Arquivo | Frutas RSS feed for this section

Moqueca de manga

4 fev

DSC08065

Ontem almoçamos essa delícia, uma receita que aproveita o que está na estação, suculentas, perfumadas e lindas mangas! Hummmm! Marido disse ser moqueca de “peixe-manga”. Os temperos deixam um gostinho de moqueca mesmo, não fica doce como sobremesa ou algo do gênero.

Usamos mangas orgânicas, tente conseguir da roça ou de um vizinho…são melhores, senão use as compradas no supermercado mesmo…

Melhor de tudo, receita leve, vegetariana e barata!

Adorei e acho que é a época certa para postar aqui, já que as mangas estão lindas e super saborosas! Aproveitem e façam, não vão se arrepender!

A receita é antiga, copiada pela minha mãe de um programa gringo na TV paga…ela não lembra e não anotou a fonte, disse que era um programa de uma indiana que havia sido educada no Ocidente.

DSC08063

Moqueca de Manga

(serve 4 pessoas)

1 cebola média em cubinhos

1 lata de tomate pelati ou 6 tomates maduros (sem pele e sementes)

um punhado de cebolinha picada

um punhado de salsinha picada

3/4 de uma pimenta dedo-de-moça picada e sem sementes

sal à gosto

1/2 colher (café) de açafrão

1/2 colher (café) de curry

1 colher (café) de coentro seco (torrado e moído)

um punhado de coentro fresco picado

suco de 1 limão

azeite

8 mangas grandes (10 médias) maduras cortadas em fatias grossas

2 garrafinhas de leite de coco

Numa penela para moqueca ou uma panela grossa, faça um refogado com azeite, tomates, pimenta. Deixe pegar gosto e cozinhar um pouco os tomates. Adicione os condimentos.  Junte o leite de coco e suco de limão. Acerte o sal. No final coloque as fatias de manga e deixe apurar uns 5 minutos. A manga não deve cozinhar muito, deve ficar firme. Sirva quente com arroz branco.


DSC08069

Obstkuchen ou uma torta de morango

20 dez

DSC07243

Essa receita de torta é uma delícia e super fácil e rápida, perfeita para aquelas horas que em dá vontade de fazer uma sobremesa ou um agradinho para o lanche mas o tempo é escasso.

Obst é fruta em alemão, a massa é perfeita para levar uma camada de frutas!  Receita de uma amiga alemã da minha mãe. Figurinha fácil aqui em casa e até aqui no blog…mas o que é bom a gente repete e divide, não é?

Os morangos ficam ótimos na cobertura pois são doces e ao mesmo tempo tem um sabor meio ácido…o contraste com a massa é delicioso.

Fiz da última vez numa tarde cinzenta que pedia um colorido lindo desses para alegrar nosso espírito…

DSC07246

Obstkuchen

(xícara medidora 240ml)

(serve tranquilamente 6 pessoas famintas)

Massa:

125g de manteiga sem sal (em temperatura ambiente)

1 xícara de açúcar refinado (ou açúcar cristal passado no liquidificador)

uma pitadinha de sal

1 colher (chá) de fermento para bolo

2 xícaras de farinha de trigo

zest de limão ou laranja (ou uma colher de café de rum)

Num bowl misture muito bem a manteiga com o açúcar até ficar um creme. Acrescente o fermento, trigo e o sal. Por último o zest de limão.

Forre uma forma de fundo falso, fundo e laterais, com a massa e leve ao forno médio até dourar, uns 20 minutos aproximadamente.

Retire do forno e deixe esfriar. Reserve.

Recheio:

2 gemas

1 lata de leite condensado

1 1/2 lata de leite

1 colher (sobremesa) de amido de milho dissolvido no leite

1/2 colher (chá) de essência de baunilha

Leve ao fogo (baixo a médio) numa panela todos os ingredientes já misturados.  Deixe engrossar sem grudar no fundo da panela. Coloque sobre a torta já assada e fria.

Cobertura:

morangos limpos e cortados ao meio na altura

Sobre o recheio da torta arrume os morangos deitados. Sirva imediatamente.

Obs: se quiser faça um creme com suco de 3 laranjas e um pouco de amido de milho, engrossado no fogo. Jogue sobre as frutas já arrumadas na torta. Duram mais e não ficam escuras. Eu prefiro sem.

Pavlova de aniversário

23 nov

Pavlova.2

Semana passada foi aniversário da minha mãe, houve um almoço para comemorar e me ofereci para fazer o bolo.  Ela então me surpreendeu e pediu uma Pavlova!

Com o calor que está fazendo por aqui e a safra de amoras a todo vapor foi uma escolha super acertada.

A sobremesa é muito leve, fácil de fazer e claro, deliciosa!  A receita que segui foi a da Donna Hay, australiana que gosto muito e que ao meu ver tem receitas fáceis e saborosas. 

Anna Pavlova, uma bailarina russa que visitou a Austrália e a Nova Zelândia nos idos de 1920, encantou os dois países e a linda e saborosa sobremesa foi uma homenagem à dançarina.  Não se sabe ao certo qual dois dois países foi o criador do prato, há quem forneça evidências nos dois lados, mas o que realmente importa é que é leve e deliciosa.

Se a receita for seguida de acordo com as explicações não tem erro, pode fazer que dá certo.

Depois que fiz e experimentamos, ficamos apaixonados, que delicadeza e textura especiais! Vou fazer outras muitas vezes, quem sabe em porções individuais? Ou com recheio de frozen iogurte? Hummmmm!

Pavlova (retirado daqui e ligeiramente adaptado)

  • 150ml claras (approximately 4 eggs) em temperatura ambiente
  • 220g açúcar de confeiteiro * (bata o açúcar cristal ou refinado no liquidificador e terá o mesmo efeito)
  • 2 colheres (sopa) de amido de milho peneirado
  • 2 colheres (chá) de vinagre branco * usei de maçã
  • 1 colher (café) de extrato de baunilha
  • 1 colher (café) de raspas de limão (zest)
  • 250ml de creme de leite fresco gelado
  • amoras pretas (inteiras e cortadas também)
  • morangos cortados em quatro

  Pré-aqueça o forno a 150°C.

  Todos os utensílios a serem utilizados devem estar muito limpos e secos, caso contrário o resultado pode ser comprometido.

   Forre uma assadeira com papel vegetal e desenhe com lápis um círculo de 18/20 cm de diâmetro.

  Coloque as claras na tigela da batedeira e ligue na velocidade média até que forme picos. Aos poucos vá colocando o açúcar às colheradas, batendo bem, até que fique com a consistência dura e comece a brilhar.

  Junte o amido de milho, as raspas de limão e o vinagre e com um fuet ou uma espátula misture delicadamente só até combinar.  Coloque a mistura sobre o papel vegetal (ou manteiga) já sobre a forma e forme um “monte” de 18/20 cm de diâmetro, deixando a parte de cima mais lisa.

Reduza a temperatura do forno para  120°C  e asse por aproximadamente 1 h e 20 minutos. Desligue o forno e deixe a Pavlova esfriar completamente lá dentro.

  Se não for ser consumida logo, a Pavlova pode ser guardada até 5 dias num container hermético sem o recheio de creme e frutas.

Pavlova(assada sem o recheio)

  Para servir logo: bata o creme de leite fresco até formar o chantilly com 2 colheres de açúcar de confeiteiro ou refinado (conforme instruções da embalagem) e o extrato de baunilha.  Com cuidado quebre a parte de cima da Pavlova (com cuidado senão os lados podem se partir e aí não ficará tão bonita!) e coloque o chantilly. Cubra com as frutas e sirva imediatamente. Serve de 8-10 porções.

* O ponto do merengue em picos e brilhante é atingido ao ter triplicado o volume da mistura.  Outra dica é segurar as pás da batedeira de cabeça para baixo e o merengue não cair, formando picos duros.

* A baixa temperatura do forno faz com que o merengue cresça e o longo cozimento o seca tornando a casca crocante.

* Da próxima vez vou experimentar esquentar um pouco as claras antes de bater, como se faz com suspiros, acho que a consistência fica melhor.

* A receita original usa polpa de maracujá e morangos, mas há outras milhares de combinações de frutas, kiwi, tangerinas, banana, framboesas, manga, abacaxi, mirtilos…fica a seu critério.

Veja um vídeo da execução da receita aqui .

Pavlova.4

Strudel de Amora Preta

9 nov

DSC07193

Outra delícia que não resisti enquanto procurava receitas para fazer usando a amora colhida na casa dos meus pais…a lista é grande…

Assim que vi a foto tive certeza de que seria aprovada…já fizemos duas vezes na mesma semana…será que gostamos?

A receita original usa framboesas, mas substitui por amoras pretas (blackberries) pois temos uma fartura delas por aqui. E são muito mais saborosas usadas ainda frescas, então anotem e corram para testar!

DSC07154

Duas palavras antes da receita: geléia consistente e crème fraiche.  Deixem-me explicar… O recheio leva geléia. Da primeira vez usei uma calda que fiz com amoras, açúcar e um tantinho de água. Vazou bastante…daí na segunda vez resolvi substituir por uma geléia bem durinha que minha mãe havia feito, só com as amoras e açúcar numa panela no fogão até dar ponto. Muito melhor, quase não vazou. Assim fica mais bonito e gostoso!

DSC07165

Ah, o crème fraiche…esse é um capítulo à parte… há tempos venho procurando sem sucesso esse creme para usar em receitas “gringas”. Nunca achei por aqui…É um creme mais espesso que o creme de leite mas um pouco mais ácido, ligeiramente envelhecido, o que lhe confere um sabor e textura diferentes. Usado sobre frutas ou doces mais açucarados dá um contraponto ao açúcar! O sabor é um pouco menos forte do que o “sour cream”.  A receita é fácil e dá certo. Adoramos!

Strudel de Amora Preta (Blackberry Strudel)

adaptado de bunsinmyoven.com (Raspberry Coffee Cake) e de sweetannas.com

xícara 240ml

Ingredientes:

2 xícaras de farinha de trigo

1 colher (chá) de fermento para bolo

1/2 colher (chá) de sal

1/2 xícara de manteiga gelada em cubinhos

85g de cream cheese bem gelado

1/2 xícara de leite (ou um pouco menos dependendo de onde você mora)

1 xícara de geléia de amora (bem consistente)

1/2 xícara de açúcar de confeiteiro

1 colher (sopa) de leite

1/4 colher (chá) de extrato de amêndoas ou baunilha

Modo de fazer:

Pré-aqueça o forno a 220ºC. Num bowl médio misture o trigo, fermento e o sal.  Junte a manteiga em cubinhos e o cream cheese. Com um pastry cutter ou um garfo vá misturando os ingredientes até que a mistura pareça migalhas grandes.

Aos poucos junte o leite, 1/4 da xícara, sobre a mistura de trigo e manteiga e vá amassando com o garfo até que fique homogênea. Pode ser necessário ou não usar o leite todo (a 1/2 xícara da receita).  O ponto certo é quando a massa não gruda nos dedos.

Leve a uma superfície levemente enfarinhada e misture com as pontas dos dedos 4-5 vezes até que forme uma bola.  Abra a massa com um rolo de macarrão num retângulo de 30cm x 24cm e cuidadosamente coloque sobre uma forma forrada com papel manteiga.  Eu enrolei a massa no rolo e com cuidado desenrolei sobre a forma forrada com o papel manteiga.

DSC07188

Com o lado não afiado de uma faca faça três colunas no sentido vertical, do lado mais fino.  Não é para cortar, só faça uma marca guia.  Na coluna do meio espalhe a geléia. Faça cortes diagonais como franjas nas duas colunas exteriores.  Vá dobrando as franjas como se fosse uma trança sobre a geléia. (A autora do blog sugere pincelar eggwash ou creme sobre o strudel antes de ir ao forno para dourar mais. Eu não fiz, é opcional!)

DSC07189

DSC07190DSC07191

Asse por 12-15 minutos, dependendo do seu forno, ou até que esteja dourado o strudel.

Enquanto o strudel esfria, já fora do forno, faça a cobertura.  Num bowl pequeno misture o açúcar de confeiteiro, o leite e o extrato escolhido.  Com cuidado vá derramando sobre o strudel.  Corte e sirva com uma xícara de café bem forte!!! Nós servimos com um pouco mais de geléia e crème fraiche! Nota 10 para a receita, já virou favorita!

O melhor de tudo é que parece algo bem difícil de fazer e não é mesmo! A massa fica pronta rapidinho, o mais demorado é o tempo do forno! E é tão linda e chique, não?

Pode ser congelada já pronta. Retire do congelador e leve ao forno a 180ºC por alguns minutos para esquentar.

DSC07197

Crème Fraiche

Coloque num vidro grande, bem lavado e esterilizado, 3/4 de creme de leite fresco e preencha o resto (1/4) com iogurte natural.  Deixe por 12/24h fora da geladeira até que vire o crème fraiche e refrigere até a hora de usar!  Simples assim. (receita daqui)

Eu usei um vidro vazio de picles de pepinos. Deu super certo.

Alguns outros usos para o Crème Fraiche:

  • coloque no purê ou gratinado de batatas;
  • misture com ervas frescas picadas para fazer um patê;
  • junte ao molho de salada para que fique mais espesso e com um sabor mais ácido;
  • coloque colheradas na sopa na hora de servir, fica com uma textura aveludada;
  • mais sugestões aqui.

Blackberry ricotta cake

29 out

DSC07090

É estação das amoras pretas e com tantas frutas amadurecendo na casa da minha mãe (maravilha de terra!) ficamos pensando em receitas para usá-las. Muitas estão congeladas para quando a estação das amoras acabar, mas prefiro usá-las nas receitas enquanto estão recém-colhidas!  Fizemos jarras e jarras de suco, as crianças adoram, e até vitamina com iogurte natural fiz para minha pequena! Delícia total!

Tinha ricota feita em casa dando sopa na geladeira, daí pensei por que não experimentar este bolo?  A ricota deixa a massa com uma textura diferente, não é um bolo fofo, e sim denso. Isso não significa que é pesado, mas definitivamente é muito saboroso.

Na próxima vez acrescentarei mais amoras, talvez duas xícaras ou duas e meia sejam o ideal.  Como usei uma forma de torta de 25cm as amoras ficaram meio perdidas na massa…na foto do blog de onde veio a receita parece que contém mais fruta. Também devo dizer que mudei a fruta, eram mirtillos e usei amoras, já que era o que tínhamos.

Fiz uma calda de amoras com açúcar para comer com o bolo…boa pedida!

DSC07093

Blackberry ricotta cake

(adaptado de Eatgood4life)

xícara 240ml

1 1/2 xícara de trigo
1 colher (chá) de fermento para bolo
1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
3/4 xícara de açúcar + 2 colheres (sopa)
1 xícara de ricota
2 ovos
1/4 xícara de leite (usei o soro da ricota)
suco de dois limões
1 1/2 xícara de amoras pretas frescas (use 2 1/2 xícaras)
Pré-aqueça o forno a 175ºC.  Unte e enfarinhe uma forma de torta e reserve. Usei papel manteiga no fundo da torteira além de untar e enfarinhar.

Num bowl misture com um fuet os ovos, açúcar, leite, suco de limão e a ricota.  Acrescente o trigo, fermento e o bicarbonato.  Em outro bowl cubra as amoras com 1 colher (sopa) de trigo para que não afundem na massa.  Despeje a massa na forma e coloque as amoras sobre a massa de forma que fiquem espalhadas.
Asse por 55-60 minutos ou até que passe no teste do palito. Deixe esfriar por 30 minutos antes de desenformar.

Calda de amora:  leve ao fogo numa panela média 3 xícaras de amoras frescas e 1 1/2 xícaras de açúcar.  Fogo baixo. Mexa sempre até que o açúcar comece a derreter e formar uma calda com as amoras. Use uma colher para desfazer as frutas e soltar o caldo.  Deixe apurar um pouco e desligue. Guarde na geladeira e sirva sobre o bolo.

Torta de amora preta (blackberry)

13 dez

DSC05504

Mais uma deliciosa receita para aproveitar as lindas e suculentas amoras (blackberries) da casa da minha mãe. Temos que ser rápidas, elas amadurecem e logo os insetos atacam, daí não servem mais para o consumo humano. Desta vez colhi com muito cuidado, somente as que estavam intactas, bem maduras e ainda assim colhi quase dois quilos!

DSC05480

Resolvi fazer um pouco de geléia com limão siciliano e também sorvete (mas esqueci de fotografar, ficou de um roxo maravilhoso!) e um tantinho que restou fiz esta torta. 

Esta receita está no caderno da minha mãe há um tempão, não tem a fonte… É super fácil de fazer. O segredo é a fruta que será a rainha da torta, tem que estar no auge da estação e segurar bem um tempo de forno.

Simples assim. Gosto da receita pois a massa não é massuda, fica um equilíbrio bom entre a quantidade de massa e a fruta. Ainda mais quando é uma fruta carnuda como essa amora…

Esta receita já apareceu por aqui, mas como é fácil, gostosa e muito versátil, apresento agora com outra fruta!

DSC05506

Torta de Amora Preta

125g de manteiga sem sal em temperatura ambiente

125g de açúcar

2 ovos em temperatura ambiente

250g de trigo

1 pitada de sal

1 colher (chá) de fermento em pó (para bolo)

zest (casca ralada) de 1 limão ou 1 colher (sopa) de rum

amoras pretas frescas lavadas e secas

açúcar baunilhado ou de confeiteiro

Modo de fazer:

Num bowl misture todos os ingredientes, menos as frutas,  mexendo com uma colher de pau para incorporar bem.

Forre o fundo de uma forma de 25cm de fundo falso, não precisa untar. Por cima da massa arrume as frutas inteiras se forem pequenas como amoras, cerejas, uvas Isabel, morangos, framboesas etc…

Deixe dourar nas bordas em forno médio/baixo. Assim que retirar do forno polvilhe açúcar de baunilha ou de confeiteiro sobre a fruta. Espere esfriar e desenforme com cuidado.

Melhor consumir em no máximo dois dias pois a fruta pode deixar a massa úmida.

Banana à milanesa para a Maria

3 dez

DSC05658

Mesmo um pouco atrasada não quis deixar de mandar essa sugestão simples e saborosa para a Maria, uma portuguesa guerreira voluntária no Timor Leste e leitora do Tertúlia de Sabores. A Moira pediu aos leitores e amigos que dessem sugestões de receitas para a Maria usando um número reduzido de ingredientes e utensílios que ela possui. Leia mais aqui.

Essa receita é simples e muito saborosa, não costumo fazer muito pois é fritura e prefiro utilizar o forno para empanados, mas o gostoso é frita mesmo.

O termo à milanesa significa que é empanado com farinha de rosca, no caso a banana é passada em ovos batidos e depois na farinha de rosca. Diz-se que o termo vem de uma receita servida num almoço em Milão (Itália) em 1134. Leia mais aqui.

Maria, espero que adoce seus dias! Parabéns ao Tertúlia de Sabores e a Moira pela linda iniciativa!

Banana à milanesa

(para duas pessoas)

4 bananas nanicas médias ou 2 grandes descascadas

1 ovo batido (usei caipira)

farinha de rosca para empanar *

óleo para fritar

* eu faço minha farinha de rosca, guardo o pão francês que não é consumido e depois passo no ralador do processador, fica uma farinha mais flocada, tipo Panko. Ou então passo na lâmina mesmo, aí fica bem fininha. Depende do que irei empanar. A banana com a farinha de rosca flocada ficou mais crocante!

Passe as bananas no ovo batido, depois na farinha de rosca e frite em óleo quente até dourar. Escorra numa toalha de papel e sirva quente.

Eu servi com arroz e frango ao curry, mas pode ser sobremesa se servir com uma bola de sorvete de creme ou chocolate!

Torta de banana da nona

11 nov

Torta de Banana da Nona

Minha mãe me passou um recorte de jornal com esta receita e o que me intrigou foi o fato de levar gengibre e pimenta no recheio…fiquei com água na boca para testar.

Fiz duas vezes, na primeira achei que o recheio poderia ter um pouco mais das especiarias e não gostei muito da massa. Mas como era a primeira vez que fazia segui a receita. Já na segunda vez resolvi usar esta receita de massa que me agrada sempre e aumentei a quantidade de gengibre e pimenta. Resultado:  abusei e ficou forte demais!

Então, na minha opinião outra massa vale mais a pena, mas é melhor usar as quantidades de gengibre e pimenta que a receita dá…ou então pode acabar com a boca ardendo…

Sua receita favorita de torta ou esta aqui (que acho muito saborosa), só diminuí a quantidade de manteiga de 120g para 100g.

Torta de Banana da Nona.4

Vale  a pena, a combinação do recheio é genial e inusitada! A receita é do Edu Guedes. Segue como ele deu, mas eu prefiro outra massa.

Não vou nem falar nada da falta de posts…não quero cair no lugar comum, mas tá complicado arrumar tempo… de qualquer forma não vou abandonar vocês, mesmo que seja em visitas esporádicas…! Um beijo!

Torta de Banana da Nona

Ingredientes:

Massa
1 ½ xícara de farinha
2 colheres de sopa de açúcar
1 pitada de sal
½ xícara de manteiga
1 gema
1 colher de sopa de água
Recheio
4 bananas nanicas maduras
1 colher de café de canela
1 colher de café de pimenta dedo de moça picada sem semente
1 colher de sobremesa de gengibre picado
1 colher de sobremesa de açúcar

Modo de preparo:

Massa
Misturar a farinha, o açúcar e o sal num pote. Acrescentar a manteiga na temperatura.
Quando a manteiga estiver incorporada, adicionar a gema e a água e deixar a massa homogênea.
Não mexer muito.
Descansar 15 minutos na geladeira.
Abrir a massa, colocar em uma forma, colocar o recheio e fechar nas bordas.

Obs: usei uma forma pequena que tenho, de uns 20cm, o melhor é se tiver fundo falso.
Recheio
Cortar a banana em rodelas.
Misturar o gengibre, a canela, a pimenta e no fim o açúcar.
Colocar sobre a massa e fechar a mesma nas bordas.
Assar em forno baixo até dourar.

6th World Bread Day–Lemon Sour Cream Bread

16 out

DSC04993image

(Scroll down for English please)

Seis anos de World Bread Day, lindo evento que exalta as maravilhas de fazer pão.  Adotado pela Zorra do blog Kochtopf, reune amantes de pães pelo mundo, dividindo histórias e receitas.

Já consegui me organizar para participar em 2007, 2008, 2009, 2010 e agora este ano.. se não fosse a Angela me lembrar, quase deixei passar em branco. Obrigada, querida!

Esse pão é daqueles que perfuma a casa, conquista pelo visual e pela textura e sabor, além de ser fácil de fazer. Outra receita com limão siciliano…uma paixão por aqui.

A receita veio do King Arthur Flour, em inglês aqui e em português com tradução livre:

Lemon Sour Cream Bread

1/2 xíc sour cream (já usei iogurte e também buttermilk* de outra vez)

2 colheres (sopa) de água

2 colheres (sopa) de manteiga (temperatura ambiente)

1 colher (sopa) de zest de limão siciliano

3 xícaras de trigo branco

1/2 xícara de farinha de amêndoas (não usei pois não tinha)

3 colheres (sopa) de açúcar

2 colheres (chá) de fermento biológico seco ou 15g de fermento fresco

1 1/4 colheres (chá) de sal

3 ovos grandes

1 colher (chá) de zest de limão  siciliano ou 1/8 de colher (chá) de Fiori de Sicilia ou 1/4 colher (chá) de óleo de limão

*buttermilk: numa xícara de leite integral coloque uma colher bem cheia de vinagre ou limão para talhar e espere 5 minutos.

Aqueça o sour cream (iogurte ou buttermilk) com a água até estarem mornos, mexendo sempre.  Junte a manteiga e mexa até que tenha derretido. 
Em outra vasilha misture o zest de limão, trigo, farinha de amêndoas (se usar), açúcar, fermento e sal.  Juntes os ingredientes secos aos úmidos e depois acrescente os ovos e o zest adicional (ou o óleo de limão).  Misture até que a mistura esteja homogênea, cubra com um pano e deixe descansar por 15 minutos.

Sove a massa até que esteja elástica, juntando aos poucos água ou trigo se necessário.  Coloque num bowl untado com óleo, cubra e deixe crescer por 1 1/2 h a duas horas, até que dobre de volume.

Coloque a massa crescida numa superfície enfarinhada e amasse suavemente algumas vezes.  Molde o pão (é um pão grande, se não tiver uma forma grande, faça dois) e coloque para crescer novamente numa forma untada com manteiga por aproximadamente 1 1/2 h.  Asse em forno pré-aquecido até que esteja dourado e passe no teste da batida (bata com os nós dos dedos na parte de baixo do pão até que saia um som oco).

Retire do forno e coloque o pão numa grade para esfriar.

DSC05003(os limões lindos que ganhei novamente do pediatra das crianças, enormes!)

Na MPF: coloque na cuba untada com óleo os líquidos e depois os ingredientes secos. Use o ciclo amassar.

Depois do ciclo completo retire a massa da panificadora e molde o pão, coloque para assar numa forma untada com manteiga e deixe crescer novamente até dobrar de volume. Cresce bem, se não tiver forma grande é melhor fazer dois pães.

Asse em forno pré-aquecido até  que esteja dourado e passe no teste da batida (bata com os nós dos dedos na parte de baixo do pão até que saia um som oco).

Retire do forno e coloque o pão numa grade para esfriar.

xxxxxxxxxxxxxxxx

DSC04999

World Bread Day is completing 6 years today! This great baking bread event adopted by Zorra from Kochtopf gather bread lovers all over the world sharing stories and recipes.

I´ve managed to participate in 2007, 2008, 2009, 2010 and this year almost passed blank if  dear Angela hadn´t reminded me.  Thanks my friend!

This bread is one of those that perfumes your house, conquer by its looks and texture, and the flavor… also is easy to make! Another recipe using lemon, a passion around here!

The recipe comes from the wonderful site King Arthur Flour.

Lemon Sour Cream Bread

1/2 cup sour cream (I´ve used yogurt and also buttermilk*)
2 tablespoons water
2 tablespoons soft butter
1 tablespoon lemon zest
3 cups King Arthur Unbleached All-Purpose Flour
1/2 cup almond flour or very finely ground almonds (didn´t have)
3 tablespoons sugar
2 teaspoons instant yeast
1 1/4 teaspoons salt
3 large eggs
1/8 teaspoon Fiori di Sicilia or 1/4 teaspoon lemon oil, or 1 teaspoon lemon zest

*buttermilk: put 1 tablespoon lemon juice in a cup of whole milk, wait 5 minutes and use.

Warm the sour cream and water to lukewarm in a microwave, or over very low heat, stirring constantly. Add the butter and stir until melted. (If you’re using a bread machine, as long as the butter isn’t super-cold you can skip this step; just put the ingredients into the bucket of the machine in the order recommended by the manufacturer. You may also choose to bake the bread right in the machine; instead of programming for dough, program for basic or white bread.)
In another bowl, whisk together the lemon zest, flour, almond flour or almonds, sugar, yeast, and salt. Add the dry ingredients to the sour cream mixture, then mix in the eggs and flavor (or additional zest). Stir until the mixture becomes cohesive, then cover and set aside for 15 minutes.
Knead the dough — by hand, electric mixer, food processor or bread machine — until it’s smooth and elastic, adding a small amount of water or flour to make a smooth dough, if needed. Place it in a greased bowl, cover the bowl, and set the dough aside to rise for 1 1/2 to 2 hours, until it’s doubled in bulk.
Turn the dough out onto a lightly greased surface and knead it gently a few times. Form it into a log, and place it in a lightly greased 13 x 4-inch pain de mie pan; or divide it in half, and place it in two lightly greased 8 1/2 x 4 1/2-inch bread pans. Cover the pans, and allow the dough to rise for 1 to 1 1/2 hours, until it’s almost even with the top of the pan. Bake the bread in a preheated 350°F oven for 22 to 26 minutes, or until its internal temperature registers 190°F on an instant-read thermometer. Remove from the oven, remove from the pans after 5 minutes, and cool completely on a rack. Yield: 1 or 2 loaves, 16 servings.

Torta de amora

28 set

DSC05206

Dois quilos de amora colhidos no condomínio onde moram meus pais…que dúvida, o que fazer com elas????

Dividimos, minha mãe fez calda para manjar  ou sorvete e geléia, eu fiz torta e geléia.  E ainda tem mais para colhermos! Hummmmmmmm!

DSC05205

A amora brasileira, chamda MORUS CELTIDIFOLIA, mais doce do que a amora preta ou blackberry, que também é muito apreciada por aqui, é velha conhecida nossa.  Quando moramos na praia sempre íamos colher as frutas que acabavam estragando nos pés ou caindo no chão por falta de alguém para apanhar. Na fazenda dos meus avós as amoreiras eram super frondosas e generosas e agora demos a sorte de ter as frutas onde meus pais moram.  Já estou planejando outra visita…

Esta torta não poderia ter ficado mais especial, na hora em que minha mãe disse que as amoras já estavam maduras pensei imediatamente nela, a massa veio daqui e o recheio adaptado do livro “O homem que comeu de tudo”.

Fiz numa torteira quadrada de louça, pois ainda não achei uma forma de torta que sai o fundo do diâmetro que desejo, então não desenformei, mas ficou divina, já que o recheio fica firme.

DSC05197

Torta de Amora

Para a massa:

1 e 1/4 xícaras de farinha de trigo;

1 colher de chá de sal;

1 colher de chá de açúcar;

120g de manteiga gelada em pedacinhos;

3 colheres de sopa de água gelada (usei só 1)

Preparo da base:

Misture farinha, sal e açúcar. Adicione a manteiga e amasse com a ponta dos dedos até formar uma farofa. Adicione as colheradas de água aos poucos, amassando o suficiente para formar uma bola homogênea. Forre o fundo e as laterais de uma forma de 22cm de diâmetro*, deixando uma borda de 2cm. Aperte a borda com os dedos para formar o acabamento. Reserve na geladeira.

*Usei uma forma quadrada, deu certinho a quantidade da massa.

Açúcar cristal, para polvilhar.

Para o recheio:

4 copos de amora

1 1/2 xícaras de açúcar

2 colheres (sopa) amido de milho

1/2 colher (chá) de sal

2 colheres (sopa) suco de limão

Misture tudo (o limão somente na hora de rechear a torta) e recheie a torta ainda crua. Cubra a torta com o outro pedaço da massa. Use um garfo para fixar bem as partes da massa.  Faça alguns cortes na cobertura para o vapor sair ou como eu, use cortadores de cookies pequenos para fazer desenhos.

Polvilhe açúcar cristal e leve ao forno médio até dourar.

Espere a torta amornar para cortar.