Archive | Frutas RSS feed for this section

Caipirinha de limão cravo e tomate de árvore

10 dez

DSC09832

Com o calor que tem feito por aqui estamos na fase das experimentações com caipirinhas, de várias frutas: pitanga, caju, abacaxi, mexerica e recentemente a de limão cravo e tomate de árvore!

Esta última foi um sucesso no almoço de domingo! Assim que soube de uma amiga que tinha provado num restaurante contei para minha mãe e ela se empolgou, já que a árvore de tomates dela está de vento em popa!

DSC09290

Foi a campeã do domingo! Fica super refrescante e saborosa! Esta foi a maneira que a mamma fez:

Caipirinha de limão cravo e tomate de árvore

(1 copo)

1 tomate de árvore (sem casca)

1 limão cravo

1 dose de cachaça boa

1 colher (sopa) de açúcar (ou á gosto)

gelo à gosto

Num copo de boca larga desmanche com um socador o tomate e misture com a cachaça e o açúcar. Acrescente o limão, mexa bem esmagando e prove. Junte gelo picado e sirva!

 

Tangerine Yogurt Bread for BBD#60 / Pão de Tangerina e Yogurte para o BBD#60

3 jul

Please scroll down for English

1-DSC09192

Bem disse a Zorra, criadora do evento Bread Baking Day, que este mês completa sua edição de número 60, que “third time is a charm”, algo como “na terceira vez a coisa vai”…

Para participar do BBD#60, cujo tema é “Pão glaçado” (ou com cobertura), quebrei a cabeça…confesso que demorei a decidir qual receita fazer. Separei várias e por uma ordem de interesse fiz as duas primeiras da lista…e as duas não deram certo. Numa o pão que deveria ficar tipo um biscoito crocante ficou borrachudo, muito saboroso e bonito de ver, mas nada do que prometia a receita…e a segunda então…em vez de pão virou mini torta…mas esses dois ainda vão aparecer por aqui, testados e aprovados!

Esta receita é uma adaptação que fiz de um pão que realmente me conquistou, o Lemon Sour Cream Bread, que já apareceu por aqui.

Desta vez fiz algumas mudanças, troquei o limão siciliano por ponkan, o sour cream por iogurte e fiz pães pequenos com uma cobertura de açúcar e suco de ponkan com um tiquinho de geléia de mexirica. O resultado ficou muito especial, bem como imaginei que seria! O perfume do pão assando invade todos os cantinhos da casa, se não for buscar amantes de pão lá pelo meio da rua…

A massa é uma seda, na hora de moldar os pães a gente tem vontade de ficar brincando com a massa, de tão gostosa sua textura.

Vamos a receita?

Tangerine Yogurt Bread

(yeld 7 small breads)

1 cup = 240ml

1/2 xíc iogurte integral

2 colheres (sopa) de água

2 colheres (sopa) de manteiga sem sal (temperatura ambiente)

zest de 2 ponkans

3 xícaras de trigo branco

3 colheres (sopa) de açúcar

15g de fermento fresco

1 1/4 colheres (chá) de sal

3 ovos grandes (em temperatura ambiente)

Cobertura: 1/2 xícara de suco de ponkan e açúcar refinado até dar ponto. 

  • Aqueça o iogurte com a água até estarem mornos, mexendo sempre, depois junte a manteiga e mexa até que tenha derretido. Se preferir coloque no microondas por 15 segundos o iogurte, a água e a manteiga e veja se derreteu a manteiga.
  • Em outra vasilha misture o zest da ponkan, trigo, açúcar, fermento e sal. 
  • Juntes os ingredientes secos aos úmidos e depois acrescente os ovos.
  • Misture até que a mistura esteja homogênea, cubra com um pano e deixe descansar por 15 minutos.
  • Sove a massa até que esteja elástica, juntando aos poucos água ou trigo se necessário.  Coloque num bowl untado com óleo, cubra e deixe crescer por 1 1/2 h a duas horas, até que dobre de volume.
  • Coloque a massa crescida numa superfície enfarinhada e amasse suavemente algumas vezes. 
  • Molde os pãezinhos (7 ou 8) e deixe crescer novamente numa forma untada com manteiga por aproximadamente 45min a uma hora.
  • Asse em forno pré-aquecido até que esteja dourado e passe no teste da batida (bata com os nós dos dedos na parte de baixo do pão até que saia um som oco).
  • Retire do forno e coloque os pães numa grade para esfriar.
  • Quando estiverem mornos cubra-os com uma mistura de 1 xícara de açúcar refinado e suco de meia ponkan. Espere endurecer um pouco a cobertura e depois coloque uma colher de chá de geleia de mexirica por cima para enfeitar.
  • Cobertura: Coloque sobre os pãezinhos com uma colher e espere secar. Com outra colher coloque a geleia de mexirica com cuidado, só para enfeitar.

zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

1-DSC09191

As Zorra, Bread Baking Day creator, said, “third time is a charm”…

This month BBD#60, wh ich theme is Glazed Breads, I went out of my head… it took me ages to choose which receipe to bake. In the end I had several recipes listed in order of my interest in them… and baked the two first ones. Well, neither one came out ok…in different days…can you imagine how upset I got? The first one was supposed to be a crunchy bread, it came out rubbery even though tasty… the second one was stranger…the bread to be became a pocket pie. Well, I did not give up on the recipes, will try them again.

This one is a variation of a bread that really got my tastebud, the  Lemon Sour Cream Bread, already posted in the blog.

I made some changes, twisted the lemon for tangerine, the sour cream for yogurt and made small breads glazed with tangerine juice and sugar drizzled with some tangerine jam. The result? So special! The perfume as the bread baked was something!

The dough is amazingly great to work with, so silky, you almost want to play with it as playdough…

Tangerine Yogurt Bread (7-8 small breads)

(240ml cup)

1/2 cup yogurt
2 tablespoons water
2 tablespoons soft unsalted butter
zest of two tangerines
3 cups All-Purpose Flour
3 tablespoons sugar
15g fresh yeast
1 1/4 teaspoons salt
3 large eggs

Glaze: 1/2 cup of tangerine juice and sugar (fine) until it holds together, like a thick glaze. Tangerine jam to drizzle on top.

  • Warm the yogurt and water to lukewarm in a microwave, or over very low heat, stirring constantly. Add the butter and stir until melted.
  • In another bowl, whisk together the zest, flour,  sugar, yeast, and salt. Add the dry ingredients to the yogurt mixture, then mix in the eggs.
  • Stir until the mixture becomes cohesive, then cover and set aside for 15 minutes.
  • Knead the dough — by hand, electric mixer, food processor or bread machine — until it’s smooth and elastic, adding a small amount of water or flour to make a smooth dough, if needed.
  • Place it in a greased bowl, cover the bowl, and set the dough aside to rise for 1 1/2 to 2 hours, until it’s doubled in bulk.
  • Turn the dough out onto a lightly greased surface and knead it gently a few times. Form it into 7 or 8 breads, and place it in a lightly greased  pan. Let them a little bit apart of each other, they´ll grow in volume.
  • Cover the pans, and allow the dough to rise for  45min to 1 hour, until it’s almost even with the top of the pan.
  • Bake the bread in a preheated oven until its golden in top. The temperature of the oven should be medium to low.
  • Remove from the oven, remove from the pans after 5 minutes, and cool completely on a rack.
  • Glaze: Cover the breads with the juice and sugar glaze. Let it dry for a bit and them drizzle the tangerine jam to garnish.

Torta americana de maçã para esquentar e fazer feliz

2 jun

DSC09016

(a foto foi tirada no final da tarde, com chuva…iluminação ruim…pena…ao vivo estava espetacular!)

Torta de maçã… uma paixão antiga, desde a infância quando lia histórias em quadrinhos do Pato Donald. A Vovó Donalda fazia aquelas maravilhosas tortas e as colocava fumegantes na janela da casa para esfriarem e sempre havia algum espertinho de olho para aproveitar a deixa e “nhac”. Provavelmente uma grande maioria dos leitores e amigos do blog desconhecem do que estou falando…mas meus amigos do século passado me entendem….

Daí conheci uma torta especialíssima feita pela tia Graciana, normalmente para acompanhar um frango ou pato assado…perfeição! Mas essa é segredo de família…

E depois conheci a verdadeira torta americana, na fonte…maravilha! Lembro-me de um passeio que fiz pelas terras Yankes quando visitei uma pequena cidade na Califórnia e tomei um café com torta de maçã quentinha e sorvete de canela….hummmmmmmm! As memórias gastronômicas ficam para sempre!

Esta receita me cativou na hora em que vi a foto dessa torta no blog da Paula!!!! Separei para testar e aí veio este final de semana de feriado, com friozinho…achei que era o momento perfeito! E que perfeição…acabou num piscar de olhos!

Fiz exatamente como ela ensina, só que usei maçãs Fuji e fatiadas bem fininho, apenas por gosto pessoal. Cheguei a cogitar usar um tempero que tenho e gosto chamado “Four Spices”, mas consegui resistir à minha mania de mudar as receitas na primeira vez em que faço, e aí ficou como ela descreve.

Na cobertura da torta resolvi fazer uma treliça com a massa para dar um toque e achei que ficou super bonita, modéstia à parte.

Para ser feita muitas e muitas vezes…acompanhada de um sorvete de canela (que ainda vou experimentar fazer), de creme, de chocolate e sem sorvete…deliciosa!

Segue a receita tal como a Paula postou, fiz algumas anotações pessoais!

Torta americana de maçã da vovó (receita daqui)

xícara 240ml

*Massa Brisée

(essa massa é um espetáculo! Acho que irei adotá-la….)

· 2 1/2 xícaras de farinha de trigo

· 1 colher de sopa de açúcar

· 1 colher de chá de sal

· 200g de manteiga gelada, cortada em pedacinhos (sem sal)

· 1/4 de xícara de água bem gelada (deixe um pouquinho a mais reservado, se precisar)

* Para o recheio

· 8 maçãs médias ácidas (usei Fuji) descascadas, sem o miolo e cortadas em fatias finas

· 1/4 de xícara de açúcar cristal

· 1 colher de chá de canela em pó

· noz moscada a gosto (opcional) – eu usei e ficou muito bom!

· 1 colher de sopa de suco de limão

· 1 colher de sopa de maizena

· 30g de manteiga cortada em pedacinhos (xi, esqueci!)

Para pincelar

· 1 gema, misturada com 1 colher de sopa de creme de leite (usei leite mesmo)

· açúcar cristal para polvilhar

Massa: No processador, pulse juntos a farinha, açúcar e sal para misturar. Junte os pedacinhos de manteiga gelada, e pulse algumas vezes para obter uma farofa grossa, com pedaços de manteiga maiores (os maiores devem ter o tamanho de ervilhas).  Com o processador ligado, junte a água gelada até a massa se juntar ligeiramente.

Passe para uma superfície de trabalho polvilhada com farinha de trigo e junte delicadamente a massa (vai estar um pouco seca e quebradiça, mas apertando um pouco ela se junta) formando uma bola. Se estiver ainda muito seca e não der pra juntar, espirre um pouquinho mais de água. (*Eu não tive grandes dificuldades…não usei mais água, a massa chegou junto direitinho!)Essa massa não deve ser amassada nem trabalhada em excesso, senão fica dura. Divida em duas partes e embrulhe em plástico. Deixe descansar na geladeira por 30 minutos. Reserve.

Numa tigela grande, misture as maçãs, açúcar, canela, noz moscada, suco de limão e a maizena com as mãos. Reserve na geladeira enquanto abre a massa.

Separe uma forma para tortas de vidro refratário redonda de 20cm.

Numa superfície de trabalho polvilhada com farinha de trigo, abra um dos discos de massa com o rolo e estique o suficiente para cobrir o fundo e laterais da forma. Ajeite com as mãos – se quebrar é só pressionar para remendar.

Corte a sobra de massa com uma faca ou tesoura e leve a forma forrada de massa ao freezer por 10 minutos.

*Prepare a tampa da torta: abra o segundo disco de massa. Coloque o recheio de maçãs sobre o fundo já preparado, formando um monte alto no centro e distribua os pedacinhos de manteiga por cima. Coloque o disco de massa da tampa sobre o recheio pressionando levemente,  sele as laterais com um garfo ou apertando com os dedos para formar um desenho bonitinho. (Eu fiz uma treliça com faixas de massa, coloquei as faixas de massa presas num lado, depois fui trançando as outras e colei nas bordas). Faça três furos com uma faca no topo da torta para escapar o vapor. Leve ao freezer por 20 minutos, enquanto aquece o forno a 200 graus. (Meu forno já estava quente, um pão havia acabado de ser assado. Pulei essa etapa do freezer por 20 minutos).

Coloque a torta sobre uma assadeira forrada com papel manteiga (dá menos trabalho pra lavar depois). Pincele com a mistura de gema e creme de leite (usei leite integral) e polvilhe com bastante açúcar cristal.

Asse por 20 minutos, até começas a dourar. Reduza o forno para 180 graus e asse por mais uns 40 minutos, até estar bem dourada. Deixe amornar e sirva – a torta é melhor consumida no mesmo dia em que foi feita, porque o recheio começa a amolecer a massa.

No dia seguinte o recheio endurece mais, fica mais fácil e bonito de servir, se sobrar para o dia seguinte…

DSC09019

Sorvete de tangerina com Grand Marnier

19 abr

DSC08677

Frio é uma delícia para comer chocolate, não? O corpo pede mais energia e aí nada como um pedaço (ou vários) de chocolate, mas e se você tem sempre dor de cabeça quando come chocolate? Daí fica difícil, ou come e segura a onda ou vai procurar algo que possa saciar a vontade (necessidade) que insiste em te cutucar…

Eu faço parte da segunda turma na maioria das vezes, algumas vezes não resisto e como o bendito chocolate torcendo para a dor de cabeça ir chatear em outro lugar…

Mas quando consigo ser mais comportada é porque algo diferente está a se formar no meu arquivo gastronômico cerebral…desta vez foi um sorvete que há tempos eu queria fazer. Tangerina com licor de laranja…pensei e repensei várias vezes a receita mas ainda não tinha conseguido testar…Ou não era época de tangerina ou não tinha o tal licor. Desta vez o Céu estava a meu favor…ganhei da mãe do marido um Grand Marnier, lacrado…na hora em que ela me deu veio a vontade do sorvete com o licor de novo…mas não havia tangerina perto.

Pois bem, o sorvete é DIVINO, isso mesmo, em letras garrafais. Ficou uma delícia e era bem mesmo o que eu estava querendo. Anote e faça, depois me conte se não é a maravilha dos sete mares?

Como eu já disse antes, aqui em casa sorvete é para todas as estações, mesmo no frio todos amam!

Mas esse sorvete é para os mais velhos…o licor é forte e álcool e criança não combina, não é?

DSC08679

Sorvete de Tangerina com Grand Marnier

Ingredientes:

sumo (coado) de 6 ou 7 tangerinas grandes

1 lata de creme de leite com soro

3/4 de uma caixinha de leite condensado (adoçe mais ou menos, conforme seu gosto)

zest de uma tangerina bem madura (tire antes de fazer o suco)

1 dose generosa de licor Grande Marnier (ou similar)

Modo de fazer: coloque no liquidificador o suco, creme de leite e o leite condensado e bata bem. Leve à geladeira por uma hora ou duas. Ligue a sorveteira e despeje o líquido e deixe a mágica acontecer. Quando o sorvete estiver quase no ponto adicione o licor e o zest da tangerina.  Coloque num pote próprio e leve ao freezer por uma hora aproximadamente. 

Delícia!!!!

Melhor de tudo: o sorvete não fica duro tipo pedra…ele ainda fica cremoso no dia seguinte…se você não acabar com tudo…eu guardei para tirar a foto…

Sorry pelas fotos não muito boas…a luz estava ruim e o sorvete derretendo muito rápido!

Figo seco recheado com nozes…

21 mar

Figo recheado com nozes (4)

Amo frutas secas, para mim não importa se é inverno, época em que nosso corpo pede comidas mais calóricas, mas em todas as estações as frutas e frutos secos estão presentes nas refeições e pratos que preparo. Uma salada com um mix de folhas verdes, um bom tempero com azeite extra virgem e vinagre de frutas vermelhas fica melhor ainda com pedacinhos de castanhas do Brasil ou avelãs, não? E pão integral feito com uvas passas ou cranberries e nozes? Macarrão com um molho branco e pistaches?

Sirva esses figos secos recheados com nozes e um vinho moscatel ou Porto e tenha certeza de que a refeição será fechada com chave de ouro! Perfeitamente saboroso, reconfortante e melhor ainda, saudável! Ou então quando bater aquela fome no meio da tarde prefira este lanche ao salgadinho ou comida industrializada.

Figo recheado com nozes

De acordo com a nutricionista Adriana Pessôa, em seu blog Vida Integral, o casamento dos figos e nozes é repleto de nutrientes.  A nutricionista escreve que “O figo é rico em fibras, potássio e magnésio. Os benefícios para a saúde incluem: prevenção de câncer e doenças cardiovasculares, auxílio na redução e manutenção do peso, melhora de problemas intestinais. As nozes são antioxidantes excepcionais. Ricas em vitamina E e omega 3 reduzem o colesterol LDL e diminuem a inflamação no corpo. Um alimento para manter o cérebro (e sua pele) jovem.”

Corte um figo seco ao meio sem separar as metades e recheie com meia noz mariposa. Arrume em um prato bonito e sirva!

Ganhei um quilo desses lindos figos e um pote de nozes…hummmmm! Dica do meu pai!

Abacaxi recheado gratinado

13 mar

DSC08279

Essa é uma daquelas receitas que logo que vi imaginei que maravilha deveria ser. Senti o perfume do abacaxi assado com o coco, fiquei pensando que receita ótima para um almoço de festa, numas férias à beira mar, bem verão…. e não demorou muito resolvi experimentar. Não era festa, não estou à beira mar…mas ainda é verão, então tá valendo!

Facílima de fazer, impressiona pelo resultado! O sabor é perfeito, o visual é lindo e fecha com chave de ouro a refeição!

DSC08278

A receita é daqui, com tradução livre e algumas adaptações minhas.

Abacaxi recheado gratinado

(um abacaxi grande serve bem como sobremesa 4 pessoas)

xícara 240ml

1/2 xícara de flocos de coco (adoçado)
1/2 xícara de biscoito de maizena em migalhas médias
1/2 xícara de castanhas do Brasil em pedacinhos (o original pede Macadâmia, mas não achei)
3/4 xícara de leite condensado
2 colheres (sopa) de Rum escuro (usei claro mesmo)
1 abacaxi grande, lavado e seco, cortado de comprido, com a coroa

Misture o coco, migalhas de biscoito e a castanha. Reserve.
Junte o leite condensado ao rum e misture. Reserve.

Coloque o abacaxi deitado numa tábua de corte e com uma faca de serra corte no sentido horizontal, inclusive a coroa. Retire o miolo mais duro e reserve para outra receita.

DSC08272

Numa assadeira forrada com papel alumínio ou papel manteiga coloque as metades do abacaxi com a casca para baixo.  Coloque um pouco da mistura de leite condensado e rum em cada metade.  Recheie as cavidades com a mistura de coco.  Por fim coloque o resto da calda de leite condensado e rum.

Asse a 180ºC por aproximadamente 10 a 15 minutos ou até que fique dourado o recheio. 
Sirva morno, com garfo e faca!

DSC08280

Lemon Bars

9 mar

DSC08242

Os limões galegos estavam lindos e super perfumados e fiquei com uma vontade de fazer uma torta ou algo parecido com eles…acabei achando esta receita, que ficou uma delícia! Com limão siciliano ou meyer deve ficar muito saborosa também!

DSC08267

Uma palavra sobre como são conhecidos os limões por aqui pelo nosso país…o Tahiti acho que é o mais conhecido, o Siciliano, Cravo ou Rosa. Mas dependendo de onde estejamos o nome pode mudar. Este da foto acima eu sempre conheci como Galego, desde pequena é assim que minha família chama. Mas na internet há vários sites que chamam o limão cravo de galego… Achei algumas informações e fotos aqui e aqui . Além da ótima foto e explicações da maravilhosa Neide Rigo do Come-se.

Minha tia Yvonne morou numa casa com um pé desse limão…era uma festa para os olhos e olfato! Lindos e perfumados! Adorávamos a limonada feita com ele! Mas não era fácil de achar, e acho que ainda hoje vai depender muito do estado em que você mora se nas feiras irá encontrá-lo. No supermercado nunca vi.

As barrinhas de limão ficaram um espetáculo, crocantes na parte de baixo e cremosas no meio…com uma delicada chuva de açúcar de confeiteiro por cima! Sou uma amante dos cítricos então essa receita é uma descoberta! Delícia!

Ah, só uma dica, nesse blog há várias dicas com relação aos tamanhos de formas em polegadas e sua correspondência em centímetros, temperaturas e volume das formas e outras informações super úteis para quem gosta de procurar receitas em blogs e sites gringos que usam outro sistema de medidas como o americano, inglês…

A receita veio da Bakerella, uma fonte inesgotável de inspiração gastronômica. A tradução livre é minha…

DSC08239

Lemon Bars

xícara 240ml

Massa: 1 xícara de manteiga gelada sem sal

         1 3/4 xícara de farinha de trigo

         2/3 xícara de açúcar de confeiteiro (*eu não tinha, bati o açúcar refinado no liquidificador e usei)

Recheio: 1 1/2 xícara de açúcar refinado

          1/4 xícara de farinha de trigo

          1 colher (chá) de fermento em pó

          4 ovos inteiros, ligeiramente batidos

          1/2 xícara de suco de limão galego

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte e enfarinhe uma forma retangular de 23 x 32,5 cm.

Para fazer a massa: numa tigela média misture a farinha de trigo e o açúcar de confeiteiro. Acrescente a manteiga em quadradinhos e vá misturando com duas facas ou a ponta dos dedos até que a mistura fique homogênea e a textura seja como migalhas grandes.  Acomode a massa no fundo da forma. Asse por 20 minutos ou até começar a dourar.

Recheio: enquanto a massa está no forno prepare o recheio.  Numa tigela grande coloque o açúcar, farinha de trigo e o fermento, misture.  Aos poucos acrescente os ovos ligeiramente batidos e o suco de limão.  Mexa bem e coloque sobre a massa já assada ainda quente.  Asse por mais 20/25 minutos.

Espere esfriar e corte em quadrados. Polvilhe açúcar de confeiteiro e sirva!

A receita recomenda servir gelado…mas eu prefiro na temperatura ambiente!

Total citrus love!

PS: para outras maravilhas de limão que já deram pinta por aqui veja este link e este.