Arquivo | Já te vi (reaproveitamento de alimentos) RSS feed for this section

Quiche de frango com gorgonzola

22 fev

New_fev10 009

Até que enfim consegui um tempinho para o Mangia! Essa coisa de feriadão e tudo mais (viagem, voltar para casa, aniversário, arrumar tudo…) é uma loucura, não? 

O Carnaval foi ótimo, curti muito a família e descansei bastante.  E vocês? O batuque foi bem light, levamos o pequeno a uma matinê com a prima e eles adoraram! Foi uma graça, os dois têm quase a mesma idade e fantasiamos de Tarzan e Jane, com modelitos feitos pela vovó. Bem baratinhos e próprios para o calor!

Essa receita é uma boa para esses dias de relax, fácil de fazer e pode ser servida fria ou quente.  Aproveite o que há na sua geladeira!  Eu usei para o recheio frango desfiado já cozido (sobras!) e gorgonzola para dar um tchan.  Pode ser feito com outro queijo e até com couve-flor, brócolis ou milho verde. Use a imaginação.

Até para servir naquele jantar especial pode ser usado frango defumado ou peito de peru com tomates temperadinhos com manjericão e azeite.  Para um lanche ou almoço do dia a dia ou para aquele jantar especial esta receita pode se encaixar perfeitamente nas suas necessidades.

A receita da massa é a minha receita básica, faço na mão ou no processador de alimentos quando estou com preguiça. Fica igual.

Vamos lá?

Quiche de frango com gorgonzola

Massa: (para uma forma de 25cm)

200g de manteiga com sal (temperatura ambiente)

2 xícaras de trigo (aproximadamente)

1 colher (sopa) de água fria

uma pitadinha de sal

Misture esses ingredientes até formar uma massa homogênea.  Caso precise acrescente um pouco mais de trigo para não ficar muito mole.  Forre uma forma de fundo falso na lateral e bordas.  Faça furos com um garfo para não formar bolhas na massa quando estiver assando.  Leve ao forno para pré-assar por uns 10 minutos.  Retire e reserve. 

* Essa massa pré-assada congela muito bem.  Caso queira deixar pronta no seu freezer para fazer a quiche quando precisar e só deixar esfriar e levar ao freezer dentro de um saco próprio para congelamento, sem desenformar.  Pode ser feita em formas pequenas de quiche.

Recheio:

4 ovos (separe claras e gemas)

200ml de iogurte natural

1 xícara de frango cozido, desfiado e refogado com alho e cebola (morno)

uma pitada de sal

2 colheres (sopa) de gorgonzola picadinho

Bata as claras em neve e com uma espátula incorpore as gemas e o iogurte.  Não é para bater, misture com cuidado.  Junte o frango, sal e o queijo.  Coloque na massa pré-assada já fria e salpique páprica doce ou colorau.  Leve para assar em forno médio até que esteja dourado e o centro esteja firme.  Deixe esfriar para desenformar. Sirva quente ou frio.

Creme com chocolate branco e uvas

28 ago

Creme de Doce de Leite, Chocolate Branco e Uvas blog

Lendo o título do post até parece uma super sobremesa, pomposa, mas na verdade foi o resultado de uma série de eventos: um litro de leite integral quase vencendo que virou leite condensado e vontade de comer algo bem comfort food…entendeu?

Não gosto de jogar comida fora, ainda mais leite integral, que pode virar tantas coisas deliciosas…achei uma receita de leite condensado caseiro que merecia um voto e não usava leite em pó como a maioria delas.

Vale a pena fazer leite condensado assim? Mas hoje é tão barato…mas também é um barato ver como o leite muda e se transforma em algo pastoso, com outro sabor e perfume. Sem conservantes e com menos açúcar do que o outro industrializado…o que me agradou muito.

Não gosto muito de creminhos, manjares, enfim, a consistência do doce é importante para meu paladar, mas estava com vontade de comer algo tipo uma panna cota sem creme de leite e sem gelatina, daí foi um pulo para essas tacinhas…Lembrei da Claudia do Sabor Saudade e das suas Pannas…

Sabe aquela vontade de comer algo doce e ao mesmo tempo que tenha frutas? Tenho sempre essas coisas e foi perfeito. O marido achou que o chocolate preto teria sido melhor, eu não posso abusar então usei o branco que não me faz mal.

Creme com chocolate branco e uvas

(três taças grandes bem servidas)

1 receita de leite condensado caseiro (segue receita daqui levemente adaptada)

1/2 xícara de chocolate branco picado

uvas brancas sem sementes

Derreti o chocolate branco no microndas (aproximadamente 50 segundos) e misturei ao leite condensado.  Como eu não deixei o leite condensado ficar no fogo muito tempo sua textura ficou cremosa mas não pastosa.  Coloquei esta mistura em taças/canecas intercalando as uvas.  Levei para gelar por umas duas ou três horas cobertas com plástico filme. Na hora de servir decorei com mais uvas.

Leite condensado caseiro:

1 litro de leite integral (tipo A, não o longa vida)

1 colher (café) de amido de milho

2 1/2  colheres (sopa) de açúcar cristal orgânico

1 colher (café) de fermento em pó

Numa panela de fundo grosso misture todos os ingredientes e leve ao fogo médio. Mexa sempre até engrossar. A cor e a textura ficarão a seu critério. Caso queira mais pastoso deverá deixar mais tempo.  Dica: para o leite não ferver e derramar para fora da panela coloque um pires pequeno virado para baixo no fundo da panela.

Beringelas recheadas gratinadas

5 maio

berinjela-gratinada

Domingo foi aniversário do marido e fiz um almoço em homenagem a ele: Lasanha de Berinjela.  Coincidentemente no ano retrasado ele pediu o mesmo prato…já postei aqui.

Só que a madame aqui é um pouco exagerada e acabei comprando mais berinjela do que o necessário…e lógico que não pensei um minuto em jogar fora as duas mocinhas que sobraram….mas queria algo diferente…gosto de inovar…

Como já tinha colocado para sorar (cortei ao meio e passei sal, deixei repousar por pelo menos 30 minutos em assadeira, com o lado cortado para baixo. Lavei as metades e sequei) coloquei num saco plástico e levei a geladeira. 
Ontem à tarde levei as metades de berinjela ao forno médio por uns 15 minutos (depende da potência do seu forno pode ser mais tempo) até que ficassem moles e meio cozidas.  Com o auxílio de uma faca e uma colher de sopa retirei a polpa das 2 berinjelas (4 metades) e reservei, tomando o cuidado para não danificar as cascas.

Refoguei 2 colheres sobremesa de cebola picadinha e um dente de alho no azeite até ficarem transparentes, juntei a polpa das berinjelas (picadas), 3 fatias de peito de peru (sem casca e picadinhas), sal.  Deixei pegar o gosto.  Desliguei o fogo e misturei: 2 colheres (sopa) de requeijão Cheddar, 2 colheres (sopa) de requeijão tradicional, 1 ½ colheres (sopa) de Cream Cheese e orégano.  Misturei bem e recheei as metades das berinjelas.  Prendi a ponta da casca (contrária ao do cabinho) com um palito para não abrir, já que ficam muito moles, coloquei fatias de queijo de Cabra (para moi…que j´adore!) e para o marido foi queijo Esférico…e levei ao forno para gratinar. 

Simples, rápido e aproveitando o que estava na geladeira! Tem coisa melhor? Servi com salada de alface americana, tomates e pepinos em conserva e um vinho maravilhoso que ganhamos da minha irmã que mora em Grenoble (França), o Terres des Farisiens (Beaumes de Venise), muito, muito apropriado!

Dica: se quiser pode usar restinhos de frango assado; salame; calabresa; carne assada; camarão ou outra carne que preferir e tiver dando sopa na geladeira! A mesma coisa com o queijo, use o de sua preferência! Ah, se quiser não use carne, misture brócolis ou couve-flor e faça um gratin vegan!

Lasanha com Massa de Beterraba e Frango Cremoso

15 abr

panquecas-de-massa-de-beterraba-e-frango-cremoso

Quem me visita há algum tempo já percebeu que adoro inventar pratos novos, fazer releituras de receitas (metida, hein??? Traduzindo: mudar ingredientes e modos de fazer…) e não desperdiçar nada. Hoje em dia quem joga comida fora está indo na contramão, não é verdade?

Pois é… ontem eu estava pensando no que iria fazer para o jantar e me lembrei de um molho branco pronto na geladeira (tinha feito uma quantidade muito grande para outro prato…e guardei…), algumas beterrabas precisando ser usadas e vários pedacinhos de queijos esperando para virarem um gratinado.  Pensei em fazer uma lasanha de massa de panquecas. Já fiz esse prato quando fiz panquecas demais e recheio de menos outra vez…ficou tão gostoso! Well…decidido, só que desta vez queria algo diferente e colorido, e adicionei beterraba na massa da panqueca. 

 

A cor ficou maravilhosa, bem tipo “Panquecas Barbie”, tai uma idéia para fazer as crianças comerem!  Para as meninas as “Panquecas Barbie” e para os meninos acrescente espinafre na massa e faça “Panquecas Hulk”!  Com certeza vai fazer sucesso à mesa!

 

Fiz assim:

 

Panquecas – para 10 panquecas finas bati no liquidificador 1 ½ xíc. leite integral, 1 xíc. trigo, 1 ovo, 1 colher (sopa) de queijo Gruyére ralado (pode ser outro de sua preferência), uma pitadinha de sal e uma colher (chá) de óleo, e a estrela da festa, uma grossa fatia de beterraba (desculpe mas foi a olho…).  Bati bem e fui fazendo as panquecas em uma panquequeira com um fiozinho de óleo, dourava de um lado e depois de outro. Tá bem, tá bem, parece frescura ter uma panquequeira, mas é mais prático, viu?  Antes de comprar a dita cuja eu usava frigideira mesmo.

 

Recheio cremoso de frango – aproximadamente 2 peitos de frango pequenos cozidos, desfiados e refogados em azeite, alho e cebola.  Ajustei o sal, juntei o molho branco que já estava pronto* e montei o prato.  Junte se quiser cheiro verde picado miudinho.

 

Montagem: Num refratário coloque um pouco do molho no fundo para não grudar a panqueca, coloque uma panqueca (as minhas eram exatamente do tamanho do refratário, pura sorte) e por cima o recheio. Coloque queijo ralado e vá colocando as panquecas, recheio e queijo até que encha o refratário, deixando um dedinho de espaço para não vazar para fora.  Finalizei com uma panqueca e queijo por cima.  Leve ao forno para gratinar (já está tudo cozido) e sirva com arroz e salada verde!

 

*molho branco: numa panela refogue ½ cebola picadinha em azeite até começar a dourar, acrescente bacon até dourar (opcional) e 2 ½ xic. de leite.  Coloque noz moscada ralada (se puder rale na hora, é mais saborosa!) e sal, deixe começar a ferver. Junte uma colher de sopa de amido de milho dissolvida em um pouco de leite e engrosse.  Desligue o fogo e por último misture 4 colheres sopa de creme de leite.

 

panquecas-de-massa-de-beterraba-e-frango-cremoso1

 

Sobrou uma panqueca (eu fiz as minhas mais grossas por que o refratário era pequeno, então não rendeu as 10 panquecas…) e resolvi enrolar para não perder o restinho do recheio que sobrou também.  Olha que charme? Se não gostar da Barbie pode ser Penélope Charmosa!

Pão de Centeio e Milho Verde (ou Pão Sustentável) – 3º Dia Mundial do Pão * Rye and Corn Bread (or Sustainable Bread) – 3rd World Day Bread

15 out

 

Para participar do evento 3º Dia Mundial do Pão do Kochtopf, resolvi tentar uma nova receita reaproveitando um alimento, no caso utilizei as sobras de milho verde que fiz outra receita, na verdade usei a pasta dos grãos após bater do liquidificador e coar.  Parece estranho? O resultado mais uma me deliciou e fiquei feliz em aproveitar algo que teria sido descartado.

 

O evento pede que seja postado uma receita de pão, com foto do mesmo, no dia 16 de outubro, hoje!  Mais informações e delícias aqui .

 

A receita foi uma adaptação de várias receitas que já faço e são sempre aprovadas pelos meus dois comensais mais especiais: meu filho (3 anos) e meu marido. 

 

Pão de Centeio e Milho Verde ou Pão Sustentável

 

Unte com azeite a vasilha da panificadora e coloque 1 xíc. de leite integral, 1 colher (chá) de sal, 2 colheres (sopa) de semente de girassol, 1 colher (sopa) de semente de linhaça, 1 colher (sopa) de manteiga em temperatura ambiente, 1 colher (sopa) de açúcar ou mel, 1 ½ xíc. de farinha de centeio integral, 2 xíc. de farinha de trigo e 2 colheres (chá) de fermento para pão.  A invencionice desta vez ficou por conta da xícara de “bagaço” de milho que utilizei para enriquecer o pão e aproveitar as sobras de outra receita.

 

Coloquei no ciclo massa e deixei completar o mesmo.  Retirei a massa da panificadora, deixei crescer em local quente e seco até dobrar de volume (aproximadamente 35/40 minutos) numa forma para pão (usei uma de bolo inglês) untada com manteiga.

 

Levei para assar em forno médio até dourar a casca e ao bater com os nós dos dedos na parte de baixo do pão ouvir um som oco.  Retire da forma e deixe esfriar completamente em uma grade.  Guarde em saco de papel ou local fechado para melhor conservação.

 

Ficou uma delícia e fiquei mais feliz em comer um pão feito em casa com um toque sustentável, já que reaproveitei um alimento rico em vitaminas que só trouxe benefícios para o produto final.  Devo dizer que o sabor do milho não ficou muito acentuado no pão, mas deu um toque diferente.

 

Vale a pena dar uma olhadinha no site Sustainable Table, para conhecer melhor a proposta de viver em harmonia com o meio ambiente e promover a agricultura local através de posturas positivas com relação à comida e o processo que envolve o plantio, compra e o consumo de maneira mais consciente.

 

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXxxx

 

(English version)

 

Rye and Corn Bread (or  Sustainable Bread) – 3rd World Day Bread

 

 

To be able to participate in Kochtopf´s 3rd World Day Bread, I decided to dare myself and try out a new recipe reusing food.  In this case I used corn pulp  from some Corn Cream I fixed yesterday.  In fact it was a paste left after processing the corn with milk and strained it.  Does it sound weird?  Actually the result once again amazed me and I was really glad to be able to use food that was going to end up in the garbage.

 

The event asks for the blogger to post a bread recipe with picture in October 16th, which is today!  More information here .

 

This recipe is a compilation of various recipes I already make and are always applaused by my two most special diners: my 3 year old son and my husband.

 

Rye and Corn Bread (or  Sustainable Bread)

 

Grease with olive oil the Bread machine bowl and put 1 cup whole Milk, 1 tea spoon of salt, 2 table spoons of Sun flower seeds, 1 table spoon of flaxseeds, 1 table spoon butter (softened),  1 table spoon sugar or honey, 1 ½ cup rye flour, 2 cups white flour and 2 tea spoons of bread yeast.  The special thing about this recipe is to add one cup of corn pulp paste.  I intended to make a more nutritious bread and at the same time to use the corn paste I was going to through away.

 

Push the dough button and let the cycle end.  Take the dough out of the bread machine and put in the bread buttered pan.  After it doubles the volume in a warm dry place (around 35/40 minutes) take it to a medium oven (205ºC/401ºF) until golden brown and a hollow sound comes out of the back when hit it with your fingers. 

 

Take it out of the pan and let it cool completely in a wire rack before slicing it.  Store it in a brown paper bag or air tight container to prevent drying.

 

It came out great in terms of looks and taste and I was very happy to eat homemade bread with a “sustainable” touch since I reuse food that brought benefits to the final result.  I have to say that the corn flavor was not strong but it sure gave a different touch.

 

It is sure worth to take a look at Sustainable Table website, you will be learning more about living better with the environment and promote local farming through positive ways of thinking about food and all the process involved in growing, shopping and consuming it in a smarter manner.

Que tal uma saladita temperada com óleo de nozes?

21 ago

Uma vez experimentei uma salada de folhas verdes temperada com sal e óleo de semente de abóbora e adorei.  Desde então sempre procuro temperos diferentes e saborosos para minhas saladas.

Pedi que minha irmã trouxesse da França um óleo de Nozes para experimentar… quase 6 meses depois resolvi tirá-lo do armário e fazer algo gostoso com ele.  Não entendo porque a demora…às vezes temos esta mania curiosa de ficar guardando as coisas e quando se experimenta ou já está com o sabor diferente ou vem a “culpa” por não ter usado (leia-se experimentado, comido, lido etc…) antes.

Enfim, a salada é simples mas da pontinha da orelha: alface crespa e roxa, rúcula  e peito de frango empanado em pedacinhos (sobra do almoço…let´s recicle baby).

Joguei um fio do óleo de nozes e salpiquei sal marinho, não poderia ser mais simples e saboroso!

Óleos de Frutas Oleaginosas

Apesar de muito consumidas como aperitivos e em doces, as oleaginosas fornecem óleos muito saborosos e nutritivos.  Seu teor de gorduras saturadas é baixo e alguns deles até auxiliam no controle do colesterol e prevenção de doenças cardiovasculares.

Fonte: http://obesidade.com.br/pc/obesidade/xenicare

Comidinhas do dia-a-dia sobras: Pão de Feijão

9 nov

comidinhas do dia-a-dia sobras

Pão de Feijão

Depois dessa minha experiência comprovada e com sucesso, não tenho mais medo de inovar na arte dos pães, resolvi aproveitar uma sobra de feijão branco cozido e fazer um pão, já que tinha que usar o feijão e fazer pão de qualquer forma.

Não gosto de desperdícios, já basta outro dia que deu um tilt na minha geladeira e freezer e os dois desligaram…lógico que a Lei de Murphy ataca nessa hora, não estávamos em casa, ao chegar no dia seguinte quase tive uma síncope…joguei o que tinha fora, tudo estragado…! Mas isso é para outra conversa…

 Então, como diz minha irmã, esta receita foi adaptada daqui, a única mudança que fiz foi substituir o aipim (mandioca) cozido pelo feijão amassado com garfo.  E olha que o feijão já estava cozido e temperado, com alho e cebola.  Não tinha usado carnes então não me preocupei e deu tudo super certo (mas acho que sem o tempero fica mais suave)! Acrescentei uma colher de sopa de sementes de alcarávia e voilá, meu Pão de Feijão!  Eu já tinha lido alguma receita de pão de feijão antes, mas não me lembrava onde e de detalhes da dita cuja.

Pena que não consegui postar a tempo para o Rei da Quinzena do Colher de Tacho!

 Akemi, mais uma para sua coleção!

Comidinhas do dia-a-dia sobras II, a missão

17 out

comidinhas do dia-a-dia evento

comidinhas do dia-a-dia sobras II, a missão

Detesto a idéia de jogar comida fora…se sobrou vamos reinventar para que não fique com cara de “já te vi” e agrade novamente aqueles que vão saborear o prato!  Lembrei-me desta receita postada pela Karen e tive que dar uma adaptada, pois o intuito era utilizar sobras… E segui o exemplo de postar no blog sob o evento Comidinhas do dia-a-dia sobras, idealizado pela Akemi!

A receita pedia bacon mas eu quis usar pedacinhos de lombo suíno que tinha sobrado de outra refeição, como são “primos” achei que ficou muito bom, talvez menos acentuado o sabor, mas muito gostoso! 

Batatas com bacon e cebolas

1 kg de batatas médias (usei duas batatas grandes)
sal
100g de bacon cortado em cubinhos (usei lombo suíno assado)
1 cebola picada
50g de manteiga (usei 1 ½ colheres de sopa e um fio de azeite)
Lavar bem as batatas e cozinhar em água com sal por cerca de 20 min com a casca (eu esqueci e tirei a casca, deixei cozinhar até que estivessem al dente). Escorrer e deixar esfriar um pouco, descascar ainda quente e deixar esfriar completamente antes de cortar em fatias finas de 4-5mm. Se possível, cortá-las no dia seguinte, fica bem mais fácil e as fatias não irão se desmanchar enquanto são fritas. Fiz no mesmo dia, então já cozinhei as batatas em cubinhos.
Aquecer a manteiga em uma frigideira grande e quando ela estiver bem quente (se a manteiga não estiver bem quente, as batatas vão absorver mais gordura), colocar as batatas para fritar, dar sacudidelas ou mexê-las com cuidado para dourar de todos os lados. Quase no final, adicionar o bacon e a cebola. Desligar quando estiver tudo bem cozido. Temperar com sal e pimenta caso deseje.  

Cometi um pecado para os alemães (origem da receita é alemã) e servi com arroz branco e salada de rúcula e tomates secos. 

Bom, muito bom!!! Obrigadíssima pela dica, Karen!

Pão de Grão-de-Bico

24 set

Rei Grão-de-Bico

Pão de Grão-de-Bico 1

Não ficaria satisfeita se não tentasse usar o Grão-de-Bico numa receita de pão, afinal de contas sou uma padeira apaixonada…já que havia sobrado o grão da receita que postei ontem resolvi adaptar uma outra para fazer um panis angelicum. Vocês podem até estar cansados de tanto pão, mas não consigo me segurar, tenho que fazê-los de qualquer forma (já que raramente compro) e aí fico matutando as possibilidades infinitas de usar ingredientes para o pão.

Adaptei a receita de Pão de Aipim daqui e ficou muito bom.  Como já sabia que a receita original era muito boa, já fiz inúmeras vezes e logo postarei aqui uma foto, substituí o aipim pelo grão-de-bico e deu tudo certo!
Mais uma receita para o Rei da Quinzena do Colher de Tacho.

Mangia che te fa bene. 

Fiz na máquina de pão por comodidade minha, apesar de ter assado no forno normal pois acho que fica mais bonito e mais gostoso, mas com certeza funciona da mesma maneira do jeito tradicional.    

Pão de Grão-de-Bico 

(um pão de 600g)

1 copo de grão-de-bico cozido amassado (240ml); ½ copo (120ml) de leite ou iogurte (ou a própria água do cozimento do grão); 2 colheres de creme de leite ou manteiga (usei creme de leite desta vez); 1 colher (chá) de sal; 2 colheres (sopa) de açúcar; 3 copos (720ml) de farinha de trigo mais duas colheres de chá; 2 colheres (chá) de fermento biológico seco instantâneo; 1 colher (sopa) de alcarávia

Coloque os ingredientes na ordem acima na tigela da panificadora untada com azeite e ligue no ciclo massa.  Depois que apitar o final do ciclo retire a massa e coloque em forma untada abaixando com a mão até preencher toda a forma.  Não se preocupe, ele vai crescer e ficar lindão.  Deixe crescer por aproximadamente uma hora ou até dobrar de volume.  Asse em forno pré-aquecido a 210ºC até que o pão esteja dourado e ao bater na parte de baixo o som seja oco.

Pão de arroz

18 set

                  comidinhas do dia-a-dia sobras

Pão de Arroz

Resolvi que iria diversificar com as sobras de arroz que estavam habitando minha geladeira, não estava com vontade de fazer bolinhos ou arancini ou arroz de forno, queria algo novo e diferente.  Procurei aqui e ali e eis que vi esta receita neste site.   Servi no lanche da tarde com frios, requeijão e outros acompanhamentos.  Achei interessante que não fica pesado, apesar da massa ser bem mais densa do que a de pão após assado, fica parecendo um pudim, lembrei-me de um rocambole de arroz com frango que era servido num restaurante japonês em Vitória (ES).  Não dura muito, dois dias e só, mas valeu a pena experimentar.  Acho que quem espera um pão pode se decepcionar um pouco pois não é fácil fazer um sanduíche, as fatias ficam moles e não dá para comer sem desmoronar alguns pedacinhos.  Fiquei pensando se não seria interessante servir como um tipo de acompanhamento para carnes com molhos ou algo do gênero e comer com salada, como refeição e não lanche, pois é mais fácil comer com garfo e faca.  Fica a sugestão para vocês. O sabor é muito bom, eu acrescentei um pouco de orégano na hora de bater no liquidificador.  

Pão de arroz 

1 copo (medida de requeijão) de arroz cozido; 2 colheres (sopa) de queijo ralado; 2 colheres (sopa) de margarina (de boa qualidade) – usei manteiga;  1 xíc. (chá) de óleo (de boa qualidade); 1 copo (medida de requeijão) de leite (usei iogurte natural; 3 ovos; 2 copos (pequenos) de açúcar (achei muito, usei só 2 colheres de sobremesa, queria pão salgado); 2 envelopes de fermento de pão (biológico seco) (usei ¾ do pacote) e aproximadamente 3 xíc. de farinha de trigo peneirada. 

Bata todos os ingredientes no liquidificador, menos a farinha de trigo.
Coloque em uma tigela e adicione a farinha aos poucos para não embolar.
O ponto fica uma massa igual a de bolo. Coloque em forma untada e enfarinhada. Deixe descansar até que a massa dobre de volume. Leve ao forno já aquecido. O ponto é quando enfiar o palito e não sujar. Quando sair do forno pincele com manteiga e polvilhe queijo ralado.
Fiz quase do mesmo jeito da receita, mas coloquei o queijo ralado só em cima do pão no meio do tempo de forno, não coloquei na massa.