alguns panos e depois recortei na forma do babador. Enfim, o gostoso é deixar a imaginação te levar. E me arrisquei até em fazer apliques, como o sorvete e a letra.

DSC03972-1

Se quiser se aventurar o molde está aqui, e posso garantir que até para quem não sabe costurar direito (como eu) é fácil. Usei botões de pressão para fechar os babadores, mas confesso que deveria ter colocado os de metal, achei que os de plástico são meio frágeis…pelo menos acho que é melhor do que velcro, que pode prender no cabelo da criança.

Costurei os panos pelo avesso deixando uma abertura (no molde já está marcada) para virar ao lado direito. Depois passei uma costura na volta toda para arrematar bem e fechar a abertura. Levei a um armarinho para colocar o botão de pressão e pronto!

Essa coleção aí em cima tem um destino muito especial, vai para uma princesa que chega em casa até abril…pois é, agora vem uma menina para nos alegrar!

Vou tentar ser mais assídua por aqui, mas não posso garantir nada…depende dela, ok?

Beijos e depois me contem se fizerem o babador! 

Sobremesa de Natal Parfait

9 jan

DSC03589

Uau, o tempo já voou e ainda não tinha conseguido postar aqui para inaugurar 2011! Esse ano começa com muitas coisas especiais acontecendo e o tempo nos dá olé sem que percebamos.

Que todos tenham um ano muito especial, repleto de alegria, saúde e muito amor e paz!

O Natal foi uma delícia, passamos com a família reunida e foi muito bom estar juntos em paz.  O Reveillon nos deu um susto, meu sobrinho de 3 meses ficou internado de 5a a 2a feira…então nem tinha clima para festejar…graças a Deus ele está em casa e bem.

Para celebrar o almoço de Natal minha irmã fez esta maravilha de sobremesa que fechou com chave de ouro a refeição. A receita nos foi passada por uma prima e não sabemos a procedência, mas confiem que é um sucesso total!

Fica como se fosse um sorvete feito em casa, com uma calda deliciosa de chocolate e café….precisa dizer mais?

Parfait

(xícara medidora 240ml)

Calda: 4 colheres de sopa de chocolate em pó

              1/4 xícara de café coado ou leite (prefiro café!)

Mistura de claras:  5 claras batidas em neve

                                       1 lata de creme de leite sem muito soro

                                       5 colheres (sopa) de açúcar

Creme: 1 litro de leite, 1 lata de leite condensado, 5 gemas e 1 colher de sobremesa de maizena dissolvida no leite.

Caramelize uma forma de buraco média/grande, reserve.

Para a calda dissolva o chocolate no café(ou leite, à gosto) e coloque sobre o caramelo na forma.  Leve ao freezer.

Leve os ingredientes do creme ao fogo baixo e espere engrossar mexendo sempre. Deixe esfriar.

Mistura de claras: bata as claras em neve e misture com o creme de leite e o açúcar. Com cuidado incorpore o creme já frio com a mistura de claras, colocando-o sobre elas, e não o contrário. 

Coloque na forma caramelada e já com a calda de chocolate e café (que estava no freezer) e leve de volta ao freezer para endurecer.

Meia hora antes de servir a sobremesa, retire do freezer e deixe na geladeira, emborcada sobre um prato que vá à mesa.

Sirva fatias e espere os elogios! É simples e muito saboroso!

Bolo de uva

17 nov

DSC03301

Este final de semana fomos comemorar o aniversário da minha mãe e conhecer a nova casa onde ela e meu pai estão morando. A mudança foi um salto, do frio de Santa Catarina para o sul de Minas Gerais, pertinho….

Resolvi levar uns quitutes para o lanche, afinal as reuniões são sempre marcadas pela mesa cheia e farta. Fiz cinnamon rolls e este bolo de uva maravilhoso, originalmente, bolo de morango, que já tinha marcado há tempos para testar. Como as uvas Isabel já estão aparecendo no mercado e somos fãs, resolvi trocar os morangos, que não estão mais na época, pelas uvas. Grande escolha, ficou uma delícia! A receita original é da Tessa Kiros e vi no blog da Fer, Chucrute com Salsicha.

Fácil de fazer e muito versátil, pois pode ser usada qualquer fruta, desde que fresca, este bolo é ótimo para um lanche ou café da manhã. Surpreendeu-me a facilidade de transporte, pois não é esfarelento e aguentou bem a viagem, curta, mas afinal é uma viagem.

Aprovadíssima a receita, vou fazer muitas outras vezes, quem sabe com os lindos e perfumados pêssegos nacionais que também estão na safra?

Bolo de Uva (originalmente morango)

2 1/2 xícaras de farinha de trigo
1 colher (de sopa) de fermento em pó
1/2 xícara de açúcar super-fino [usei de confeiteiro]
Umas pitadas de noz moscada ralada na hora
2 ovos
1 xícara de buttermilk*

4 colheres (de sopa) de manteiga derretida
1 colher (de chá) de raspinhas da casca de limão
metades de uva Isabel sem caroço**[ela usa blueberries/ mirtilos e sugere morangos, mas frisa que qualquer fruta escolhida seja fresca, não congelada]
2 1/2 colher (de sopa) de açúcar demerara.

Pré-aqueça o forno em 400º/ 205ºC. Unte e enfarinhe uma forma retangular funda de mais ou menos 30X20cm. (Usei uma forma redonda de 25cm diâmetro.)Numa vasilha peneire a farinha, o fermento, o açúcar e algumas pitadas de noz moscada ralada. Na batedeira coloque os ovos e bata bem até eles ficarem claros e espumosos. Junte o buttermilk, a manteiga derretida e as raspas da casca do limão. Bata bem. Desligue a batedeira e junte a mistura de farinha, mexendo com uma espátula ou colher de pau bem delicadamente, só para incorporar os ingredientes. Se bater com força o bolo vai ficar duro.

Coloque a mistura na forma untada e enfarinhada, espalhando bem com uma espátula. Arrume as metades da uva com a parte cortada para baixo sobre a massa, depois salpique o açúcar demerara. Leve ao forno e asse por uns 25 minutos ou até passar no teste do palito. Deixe esfriar, corte em quadradinhos e sirva com café ou chá.

*buttermilk: numa xícara de leite integral coloque uma colher bem cheia de vinagre ou limão para talhar e espere 5 minutos.

** quantidade de uva: usei quase uma bandejinha inteira, depende do tamanho da forma utilizada.

Pão de queijo / Cheese bread World Bread Day 2010

13 out

pão de queijo travessa 4

(Scroll down for English, please)

Apesar de não ser mineira de nascimento sou mineira de coração. Fiz faculdade em Juiz de Fora e me apaixonei mais ainda depois de morar naquelas terras. Tenho grandes amigos mineiros, sempre com um sorriso largo e fraterno para dar, que sabem receber bem, dividir histórias e conhecimentos, além de dividirem comidas e quitandas de comer de joelhos. Uma delas é o delicioso Pão de Queijo. 

Esse pãozinho conquistou o mundo, e os apaixonados por ele vão desde crianças até os vovôs e vovós! Sua origem remonta ao século XVIII nas Minas Gerais e no meio do século passado conquistou o resto do país. Quem resiste ao cheirinho e sabor de um pão de queijo quentinho?

Basicamente a receita usa polvilho (doce ou azedo), banha, ovos, queijo, leite e sal. A receita que escolhi e que achei a mais perfeita que já fiz até hoje veio do blog da Renata, o Eternos Prazeres, uma mineira de mão cheia e coração quente! Rê, obrigada, fiz na casa da minha avó e quase não sobra! Todos adoramos!

Em Minas Gerais a tradição do pão de queijo é tão presente que em algumas regiões serve-se no café da manhã, almoço e jantar!

E com essa maravilha de receita participo do World Bread Day 2010 proposto pela Zorra. Dêem uma olhada no site para maiores detalhes! O último dia para participar é 16 de Outubro.

Vá coar um café para acompanhar!

Pão de Queijo

(rendeu perto de 80 pãezinhos)

Ingredientes:

1 quilo de polvilho azedo (usei doce) – tive que usar mais umas 3 ou 4 colheres para dar ponto
500 gramas de queijo Minas Padronizado ou Curado (usei um queijo curado maravilhoso que achei no Mercado Municipal em Sampa)
500 ml de leite; para escaldar
5 ovos inteiros
2 colheres (de sopa) de manteiga
1 colher (de sobremesa) de sal.

Modo de fazer:

Peneire o polvilho numa gamela. Meça o leite, a manteiga e o sal, aqueça-os até que a manteiga esteja totalmente derretida e o leite quase em ponto de fervura.
Adicione o leite (com a manteiga e o sal) sobre o polvilho, mexendo lentamente (este procedimento é denominado de escaldo do polvilho), irá permitir que o pão cresça melhor e se torne mais digerível.
Depois de escaldado, deixe que esta mistura esfrie um pouco e adicione os ovos. Esfarinhe a massa com as pontas dos dedos e solve muito bem. A massa deverá ficar maleável e uniforme, adicione o queijo (previamente ralado) e regule o ponto com um pouco de leite ou polvilho quando necessário. É melhor deixar a massa mais molinha, os pãezinhos vão ficar mais macios.
Molde sob formato de bolinhas no tamanho que preferir e leve ao forno previamente aquecido, ou se preferir congele as bolinhas para assar a medida que quiser.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

pão de queijo forma

Even though I wasn´t born in the state of Minas Gerais (Brazil), I carry a huge love for that place.  After going to university in Juiz de Fora (one city in Minas) I fell in love even more with that land.  I have great friends over there, always with a large and brotherly smile, they are great hosts, know very well to share stories and knowledge, not to mention their special food. One of them is the Cheese Bread.

These little ball bread conquered the world, from little ones to grandmas and grandpas! Its origin comes from the XVIII century in Minas Gerais but it was around the 1950/1960 that the rest of the country really got to know it well.  Who resist the smell and taste of a warm cheese bread?

Basically the recipe uses Tapioca starch, lard, eggs, cheese, milk and salt. The recipe is chose and found to be the most perfect one I ever baked comes from Renata, from Eternos Prazeres, one great person with a warm heart! Rê, thanks, I baked at my grandma and almost had no leftover! We all loved!

In Minas Gerais the tradition of Cheese bread is so strong that in some regions they are served at breakfast, lunch and dinner!

I submit this great recipe to World Bread Day 2010 hosted by Zorra! Take a look at her site for more details. The deadline is October 16th.

Go make some coffee to go along!

Cheese Bread

Ingredients:

1 k Tapioca starch (to get to the right consistency I used 4 table spoons more)
500 gr of  cured cheese or a strong cheese grated
500 ml milk, to scald
5 whole eggs
2 table spoons unsalted butter
2/3 table spoon salt

Sift the tapioca starch in a big bowl, set aside.

Put the milk, butter and salt in a pan and warm it almost until the milk boils.   Scald the liquids over the starch and  mix slowly, it makes the bread to puff better.

Let this cool for a while and add the eggs.  With your fingers mix and knead well.  The dough should be uniform and soft.  Add the grated cheese and with a little bit of milk or starch get the soft consistency.

The dough should be soft.

Make small balls, around 3cm diameter.  Put in buttered cookie pans and bake in a medium oven until brown on the bottom.

If you prefer you can freeze the little balls: take them to the freezer in the pans, let them freeze, then put them in sealed plastic bags and store until you need. Take them frozen to buttered pans to the oven to bake when necessary.

Yelds around 80 balls.