Arquivo | Família RSS feed for this section

Sobremesa de Natal Parfait

9 jan

DSC03589

Uau, o tempo já voou e ainda não tinha conseguido postar aqui para inaugurar 2011! Esse ano começa com muitas coisas especiais acontecendo e o tempo nos dá olé sem que percebamos.

Que todos tenham um ano muito especial, repleto de alegria, saúde e muito amor e paz!

O Natal foi uma delícia, passamos com a família reunida e foi muito bom estar juntos em paz.  O Reveillon nos deu um susto, meu sobrinho de 3 meses ficou internado de 5a a 2a feira…então nem tinha clima para festejar…graças a Deus ele está em casa e bem.

Para celebrar o almoço de Natal minha irmã fez esta maravilha de sobremesa que fechou com chave de ouro a refeição. A receita nos foi passada por uma prima e não sabemos a procedência, mas confiem que é um sucesso total!

Fica como se fosse um sorvete feito em casa, com uma calda deliciosa de chocolate e café….precisa dizer mais?

Parfait

(xícara medidora 240ml)

Calda: 4 colheres de sopa de chocolate em pó

              1/4 xícara de café coado ou leite (prefiro café!)

Mistura de claras:  5 claras batidas em neve

                                       1 lata de creme de leite sem muito soro

                                       5 colheres (sopa) de açúcar

Creme: 1 litro de leite, 1 lata de leite condensado, 5 gemas e 1 colher de sobremesa de maizena dissolvida no leite.

Caramelize uma forma de buraco média/grande, reserve.

Para a calda dissolva o chocolate no café(ou leite, à gosto) e coloque sobre o caramelo na forma.  Leve ao freezer.

Leve os ingredientes do creme ao fogo baixo e espere engrossar mexendo sempre. Deixe esfriar.

Mistura de claras: bata as claras em neve e misture com o creme de leite e o açúcar. Com cuidado incorpore o creme já frio com a mistura de claras, colocando-o sobre elas, e não o contrário. 

Coloque na forma caramelada e já com a calda de chocolate e café (que estava no freezer) e leve de volta ao freezer para endurecer.

Meia hora antes de servir a sobremesa, retire do freezer e deixe na geladeira, emborcada sobre um prato que vá à mesa.

Sirva fatias e espere os elogios! É simples e muito saboroso!

Anúncios

Bolo de uva

17 nov

DSC03301

Este final de semana fomos comemorar o aniversário da minha mãe e conhecer a nova casa onde ela e meu pai estão morando. A mudança foi um salto, do frio de Santa Catarina para o sul de Minas Gerais, pertinho….

Resolvi levar uns quitutes para o lanche, afinal as reuniões são sempre marcadas pela mesa cheia e farta. Fiz cinnamon rolls e este bolo de uva maravilhoso, originalmente, bolo de morango, que já tinha marcado há tempos para testar. Como as uvas Isabel já estão aparecendo no mercado e somos fãs, resolvi trocar os morangos, que não estão mais na época, pelas uvas. Grande escolha, ficou uma delícia! A receita original é da Tessa Kiros e vi no blog da Fer, Chucrute com Salsicha.

Fácil de fazer e muito versátil, pois pode ser usada qualquer fruta, desde que fresca, este bolo é ótimo para um lanche ou café da manhã. Surpreendeu-me a facilidade de transporte, pois não é esfarelento e aguentou bem a viagem, curta, mas afinal é uma viagem.

Aprovadíssima a receita, vou fazer muitas outras vezes, quem sabe com os lindos e perfumados pêssegos nacionais que também estão na safra?

Bolo de Uva (originalmente morango)

2 1/2 xícaras de farinha de trigo
1 colher (de sopa) de fermento em pó
1/2 xícara de açúcar super-fino [usei de confeiteiro]
Umas pitadas de noz moscada ralada na hora
2 ovos
1 xícara de buttermilk*

4 colheres (de sopa) de manteiga derretida
1 colher (de chá) de raspinhas da casca de limão
metades de uva Isabel sem caroço**[ela usa blueberries/ mirtilos e sugere morangos, mas frisa que qualquer fruta escolhida seja fresca, não congelada]
2 1/2 colher (de sopa) de açúcar demerara.

Pré-aqueça o forno em 400º/ 205ºC. Unte e enfarinhe uma forma retangular funda de mais ou menos 30X20cm. (Usei uma forma redonda de 25cm diâmetro.)Numa vasilha peneire a farinha, o fermento, o açúcar e algumas pitadas de noz moscada ralada. Na batedeira coloque os ovos e bata bem até eles ficarem claros e espumosos. Junte o buttermilk, a manteiga derretida e as raspas da casca do limão. Bata bem. Desligue a batedeira e junte a mistura de farinha, mexendo com uma espátula ou colher de pau bem delicadamente, só para incorporar os ingredientes. Se bater com força o bolo vai ficar duro.

Coloque a mistura na forma untada e enfarinhada, espalhando bem com uma espátula. Arrume as metades da uva com a parte cortada para baixo sobre a massa, depois salpique o açúcar demerara. Leve ao forno e asse por uns 25 minutos ou até passar no teste do palito. Deixe esfriar, corte em quadradinhos e sirva com café ou chá.

*buttermilk: numa xícara de leite integral coloque uma colher bem cheia de vinagre ou limão para talhar e espere 5 minutos.

** quantidade de uva: usei quase uma bandejinha inteira, depende do tamanho da forma utilizada.

Pão de queijo / Cheese bread World Bread Day 2010

13 out

pão de queijo travessa 4

(Scroll down for English, please)

Apesar de não ser mineira de nascimento sou mineira de coração. Fiz faculdade em Juiz de Fora e me apaixonei mais ainda depois de morar naquelas terras. Tenho grandes amigos mineiros, sempre com um sorriso largo e fraterno para dar, que sabem receber bem, dividir histórias e conhecimentos, além de dividirem comidas e quitandas de comer de joelhos. Uma delas é o delicioso Pão de Queijo. 

Esse pãozinho conquistou o mundo, e os apaixonados por ele vão desde crianças até os vovôs e vovós! Sua origem remonta ao século XVIII nas Minas Gerais e no meio do século passado conquistou o resto do país. Quem resiste ao cheirinho e sabor de um pão de queijo quentinho?

Basicamente a receita usa polvilho (doce ou azedo), banha, ovos, queijo, leite e sal. A receita que escolhi e que achei a mais perfeita que já fiz até hoje veio do blog da Renata, o Eternos Prazeres, uma mineira de mão cheia e coração quente! Rê, obrigada, fiz na casa da minha avó e quase não sobra! Todos adoramos!

Em Minas Gerais a tradição do pão de queijo é tão presente que em algumas regiões serve-se no café da manhã, almoço e jantar!

E com essa maravilha de receita participo do World Bread Day 2010 proposto pela Zorra. Dêem uma olhada no site para maiores detalhes! O último dia para participar é 16 de Outubro.

Vá coar um café para acompanhar!

Pão de Queijo

(rendeu perto de 80 pãezinhos)

Ingredientes:

1 quilo de polvilho azedo (usei doce) – tive que usar mais umas 3 ou 4 colheres para dar ponto
500 gramas de queijo Minas Padronizado ou Curado (usei um queijo curado maravilhoso que achei no Mercado Municipal em Sampa)
500 ml de leite; para escaldar
5 ovos inteiros
2 colheres (de sopa) de manteiga
1 colher (de sobremesa) de sal.

Modo de fazer:

Peneire o polvilho numa gamela. Meça o leite, a manteiga e o sal, aqueça-os até que a manteiga esteja totalmente derretida e o leite quase em ponto de fervura.
Adicione o leite (com a manteiga e o sal) sobre o polvilho, mexendo lentamente (este procedimento é denominado de escaldo do polvilho), irá permitir que o pão cresça melhor e se torne mais digerível.
Depois de escaldado, deixe que esta mistura esfrie um pouco e adicione os ovos. Esfarinhe a massa com as pontas dos dedos e solve muito bem. A massa deverá ficar maleável e uniforme, adicione o queijo (previamente ralado) e regule o ponto com um pouco de leite ou polvilho quando necessário. É melhor deixar a massa mais molinha, os pãezinhos vão ficar mais macios.
Molde sob formato de bolinhas no tamanho que preferir e leve ao forno previamente aquecido, ou se preferir congele as bolinhas para assar a medida que quiser.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

pão de queijo forma

Even though I wasn´t born in the state of Minas Gerais (Brazil), I carry a huge love for that place.  After going to university in Juiz de Fora (one city in Minas) I fell in love even more with that land.  I have great friends over there, always with a large and brotherly smile, they are great hosts, know very well to share stories and knowledge, not to mention their special food. One of them is the Cheese Bread.

These little ball bread conquered the world, from little ones to grandmas and grandpas! Its origin comes from the XVIII century in Minas Gerais but it was around the 1950/1960 that the rest of the country really got to know it well.  Who resist the smell and taste of a warm cheese bread?

Basically the recipe uses Tapioca starch, lard, eggs, cheese, milk and salt. The recipe is chose and found to be the most perfect one I ever baked comes from Renata, from Eternos Prazeres, one great person with a warm heart! Rê, thanks, I baked at my grandma and almost had no leftover! We all loved!

In Minas Gerais the tradition of Cheese bread is so strong that in some regions they are served at breakfast, lunch and dinner!

I submit this great recipe to World Bread Day 2010 hosted by Zorra! Take a look at her site for more details. The deadline is October 16th.

Go make some coffee to go along!

Cheese Bread

Ingredients:

1 k Tapioca starch (to get to the right consistency I used 4 table spoons more)
500 gr of  cured cheese or a strong cheese grated
500 ml milk, to scald
5 whole eggs
2 table spoons unsalted butter
2/3 table spoon salt

Sift the tapioca starch in a big bowl, set aside.

Put the milk, butter and salt in a pan and warm it almost until the milk boils.   Scald the liquids over the starch and  mix slowly, it makes the bread to puff better.

Let this cool for a while and add the eggs.  With your fingers mix and knead well.  The dough should be uniform and soft.  Add the grated cheese and with a little bit of milk or starch get the soft consistency.

The dough should be soft.

Make small balls, around 3cm diameter.  Put in buttered cookie pans and bake in a medium oven until brown on the bottom.

If you prefer you can freeze the little balls: take them to the freezer in the pans, let them freeze, then put them in sealed plastic bags and store until you need. Take them frozen to buttered pans to the oven to bake when necessary.

Yelds around 80 balls.

Sfiha da minha avó

20 jul

jul10 030

Esta receita sempre foi um sucesso entre nós, perfeitamente fechadas, pequeninas e muito saborosas, as sfihas da minha avó são deliciosas. Aproveite as férias e sirva de lanche para a garotada!

Ela costumava fazer com a ajuda do meu avô e congelava pré-assadas para sempre ter o que oferecer a quem resolvesse chegar para visitar ou para aqueles dias em que o queríamos algo diferente no lanche da tarde .

Fiz no último dia de aula do meu pequeno, para um lanche coletivo da escola e o que sobrou foi o lanche de casa.  Agradei aos pequenos, ao marido e filhote e de quebra minha irmã, cunhado e sobrinha também!

Resolvi fazer metade da massa com no formato de sfiha tradicional mesmo, aquela trouxinha, e a outra metade fiz tipo pasteizinhos assados pincelados com gema. Mesma massa e mesmo recheio, só mudei a forma.

A receita é um tesouro, meu avô me mandou numa carta em 2003.  A letra dele é linda e me emociona mais ainda estar assim documentada esta gostosura!

Sfiha

(rende bem!)

xícara medidora 200ml

Massa

  • 1xícara de leite faltando um dedo, para ser completado com água morna
  • 1 colher (sopa) rasa de açúcar
  • 1 colher (chá) de sal
  • 1 ovo inteiro
  • 1/2 xícara de óleo
  • 30g fermento fresco para pão
  • trigo para dar ponto (sorry…esqueci de medir da última vez que fiz…)

Recheio

  • 250g de carne moída
  • 3 tomates pequenos sem sementes picados
  • 1 cebola média picadinha
  • caldo de 1/2 limão
  • sal

Preparo do recheio: faça antes da massa.  Misture bem a carne moída com os temperos.  Corrija o sal e coloque numa peneira para sorar.

Preparo da massa: numa tigela junte o fermento e o açúcar até que vire uma pasta mole, esmague com as costas de uma colher.  Junte o ovo batido, leite, óleo, sal e misture bem.  Coloque o trigo aos poucos até que a massa possa ser virada numa superfície de trabalho para dar ponto.  Parece um pouco massa de pizza, tem que dar para abrir com rolo.

Abra a massa numa superfície untada usando o rolo e corte os discos com um copo ou molde inox próprio, dependendo do tamanho da sfiha.

Com a massa aberta e cortada vá colocando o recheio e fechando a sfiha.  Não coloque muito pois não conseguirá fechar direito a massa e a sfiha abrirá e escorrerá o líquido.

Feche em forma de triângulo, apertando bem para não abrir no forno.

Coloque em assadeira untada com óleo e pincele com gema (se quiser).

Os pasteizinhos eu fiz com o mesmo molde mas fechei ao meio após rechear e usei um garfo de sobremesa para prensar bem as bordas.

Asse em forno médio até dourar.

Minha avó sempre assava quase até o ponto. Deixava esfriar e congelava. Quando servia ela levava novamente ao forno (congelada) e deixava dourar.

Pode ser que sobre um pouco do recheio, fica delicioso se refogado e servido com arroz!

Criança na cozinha: cookies de chocolate e manteiga de amendoim

15 jun

jun10 026

Dia dos namorados estava virando a esquina…e eu sempre procuro fazer algo diferente para o marido, afinal, somos eternos namorados.

Meu pequeno de quase 5 anos (faz em julho) há muito me pedia para fazermos cookies de novo, já há algum tempo não levava ele para a cozinha comigo. E fazer uma gostosura para o papai foi o pretexto para uma tarde culinária. Com esse tempinho frio as brincadeiras fora de casa ficam restritas e fazer cookies com os filhos, sobrinhos ou netos, pode ser uma experiência muito especial para eles e para você.

Criança na cozinha - Cookies de chocolate e manteiga de amendoim1

Deixe os ingredientes já separados em tigelinhas e separe um avental para a criança, assim como o seu, ele(a) vai amar dividir esse momento com você e depois contar aos outros amiguinhos e família que foi ele(a) quem fez!

E foi ele quem fez todas as bolinhas, só mostrei como fazer a primeira! Que graça, amei ver o entusiasmo dele!

Esses cookies foram invenção da mamãe aqui, já que na hora em que resolvemos fazer os biscoitos se eu ainda fosse procurar receita em livros o pequeno ficaria agoniado de esperar…e deu super certo!

Cookies de chocolate e manteiga de amendoim

(xícara medidora 200ml)

150g manteiga sem sal em temperatura ambiente

1/3 xícara de açúcar mascavo

1/3 xícara de açúcar branco

1/2 xícara de chocolate em pó

2 xícaras + 2 colheres (sopa) de trigo

1 colher (sopa) bem cheia de manteiga de amendoim

1 colher (café) de fermento em pó

1 gema

  • Misture a manteiga com os açúcares e a gema. Incorpore o chocolate, a manteiga de amendoim, o fermento e o trigo.
  • A mistura deve ficar no ponto em que pode ser enrolada com as mãos, pode ser necessário acrescentar um pouco mais de trigo (uma colher de sopa).
  • Com uma colher de chá retire pequenas porções de massa e faça bolinhas com a mão. Deixe que a criança faça essa parte, as bolinhas podem ficar mais parecidas com ovinhos ou meio achatadas, mas a festa é delas!
  • Coloque em assadeiras forradas com papel vegetal ou tapete de silicone e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC.
  • As bolinhas vão ficar um pouco achatadas à medida em que estiverem assando e o ponto é quando as bordas começarem a soltar, vai depender do seu forno, uns 12 minutos.
  • Esse cookie fica macio por dentro.
  • Retire os cookies das formas e deixe esfriarem numa grade. Guarde em potes herméticos.

Cuidados de uma neta

27 maio

Amor de vó.
Tão puro, tão próprio.
Amor de vó não amor de mãe, nem de tia, nem de vizinha, nem de babá.
Amor de vó é amor sorridente, com rugas num rosto doce de admiração, amor de vó é amor saboroso, bom bolos quentinhos e café feito na hora.Amor de vó é o silêncio da sabedoria, as palavras sempre leves, sempre calmas, palavras de quem sabe o que diz.
Amor de neta é eterno, amor de neta é grato, amor é de neta é feito amor de vó, puro, cristalino, cúmplice, porto-seguro.
Amor puro de puro amor.

 

Esta semana estou cuidando da minha avó, ela que sempre cuidou dos netos agora precisou de um carinho extra. Vim correndo, sem titubear e estarei por aqui… mas sem máquina e acredito que sem posts… Semana que vem volto para casa e as receitas retornam. Fiquem em paz e cuidem muito bem dos seus avós. Beijos. Ah, achei esse lindo texto, infelizmente não sei o autor, alguém me ajuda?

Vó, te amo.

Almoço de domingo: Camarão na moranga

6 abr

abril10 016

Nossa Páscoa foi uma delícia, família reunida, muita risada, alto astral e comida maravilhosa!

A sugestão foi da minha mãe: Camarão na moranga e Carne Seca na moranga! Ela e meu pai estavam super orgulhosos da produção do sítio…trouxeram figo (muuuuuuuuito), alho, ovo caipira, maçã…vixi, quanta coisa boa! E também duas morangas muito lindas que foram o tchan do almoço!

Desta vez trago a receita do Camarão na moranga, feito por mim. Com a moranga do sítio dos meus pais, totalmente orgânica e o camarão delicioso de Laguna, SC (o melhor que já comi!) foi um presente dos céus!

Camarão na moranga

(serve 4 pessoas)

uma abóbora moranga grande

aproximadamente 850g de camarão rosa médio limpo (sem casca e cabeça)

1 lata de creme de leite

azeite

sal

alho e cebola picadinhos à gosto

3/4 xícara de molho de tomate

1 dose de conhaque

cheiro verde picadinho à gosto

Preparando a abóbora: lave muito bem a abóbora e passe óleo sobre a casca.  Leve ao forno médio dentro de uma assadeira até que comece a amolecer a casca. Retire do forno e com cuidado retire a tampa da abóbora com uma faca afiada. Usando uma colher retire as sementes e leve novamente ao forno para cozinhar por dentro.  (No total quase 1h 15minutos).  Retire novamente do forno e com uma colher retire a polpa cozida, cuidado para não furar o fundo e as laterais. Utilize a polpa em outra receita.  Reserve a abóbora e a tampa.

Dependendo do tamanho da abóbora o tempo de forno pode variar.

Preparando o camarão:  refogue o alho e a cebola picadinhos em azeite até começar a dourar.  Em fogo médio/baixo acrescente o camarão e refogue também, só para ficar vermelhinho.  Junte o conhaque e mexa para evaporar o álcool (3 minutos).  Acrescente o molho de tomate e corrija o sal. Caso necessário engrosse um pouco este molho com uma colher de sobremesa de amido de milho.  Quanto estiver cozido desligue o fogo e acrescente o creme de leite.  Coloque na abóbora, salpique cheiro verde picadinho e tampe. Sirva imediatamente com arroz branco e batata palha.