Arquivo | Sobremesas RSS feed for this section

Abacaxi recheado gratinado

13 mar

DSC08279

Essa é uma daquelas receitas que logo que vi imaginei que maravilha deveria ser. Senti o perfume do abacaxi assado com o coco, fiquei pensando que receita ótima para um almoço de festa, numas férias à beira mar, bem verão…. e não demorou muito resolvi experimentar. Não era festa, não estou à beira mar…mas ainda é verão, então tá valendo!

Facílima de fazer, impressiona pelo resultado! O sabor é perfeito, o visual é lindo e fecha com chave de ouro a refeição!

DSC08278

A receita é daqui, com tradução livre e algumas adaptações minhas.

Abacaxi recheado gratinado

(um abacaxi grande serve bem como sobremesa 4 pessoas)

xícara 240ml

1/2 xícara de flocos de coco (adoçado)
1/2 xícara de biscoito de maizena em migalhas médias
1/2 xícara de castanhas do Brasil em pedacinhos (o original pede Macadâmia, mas não achei)
3/4 xícara de leite condensado
2 colheres (sopa) de Rum escuro (usei claro mesmo)
1 abacaxi grande, lavado e seco, cortado de comprido, com a coroa

Misture o coco, migalhas de biscoito e a castanha. Reserve.
Junte o leite condensado ao rum e misture. Reserve.

Coloque o abacaxi deitado numa tábua de corte e com uma faca de serra corte no sentido horizontal, inclusive a coroa. Retire o miolo mais duro e reserve para outra receita.

DSC08272

Numa assadeira forrada com papel alumínio ou papel manteiga coloque as metades do abacaxi com a casca para baixo.  Coloque um pouco da mistura de leite condensado e rum em cada metade.  Recheie as cavidades com a mistura de coco.  Por fim coloque o resto da calda de leite condensado e rum.

Asse a 180ºC por aproximadamente 10 a 15 minutos ou até que fique dourado o recheio. 
Sirva morno, com garfo e faca!

DSC08280

Lemon Bars

9 mar

DSC08242

Os limões galegos estavam lindos e super perfumados e fiquei com uma vontade de fazer uma torta ou algo parecido com eles…acabei achando esta receita, que ficou uma delícia! Com limão siciliano ou meyer deve ficar muito saborosa também!

DSC08267

Uma palavra sobre como são conhecidos os limões por aqui pelo nosso país…o Tahiti acho que é o mais conhecido, o Siciliano, Cravo ou Rosa. Mas dependendo de onde estejamos o nome pode mudar. Este da foto acima eu sempre conheci como Galego, desde pequena é assim que minha família chama. Mas na internet há vários sites que chamam o limão cravo de galego… Achei algumas informações e fotos aqui e aqui . Além da ótima foto e explicações da maravilhosa Neide Rigo do Come-se.

Minha tia Yvonne morou numa casa com um pé desse limão…era uma festa para os olhos e olfato! Lindos e perfumados! Adorávamos a limonada feita com ele! Mas não era fácil de achar, e acho que ainda hoje vai depender muito do estado em que você mora se nas feiras irá encontrá-lo. No supermercado nunca vi.

As barrinhas de limão ficaram um espetáculo, crocantes na parte de baixo e cremosas no meio…com uma delicada chuva de açúcar de confeiteiro por cima! Sou uma amante dos cítricos então essa receita é uma descoberta! Delícia!

Ah, só uma dica, nesse blog há várias dicas com relação aos tamanhos de formas em polegadas e sua correspondência em centímetros, temperaturas e volume das formas e outras informações super úteis para quem gosta de procurar receitas em blogs e sites gringos que usam outro sistema de medidas como o americano, inglês…

A receita veio da Bakerella, uma fonte inesgotável de inspiração gastronômica. A tradução livre é minha…

DSC08239

Lemon Bars

xícara 240ml

Massa: 1 xícara de manteiga gelada sem sal

         1 3/4 xícara de farinha de trigo

         2/3 xícara de açúcar de confeiteiro (*eu não tinha, bati o açúcar refinado no liquidificador e usei)

Recheio: 1 1/2 xícara de açúcar refinado

          1/4 xícara de farinha de trigo

          1 colher (chá) de fermento em pó

          4 ovos inteiros, ligeiramente batidos

          1/2 xícara de suco de limão galego

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte e enfarinhe uma forma retangular de 23 x 32,5 cm.

Para fazer a massa: numa tigela média misture a farinha de trigo e o açúcar de confeiteiro. Acrescente a manteiga em quadradinhos e vá misturando com duas facas ou a ponta dos dedos até que a mistura fique homogênea e a textura seja como migalhas grandes.  Acomode a massa no fundo da forma. Asse por 20 minutos ou até começar a dourar.

Recheio: enquanto a massa está no forno prepare o recheio.  Numa tigela grande coloque o açúcar, farinha de trigo e o fermento, misture.  Aos poucos acrescente os ovos ligeiramente batidos e o suco de limão.  Mexa bem e coloque sobre a massa já assada ainda quente.  Asse por mais 20/25 minutos.

Espere esfriar e corte em quadrados. Polvilhe açúcar de confeiteiro e sirva!

A receita recomenda servir gelado…mas eu prefiro na temperatura ambiente!

Total citrus love!

PS: para outras maravilhas de limão que já deram pinta por aqui veja este link e este.

Torta deliciosa de figos frescos

2 mar

DSC08094

Adoro frutas com raríssimas exceções, e estou sempre procurando novas formas de cozinhar meus objetos de “gastro-felicidade”! Nem sempre foi assim, lembro-me que quando era pequena gostava de maçãs, mangas, morangos, goiabas, melancias, uvas, abacaxis, melões, cerejas, laranjas e cítricos em geral, mas não me aventurava muito em experimentar outras frutas… (vamos combinar que eu até que gostava de bastante fruta, não?)

Fruta do conde, essa eu amava e tinha em casa…mas lichias, kiwis, phisallis, nem tinha ouvido falar… Os figos eram um capítulo à parte. Minha avó e minha mãe sempre fizeram doce de frutas em casa, era pessegada, mangada, doce de orelha (goiaba), doce de laranja, e doce de figo…mas eu como a maioria das crianças nem passava perto, eu, hein? Isso era doce mesmo? Para meu seletíssimo paladar infantil, doce era chocolate, sorvete, bolo, pé de moleque, bala…doces de “gente grande” nem passavam perto… Aí eu cresci e vi que perdi tanta coisa boa. A gente vai melhorando com o tempo, não é? Então….dentre muitas novas opções que me foram apresentadas, me apaixonei pelos figos…crus, assados, secos, em calda, tipo Ramy, geleia de figo e sorvete de figo? Hummmm!

Essa receita foi inspirada em várias receitas aprovadas, minha mãe foi procurar uma receita de bolo ou torta de figo e acabou por inventar outra, que a meu gosto ficou divina!!! Juntou a delícia da Tarte Tatin, um pouco da receita do Bolo Turco de Figos da Ameixinha e também algo da “nossa” torta de Banana Caramelada.

Torta deliciosa de figos frescos

(xícara 240ml)

Caramelo:

1 xícara de açúcar

2/3 xícara de água

Massa:

1oog manteiga sem sal em temperatura ambiente

1 ovo em temperatura ambiente

1 xícara de açúcar

1 1/2 xícara de farinha de trigo

uma pitada de sal

1 colher (chá) de fermento em pó

2 colheres de iogurte natural

Cobertura:

figos frescos sem o cabinho e cortados ao meio

Modo de fazer:

  1. Unte uma forma (fundo e laterais) com manteiga (sem sal) e farinha de trigo. Reserve.
  2. Numa panela coloque o açúcar e leve ao fogo médio sem mexer até caramelar. Retire do fogo e junte a água. Leve novamente ao fogo para que dissolva o caramelo e forme uma calda. Despeje esta calda no fundo da forma.
  3. Disponha as metades dos figos com a parte cortada para baixo, encostando no caramelo. Reserve.
  4. Para a massa misture a manteiga com o açúcar mexendo bem. Junte o ovo, o sal, o iogurte, fermento e o trigo. Incorpore bem os ingredientes da massa usando uma colher de pau ou batedeira.
  5. Sobre as metades dos figos coloque a massa cuidando para cobrir as frutas.
  6. Leve ao forno médio pré-aquecido até dourar e passar no teste do palito. Espere amornar para desenformar, mas não deixe esfriar completamente pois o caramelo pode endurecer muito e a torta pode se quebrar.

DSC08092

Brownies para meu Galego

27 fev

DSC08202

Há tempos meu Galego vem me pedindo para fazer Brownies…ele diz que eu só faço bolos de frutas e como não gosta (ainda…) de outra coisa que não seja chocolate, os bolos que a mamãe anda fazendo não têm agradado…

Gosto de bolos de chocolate com gosto de chocolate, forte, nada de achocolatado, perdoem-me mas aqui não rola… Prefiro usar cacau e chocolate meio amargo ou 70%, mas aqui os dois são artigos raros, quase mercado negro…

Então procurei uma receita que desse para fazer com o que eu tinha à mão. E se não fosse pela preguiça em converter inches em cm para calcular certo o tamanho da assadeira tudo teria dado super certo…no final meu forno ficou com estalactites de massa de bolo caindo das grades…mas tudo bem, o resultado é uma delícia!

Marquei outras receitas de Brownies separadas para testar…então aguardem mais chocolate por aqui.

O Galego gostou tanto que até levou de lanche para a escola! Viva a mamãe!

A receita veio daqui, com várias adaptações minhas.

Brownies

xícara de 240ml

1/2 xícara de manteiga sem sal
1 2/3 xícara de açúcar cristal
2 colheres (sopa) de Nutella                                                 2 colheres (sopa) de Brown Cow ou cobertura de chocolate

4 ovos em temperatura ambiente
1 1/4 xícara de chocolate em pó
1 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 colher (chá) de café solúvel
1 colher (sopa) de extrato de baunilha
1 1/2 xícara de trigo
1 1/2 barras de chocolate ao leite (usei Cobertura de chocolate ao leite)

Pré-aqueça o forno a 175ºC. Unte com manteiga e trigo uma forma retangular de 23x32cm.

Leve ao fogo baixo a manteiga até que derreta. Junte o açúcar e continue mexendo por 1-2 minutos, sem deixar ferver.

Retire do fogo e junte a Nutella e a cobertura de chocolate, mexendo bem para homogeneizar.

Coloque essa mistura num bowl grande e junte o chocolate em pó, ovos, sal, bicarbonato de sódio, café solúvel e a baunilha.  Mexa muito bem até que esteja bem misturado.
Acrescente o trigo e misture até que o trigo seja incorporado na massa.

Coloque na forma já preparada metade da massa, coloque os quadradinhos de chocolate bem espalhados e depois despeje o resto da massa. Leve ao forno por aproximadamente 40 minutos até que os lados do Brownie estejam soltando da forma mas o centro ainda pareça mais mole. Espere esfriar completamente antes de cortar em quadrados.

DSC08183

(recheando o brownie…)

Obstkuchen ou uma torta de morango

20 dez

DSC07243

Essa receita de torta é uma delícia e super fácil e rápida, perfeita para aquelas horas que em dá vontade de fazer uma sobremesa ou um agradinho para o lanche mas o tempo é escasso.

Obst é fruta em alemão, a massa é perfeita para levar uma camada de frutas!  Receita de uma amiga alemã da minha mãe. Figurinha fácil aqui em casa e até aqui no blog…mas o que é bom a gente repete e divide, não é?

Os morangos ficam ótimos na cobertura pois são doces e ao mesmo tempo tem um sabor meio ácido…o contraste com a massa é delicioso.

Fiz da última vez numa tarde cinzenta que pedia um colorido lindo desses para alegrar nosso espírito…

DSC07246

Obstkuchen

(xícara medidora 240ml)

(serve tranquilamente 6 pessoas famintas)

Massa:

125g de manteiga sem sal (em temperatura ambiente)

1 xícara de açúcar refinado (ou açúcar cristal passado no liquidificador)

uma pitadinha de sal

1 colher (chá) de fermento para bolo

2 xícaras de farinha de trigo

zest de limão ou laranja (ou uma colher de café de rum)

Num bowl misture muito bem a manteiga com o açúcar até ficar um creme. Acrescente o fermento, trigo e o sal. Por último o zest de limão.

Forre uma forma de fundo falso, fundo e laterais, com a massa e leve ao forno médio até dourar, uns 20 minutos aproximadamente.

Retire do forno e deixe esfriar. Reserve.

Recheio:

2 gemas

1 lata de leite condensado

1 1/2 lata de leite

1 colher (sobremesa) de amido de milho dissolvido no leite

1/2 colher (chá) de essência de baunilha

Leve ao fogo (baixo a médio) numa panela todos os ingredientes já misturados.  Deixe engrossar sem grudar no fundo da panela. Coloque sobre a torta já assada e fria.

Cobertura:

morangos limpos e cortados ao meio na altura

Sobre o recheio da torta arrume os morangos deitados. Sirva imediatamente.

Obs: se quiser faça um creme com suco de 3 laranjas e um pouco de amido de milho, engrossado no fogo. Jogue sobre as frutas já arrumadas na torta. Duram mais e não ficam escuras. Eu prefiro sem.

Cupcakes de choco vanilla

29 nov

Cupcakes de choco vanilla.4

Ontem foi aniversário da professora do meu pequeno…ele me pediu para fazer uns bolinhos ou cookies para levar para a tia.

Como resistir a um pedido desses? Lembrei que minha irmã tinha me falado de uma receita de cupcakes da Martha Stewart que ela fez algumas adaptações e resolvi testar. Mais uma vez minha irmã acertou! Ultimamente ela tem estado meio afastada da cozinha dela…trabalha na área de eventos de um hotel…mas sempre acerta! Ô mão boa!  De outra feita uma receita de bolo de fubá virou bolo de chocolate e ficou deliciosa…veja aqui.

Anyway…a receita é fácil e uma delícia! Os cupcakes são super fofos e saborosos, nada de muito doce. A cobertura foi uma ganache e o sorriso do filhote quando cheguei na escola com os cupcakes embrulhados para a professora, não tem preço!  Um agradinho simples e de coração! Assim vamos levando as coisas por aqui, ensinando os pequenos que simples gestos tornam o mundo melhor.

Cupcakes de choco vanilla.3

A receita, com tradução livre e adaptações da minha sister querida!

Choco Vanilla Cupcakes (adaptado da Martha Stewart)

(xícara 240ml) – rendeu 11 cupcakes

125 grs de manteiga (melhor sem sal)

3/4 xícara de açúcar refinado

1 colher (chá) de essência de baunilha

2 ovos em temperatura ambiente

1 1/4 xícara trigo peneirado

1 colher (chá) fermento em pó

2/3 xícara de chocolate em pó

3/4 xícara de leite

Modo de fazer:

Aqueça o forno a 160ºC.

Coloque a manteiga, açúcar e baunilha em uma vasilha e bata até ficar pálido.

Acrescente gradualmente os ovos, um a um, batendo bem.

Acrescente o trigo, fermento, chocolate e leite aos poucos, alternadamente.

Coloque a massa nas forminhas de cupcake, preenchendo 3/4 do volume. Nós usamos forminhas de papel dentro de forminhas de muffins de alumínio untadas na borda com um tiquinho de manteiga para não grudar os cupcakes.

Asse em forno médio por 20 a 25 minutos ou até passar no teste do palito. Coloque numa grade para esfriar e depois decore a seu gosto. Eu usei uma ganache de chocolate, simples e muito gostosa!

Cupcakes de choco vanilla.5

Ganache de chocolate

3/4 de uma barra de 170g de chocolate meio amargo

1/2 lata de creme de leite

Coloque uma panela com água para ferver e sobre ela um bowl de vidro, tomando cuidado para a água não chegar até o fundo do bowl.

Coloque o chocolate em pedacinhos e o creme de leite no bowl e vá mexendo até que o calor da água evaporando da panela derreta o chocolate. Mexa sempre. Quando começar a derreter tire o bowl do fogo e com uma espátula ou fuet misture bem para acabar de derreter o chocolate e a ganache ficar homogênea. Se ainda não tiver sido suficiente para derreter o chocolate todo, volte o bowl sobre a panela no fogo.

Mexa bem até começar a esfriar. Pode ser aplicado sobre o cupcake ou bolo com espátula ou usando um saco de confeiteiro, como eu fiz. Espere um pouco para que a ganache firme e sirva!

Pavlova de aniversário

23 nov

Pavlova.2

Semana passada foi aniversário da minha mãe, houve um almoço para comemorar e me ofereci para fazer o bolo.  Ela então me surpreendeu e pediu uma Pavlova!

Com o calor que está fazendo por aqui e a safra de amoras a todo vapor foi uma escolha super acertada.

A sobremesa é muito leve, fácil de fazer e claro, deliciosa!  A receita que segui foi a da Donna Hay, australiana que gosto muito e que ao meu ver tem receitas fáceis e saborosas. 

Anna Pavlova, uma bailarina russa que visitou a Austrália e a Nova Zelândia nos idos de 1920, encantou os dois países e a linda e saborosa sobremesa foi uma homenagem à dançarina.  Não se sabe ao certo qual dois dois países foi o criador do prato, há quem forneça evidências nos dois lados, mas o que realmente importa é que é leve e deliciosa.

Se a receita for seguida de acordo com as explicações não tem erro, pode fazer que dá certo.

Depois que fiz e experimentamos, ficamos apaixonados, que delicadeza e textura especiais! Vou fazer outras muitas vezes, quem sabe em porções individuais? Ou com recheio de frozen iogurte? Hummmmm!

Pavlova (retirado daqui e ligeiramente adaptado)

  • 150ml claras (approximately 4 eggs) em temperatura ambiente
  • 220g açúcar de confeiteiro * (bata o açúcar cristal ou refinado no liquidificador e terá o mesmo efeito)
  • 2 colheres (sopa) de amido de milho peneirado
  • 2 colheres (chá) de vinagre branco * usei de maçã
  • 1 colher (café) de extrato de baunilha
  • 1 colher (café) de raspas de limão (zest)
  • 250ml de creme de leite fresco gelado
  • amoras pretas (inteiras e cortadas também)
  • morangos cortados em quatro

  Pré-aqueça o forno a 150°C.

  Todos os utensílios a serem utilizados devem estar muito limpos e secos, caso contrário o resultado pode ser comprometido.

   Forre uma assadeira com papel vegetal e desenhe com lápis um círculo de 18/20 cm de diâmetro.

  Coloque as claras na tigela da batedeira e ligue na velocidade média até que forme picos. Aos poucos vá colocando o açúcar às colheradas, batendo bem, até que fique com a consistência dura e comece a brilhar.

  Junte o amido de milho, as raspas de limão e o vinagre e com um fuet ou uma espátula misture delicadamente só até combinar.  Coloque a mistura sobre o papel vegetal (ou manteiga) já sobre a forma e forme um “monte” de 18/20 cm de diâmetro, deixando a parte de cima mais lisa.

Reduza a temperatura do forno para  120°C  e asse por aproximadamente 1 h e 20 minutos. Desligue o forno e deixe a Pavlova esfriar completamente lá dentro.

  Se não for ser consumida logo, a Pavlova pode ser guardada até 5 dias num container hermético sem o recheio de creme e frutas.

Pavlova(assada sem o recheio)

  Para servir logo: bata o creme de leite fresco até formar o chantilly com 2 colheres de açúcar de confeiteiro ou refinado (conforme instruções da embalagem) e o extrato de baunilha.  Com cuidado quebre a parte de cima da Pavlova (com cuidado senão os lados podem se partir e aí não ficará tão bonita!) e coloque o chantilly. Cubra com as frutas e sirva imediatamente. Serve de 8-10 porções.

* O ponto do merengue em picos e brilhante é atingido ao ter triplicado o volume da mistura.  Outra dica é segurar as pás da batedeira de cabeça para baixo e o merengue não cair, formando picos duros.

* A baixa temperatura do forno faz com que o merengue cresça e o longo cozimento o seca tornando a casca crocante.

* Da próxima vez vou experimentar esquentar um pouco as claras antes de bater, como se faz com suspiros, acho que a consistência fica melhor.

* A receita original usa polpa de maracujá e morangos, mas há outras milhares de combinações de frutas, kiwi, tangerinas, banana, framboesas, manga, abacaxi, mirtilos…fica a seu critério.

Veja um vídeo da execução da receita aqui .

Pavlova.4