Arquivo | Vegetariana RSS feed for this section

Arroz “tipo” mexicano

26 abr

DSC08738

Tenho muitas memórias olfativas e gustativas de comidas…comidas que minha avó fazia quando passávamos férias inteiras na casa dela e do meu avô, “batatas de gomão” que minha tia avó Yvonne fazia nas mesmas férias, bolo de chocolate da minha adolescência, lanches com pipoca e café, sobremesas e torta de maçã da tia Graciana, pão francês em canoa com manteiga, suco de acerola e laranja feito pela Mary Pink, biscoitos, pães e quiches da Mi, nossa…se deixar fico aqui a tarde toda…

Logo que vi esta receita me veio na memória o perfume desse arroz! A cozinha mexicana é riquíssima e eu tive a felicidade de conhecer um pouco de suas maravilhas quando fiz intercâmbio e fiquei numa comunidade americana/mexicana na Califórnia. Meus amigos e amigas da escola eram na maioria esmagadora filhos e netos de imigrantes mexicanos, o que me proporcionou conhecer a língua, costumes e um pouco da gastronomia mexicana.

DSC08747

Quantas vezes partilhei refeições deliciosas em casas de amigos descendentes ou nascidos no México, taquitos, tortillas, tamales, carnitas, hummmm! Que experiência maravilhosa!

Este arroz é muito parecido com o que várias vezes pude degustar por lá…desculpem-me os verdadeiros conhecedores da iguaria, não sei se a receita é igual à preparada pelas madres ou abuelas, mas com certeza é muito parecida!

Aproveitem e preparem, é fácil e rápida! Super saborosa e acompanha muito bem uma carnita (carne frita ou bife em tirinhas)!  Tem aparecido toda semana na nossa mesa…

A receita um pouco adaptada por mim veio daqui.

Arroz “tipo” mexicano

(serve 4 pessoas – como acompanhamento)

xícara 240ml

  • 3 colheres (sopa) de óleo
  • 1 1/2 xícara de arroz cru
  • 1 cebola pequena picadinha
  • 2 dentes de alho espremidos
  • sal à gosto
  • 1/2 colher (chá) de cominho
  • 1/2 xícara de molho de tomate
  • 1 xícara de caldo de galinha
  • 3 colheres (sopa) de coentro fresco picado
  • 2 xícaras de água

Preparo:

  • Aqueça o óleo numa panela grande em fogo médio.  Frite o arroz até que comece a ficar dourado. 
  • Junte o alho, cebola, sal e o cominho e dê mais uma fritada. 
  • Acrescente o molho de tomate, caldo de galinha, a água e o coentro fresco e deixe começar a ferver. Corrija o sal.
  • Quando levantar fervura tampe e abaixe o fogo até secar a água.
  • Revolva o arroz com um garfo e sirva quente.

DSC08736

Figo seco recheado com nozes…

21 mar

Figo recheado com nozes (4)

Amo frutas secas, para mim não importa se é inverno, época em que nosso corpo pede comidas mais calóricas, mas em todas as estações as frutas e frutos secos estão presentes nas refeições e pratos que preparo. Uma salada com um mix de folhas verdes, um bom tempero com azeite extra virgem e vinagre de frutas vermelhas fica melhor ainda com pedacinhos de castanhas do Brasil ou avelãs, não? E pão integral feito com uvas passas ou cranberries e nozes? Macarrão com um molho branco e pistaches?

Sirva esses figos secos recheados com nozes e um vinho moscatel ou Porto e tenha certeza de que a refeição será fechada com chave de ouro! Perfeitamente saboroso, reconfortante e melhor ainda, saudável! Ou então quando bater aquela fome no meio da tarde prefira este lanche ao salgadinho ou comida industrializada.

Figo recheado com nozes

De acordo com a nutricionista Adriana Pessôa, em seu blog Vida Integral, o casamento dos figos e nozes é repleto de nutrientes.  A nutricionista escreve que “O figo é rico em fibras, potássio e magnésio. Os benefícios para a saúde incluem: prevenção de câncer e doenças cardiovasculares, auxílio na redução e manutenção do peso, melhora de problemas intestinais. As nozes são antioxidantes excepcionais. Ricas em vitamina E e omega 3 reduzem o colesterol LDL e diminuem a inflamação no corpo. Um alimento para manter o cérebro (e sua pele) jovem.”

Corte um figo seco ao meio sem separar as metades e recheie com meia noz mariposa. Arrume em um prato bonito e sirva!

Ganhei um quilo desses lindos figos e um pote de nozes…hummmmm! Dica do meu pai!

Suco antioxidante de maracujá com manga

6 mar

DSC08263

Tudo bem, não é receita, e sim uma dica de um suco revigorante com alto poder antioxidante! Com as mangas ainda perfumando minha cozinha e os maracujás lindos e graúdos dando sopa, hoje no almoço foi suco de maracujá e manga! Um casamento perfeito! Receita da mamma, ela que ultimamente está experimentando manga com tudo que tiver à mão na cozinha! E esse suco é uma delícia mesmo! Mas não dá para economizar e colocar muita água, ele fica forte, substancioso,ok?

Além do sabor super gostoso, o maracujá é antioxidante e possui vitaminas do complexo C, B e A. E a manga  possui também muito valor vitamínico, a qualidade “rosa, por exemplo, é a que possui a mais elevada quota. Da vitamina A, cuja matéria-prima é o betacaroteno, se sabe atualmente que é o melhor comabatente dos radicais livres. Os radicais livres são considerados a ferrugem do corpo, provocando envelhecimento precoce. Devido ao alto teor de vitamina A, a manga é um execelente antioxidante do organismo.” Quer saber mais, leia aqui e aqui.

Suco de maracujá e manga

(litro e meio aproximadamente)

4 mangas pequenas tipo Rosa – polpa

2 maracujás bem graúdos – polpa

1 1/3 litro de água

Bata no liquidificador as polpas das frutas com água e adoce à gosto. Coe e sirva bem geladinho! Hummmmmmm!

“Mangamole”

25 fev

DSC08189

As mangas estão à toda, lindas, cheirosas e nos convidando a provar todo seu sabor.  O difícil é resistir a fazer sempre as mesmas receitas…então estamos deixando a imaginação nos levar a outro patamar…

A Moqueca de Manga foi um sucesso e já nos conquistou. Torta de manga, Lassi de manga…delícia. Outro dia minha mãe resolveu dar um twist no guacamole e fez com manga ao invés do abacate. Ela me contou e fui procurar na internet. Já havia alguns posts com a receita e ficamos impressionados com a capacidade das pessoas em inventar e modificar sabores de acordo com as necessidades e com o que têm em mãos. Ela não sabia que já existia e fez algo maravilhoso! 

Foi o aperitivo do almoço de ontem… “Mangamole” com tortilla chips! Aconselho a experimentarem, é viciante!!! Quase não almocei de tanto que gostei !

“Mangamole”

4 mangas “de vez” (nem maduras nem verdes” médias, sem cascas e caroços

1 cebola média

1 pimenta dedo de moça sem sementes

coentro (um punhado)

sal

um fio de azeite extravirgem

Coloque tudo no processador de alimentos e pulse algumas vezes. Não é para virar purê, então deixe um pouco pedaçuda. Corrija o sal e sirva.

Pode ser antepasto se servido com tortilla chips. Sobre um salmão grelhado vira complemento do prato principal! Também sobre peito de frango grelhado…delícia!!!

DSC08185

Moqueca de manga

4 fev

DSC08065

Ontem almoçamos essa delícia, uma receita que aproveita o que está na estação, suculentas, perfumadas e lindas mangas! Hummmm! Marido disse ser moqueca de “peixe-manga”. Os temperos deixam um gostinho de moqueca mesmo, não fica doce como sobremesa ou algo do gênero.

Usamos mangas orgânicas, tente conseguir da roça ou de um vizinho…são melhores, senão use as compradas no supermercado mesmo…

Melhor de tudo, receita leve, vegetariana e barata!

Adorei e acho que é a época certa para postar aqui, já que as mangas estão lindas e super saborosas! Aproveitem e façam, não vão se arrepender!

A receita é antiga, copiada pela minha mãe de um programa gringo na TV paga…ela não lembra e não anotou a fonte, disse que era um programa de uma indiana que havia sido educada no Ocidente.

DSC08063

Moqueca de Manga

(serve 4 pessoas)

1 cebola média em cubinhos

1 lata de tomate pelati ou 6 tomates maduros (sem pele e sementes)

um punhado de cebolinha picada

um punhado de salsinha picada

3/4 de uma pimenta dedo-de-moça picada e sem sementes

sal à gosto

1/2 colher (café) de açafrão

1/2 colher (café) de curry

1 colher (café) de coentro seco (torrado e moído)

um punhado de coentro fresco picado

suco de 1 limão

azeite

8 mangas grandes (10 médias) maduras cortadas em fatias grossas

2 garrafinhas de leite de coco

Numa penela para moqueca ou uma panela grossa, faça um refogado com azeite, tomates, pimenta. Deixe pegar gosto e cozinhar um pouco os tomates. Adicione os condimentos.  Junte o leite de coco e suco de limão. Acerte o sal. No final coloque as fatias de manga e deixe apurar uns 5 minutos. A manga não deve cozinhar muito, deve ficar firme. Sirva quente com arroz branco.


DSC08069

Banana à milanesa para a Maria

3 dez

DSC05658

Mesmo um pouco atrasada não quis deixar de mandar essa sugestão simples e saborosa para a Maria, uma portuguesa guerreira voluntária no Timor Leste e leitora do Tertúlia de Sabores. A Moira pediu aos leitores e amigos que dessem sugestões de receitas para a Maria usando um número reduzido de ingredientes e utensílios que ela possui. Leia mais aqui.

Essa receita é simples e muito saborosa, não costumo fazer muito pois é fritura e prefiro utilizar o forno para empanados, mas o gostoso é frita mesmo.

O termo à milanesa significa que é empanado com farinha de rosca, no caso a banana é passada em ovos batidos e depois na farinha de rosca. Diz-se que o termo vem de uma receita servida num almoço em Milão (Itália) em 1134. Leia mais aqui.

Maria, espero que adoce seus dias! Parabéns ao Tertúlia de Sabores e a Moira pela linda iniciativa!

Banana à milanesa

(para duas pessoas)

4 bananas nanicas médias ou 2 grandes descascadas

1 ovo batido (usei caipira)

farinha de rosca para empanar *

óleo para fritar

* eu faço minha farinha de rosca, guardo o pão francês que não é consumido e depois passo no ralador do processador, fica uma farinha mais flocada, tipo Panko. Ou então passo na lâmina mesmo, aí fica bem fininha. Depende do que irei empanar. A banana com a farinha de rosca flocada ficou mais crocante!

Passe as bananas no ovo batido, depois na farinha de rosca e frite em óleo quente até dourar. Escorra numa toalha de papel e sirva quente.

Eu servi com arroz e frango ao curry, mas pode ser sobremesa se servir com uma bola de sorvete de creme ou chocolate!

Torta de banana da nona

11 nov

Torta de Banana da Nona

Minha mãe me passou um recorte de jornal com esta receita e o que me intrigou foi o fato de levar gengibre e pimenta no recheio…fiquei com água na boca para testar.

Fiz duas vezes, na primeira achei que o recheio poderia ter um pouco mais das especiarias e não gostei muito da massa. Mas como era a primeira vez que fazia segui a receita. Já na segunda vez resolvi usar esta receita de massa que me agrada sempre e aumentei a quantidade de gengibre e pimenta. Resultado:  abusei e ficou forte demais!

Então, na minha opinião outra massa vale mais a pena, mas é melhor usar as quantidades de gengibre e pimenta que a receita dá…ou então pode acabar com a boca ardendo…

Sua receita favorita de torta ou esta aqui (que acho muito saborosa), só diminuí a quantidade de manteiga de 120g para 100g.

Torta de Banana da Nona.4

Vale  a pena, a combinação do recheio é genial e inusitada! A receita é do Edu Guedes. Segue como ele deu, mas eu prefiro outra massa.

Não vou nem falar nada da falta de posts…não quero cair no lugar comum, mas tá complicado arrumar tempo… de qualquer forma não vou abandonar vocês, mesmo que seja em visitas esporádicas…! Um beijo!

Torta de Banana da Nona

Ingredientes:

Massa
1 ½ xícara de farinha
2 colheres de sopa de açúcar
1 pitada de sal
½ xícara de manteiga
1 gema
1 colher de sopa de água
Recheio
4 bananas nanicas maduras
1 colher de café de canela
1 colher de café de pimenta dedo de moça picada sem semente
1 colher de sobremesa de gengibre picado
1 colher de sobremesa de açúcar

Modo de preparo:

Massa
Misturar a farinha, o açúcar e o sal num pote. Acrescentar a manteiga na temperatura.
Quando a manteiga estiver incorporada, adicionar a gema e a água e deixar a massa homogênea.
Não mexer muito.
Descansar 15 minutos na geladeira.
Abrir a massa, colocar em uma forma, colocar o recheio e fechar nas bordas.

Obs: usei uma forma pequena que tenho, de uns 20cm, o melhor é se tiver fundo falso.
Recheio
Cortar a banana em rodelas.
Misturar o gengibre, a canela, a pimenta e no fim o açúcar.
Colocar sobre a massa e fechar a mesma nas bordas.
Assar em forno baixo até dourar.

Frozen Yogurt de Limão Siciliano, a variação com Poejo e meu amor por essa receita!

16 set

Frozen Yogurt de Limão Siciliano.4

Depois de descobrir o iogurte grego e poder fazer em casa essa maravilha, fico pensando na sorte que tenho de morar num local onde acho em quase todas as padarias e mercadinhos o leite de fazenda, aqui “leite da roça” fresquinho e barato, R$1,2o o litro.  Esse leite com gordura linda, amarela, próprio para fazer um iogurte forte e saboroso!

Sigo exatamente as explicações da Ana Elisa do La Cucinetta e sempre dá certo, veja lá.

Com o termômetro culinário à mão, sim, pois é muito mais fácil acertar o ponto do iogurte natural com o termômetro…esse negócio da temperatura que o dedo aguenta não funcionou por aqui…o iogurte não ficou legal.  Mas sei que muita gente faz e fica bom, textura perfeita, como minha mãe. Bem, com o termômetro deu certo todas as vezes. Não é fácil de achar, mas na internet tem e se você mora em Sampa ou arredores dê um pulinho na Rua Paula Souza (mais em conta) ou mesmo em lojas mais especializadas nos shoppings. No Rio de Janeiro não sei…ajudem-me cariocas!

Deixei sorar 2 litros de iogurte, a noite toda, coloquei o iogurte grego numa tigela e fui pegar a receita do Frozen Yogurt.

Gente, é tão fácil que não dá para acreditar! Sério, fica tão bom, mas tão bom, o melhor  “sorvete” que já fiz e já tomei. Com uma textura sedosa, é cremoso, lindo e saboroso! Todos aqui ficaram fãs, agora sempre é dia de fazer iogurte grego! Experimente e depois me conte!

Daí que na primeira vez que resolvi fazer coloquei na cabeça que queria um sabor diferente de tudo que já havia experimentado, então por que não juntar a maravilha do limão siciliano e a refrescância do poejo? Pois é, deu um samba muito bom!

DSC04948.1(sorry, mas a foto foi tirada à noite…luz não é boa…)

Ontem fiz sem o poejo, bom do mesmo jeito, só com o sabor do limão! Não tem jeito, fãzoca de carteirinha! E o melhor, sem creme de leite, só iogurte!!!! E feito por mim…sem porcarias de conservantes, ô vida boa! Muito boa!

Ligeiramente adaptado daqui.

Frozen Yogurt de Limão Siciliano e Poejo

Ingredientes:

3 1/2 xícaras de iogurte grego (já fiz com 4 xícaras também)

3/4 xícaras de açúcar

suco de 1 limão siciliano

zest de 1 limão siciliano

2 colheres de sopa de folhas de poejo

Modo de fazer:

Bata o suco de limão e as folhas do poejo no liquidificador ou mixer e depois coe.

Misture bem o açúcar e o iogurte grego e depois junte o suco de limão com poejo.

Prove e veja se está a seu gosto a quantidade de açúcar.

Leve à geladeira por no mínimo 2 horas e depois coloque na sorveteira.  Faltando uns 2 minutos para ficar pronto o frozen yogurt adicione o zest do limão.

Coloque em pote para sorvete e leve ao freezer por umas 2 horas.  Fica super cremoso!

Obs: para os puristas, sem o poejo fica delicioso igual!

A melhor textura de frozen é conseguida no dia em que se faz o frozen, depois o “sorvete” vai ficar um pouco mais duro, mas igualmente saboroso!

Enjoy!

Quiche de tomates e cebolas com gostinho francês…

26 ago

DSC04986

Esta quiche foi inspirada num telefonema da minha irmã mais nova, Maria Rosa, ela e o marido são vegetarianos e ela havia feito esta receita para o jantar… Da França para o Brasil, fiquei com água na boca e resolvi fazer para nós também, simples, saborosa e muito fácil!

Esse verdinho decorando é tomilho-limão, uma erva muito perfumada e saborosa, nativa do mediterrâneo, que agora também habita minha horta! Tenho o tomilho-limão e aquele tipo mais comum, mas há vários tipos, leia mais aqui!

Essa quiche pode ser servida ainda morna ou fria, dependendo da sua vontade e tempo! Para levar a um almoço ou piquenique, fica deliciosa com uma salada de folhas e um grelhado!

A receita da massa é a que minha mãe nos ensinou e a base do recheio também, o que mudam são os ingredientes do recheio. Eu não uso creme de leite pois acho que o iogurte deixa a quiche mais leve.

Quiche de tomates e cebolas

Massa: 180g de manteiga em temperatura ambiente,, 1 colher (chá) de sal,  1 colher (sopa) de água gelada e aproximadamente 2 xícaras de trigo (pode ser que precise um pouco mais)

Misture os ingredientes com as mãos até que esteja uma massa homogênea. Pode ser feita no processador colocando-se os ingredientes e pulsando até que estejam bem misturados.  Forre os fundos e as laterais de uma forma de fundo falso de 25cm.  Com um garfo faça furinhos na massa e leve para pré-assar até que comece a dourar, a massa deve estar firme. Lembre-se que ainda vai assar com o recheio então não deixe dourar muito.

Recheio: 4 tomates grandes italianos bem maduros sem sementes e cortados no comprimento, 3 cebolas médias em rodelas, 3 ovos grandes inteiros, 4 colheres bem cheias de parmesão ralado, sal, 200ml de iogurte natural e páprica doce para decorar (ou coloral)

Bata as claras em neve e reserve. Misture numa outra tigela as gemas, iogurte, sal, os tomates e as cebolas. Junte esta mistura às claras em neve, mexendo delicadamente. Coloque sobre a massa pré-assada, polvilhe a páprica  e leve novamente ao forno para dourar.

DSC04984

Espere amornar um pouco, desenforme com cuidado para não quebrar as laterais.  Eu uso a estratégia de colocar a forma sobre um vidro para que as laterais saiam mais facilmente. Assim como na foto. A base da forma fica intacta com a quiche.

Eu não tinha outro queijo  então usei parmesão ralado, mas essa quiche fica deliciosa com queijo fontina, provolone ou mesmo muçarela em pedacinhos no recheio.

Guarde na geladeira em recipiente fechado.

Quibe de beringela, recheado, assado e delicioso!

25 out

167

Confesso que não sou muito fã de quibe, na verdade não gosto muito da combinação triguilho e carne, prefiro almôndegas acompanhadas de um tabule….mas esta receita me pegou de jeito assim que a vi no blog da Rachel. Muito boa opção para os vegetarianos, viu Mary?

Como tenho tentado variar mais os pratos e diminuir o consumo de carne vermelha, decidi experimentar. A receita é fácil, rende muito bem e o melhor de tudo, fiz, congelei e no dia em que precisei levei direto do freezer ao forno. Ficou delicioso e o marido não acreditou quando eu disse que não tinha carne. O prato é realmente bem leve, servi com salada verde e um molho de iogurte, azeite, sal e hortelâ picada. Aprovadíssimo! Obrigada, Rachel!

A única coisa é que da próxima vez farei duas travessas, já que em casa somos em dois adultos e uma criança e a receita serve tranquilamente 4 adultos.

Segue a receita adaptada.

Quibe assado de beringela

Ingredientes:
– 300 g de trigo para quibe (triguilho)
– 3 berinjelas médias
– 700 ml de água filtrada
– 1 cebola
– 2 dentes de alho
– 1/2 maço de hortelã
– 1 pitada de pimenta síria (não usei pois não tinha)
– sal a gosto
– 1 colher, das de sopa, bem cheia de manteiga
– 200 g de muçarela ralada na parte grossa do ralador (ou mais dependendo do seu amor por queijo)
– 1 tomate maduro em cubinhos
– 80 g de azeitonas verdes sem caroços
– Azeite extra virgem
Modo de Preparo:
Lave muito bem o trigo, coloque de molho em 500 ml de água morna e deixe descansar por 1 hora (o trigo irá hidratar e ficar mole).
Após esse tempo, escorra o trigo em uma peneira e aperte bem com as mãos para tirar o excesso de água.
Eu deixei as beringelas sorarem um pouco antes de cozinhar, descasquei, passei sal grosso em cada metade e deixei escorrer numa peneira por uns 15/20 minutos. Lavei para retirar o sal, piquei as berinjelas em pedaços médios. Leve ao fogo com 200 ml de água e 1 pitada de sal. Cozinhe até ficar macia, escorra e aperte bem para tirar o excesso de água.
Bata a berinjela, a cebola, o alho e o hortelã no liquidificador até virar uma pasta.
Junte essa pasta de berinjela ao trigo e tempere com sal, pimenta síria e manteiga. Misture bem.
Unte um refratário (usei uma cerâmica para forno) com manteiga e coloque a metade do quibe. Recheie com a muçarela, os tomates e a azeitona e regue com bastante azeite.
Cubra com a porção restante do quibe, faça marcas com a faca, regue com azeite e leve ao forno pré-aquecido (200 graus) por meia hora ou até dourar.

*Como eu disse acima, antes de levar ao forno, congelei a travessa de cerâmica refratária coberta com plástico filme e no dia em que precisei retirei do freezer e assei até dourar e ao testar com uma faca verificar que está descongelado. Ficou uma delícia!