Archive | fevereiro, 2013

Brownies para meu Galego

27 fev

DSC08202

Há tempos meu Galego vem me pedindo para fazer Brownies…ele diz que eu só faço bolos de frutas e como não gosta (ainda…) de outra coisa que não seja chocolate, os bolos que a mamãe anda fazendo não têm agradado…

Gosto de bolos de chocolate com gosto de chocolate, forte, nada de achocolatado, perdoem-me mas aqui não rola… Prefiro usar cacau e chocolate meio amargo ou 70%, mas aqui os dois são artigos raros, quase mercado negro…

Então procurei uma receita que desse para fazer com o que eu tinha à mão. E se não fosse pela preguiça em converter inches em cm para calcular certo o tamanho da assadeira tudo teria dado super certo…no final meu forno ficou com estalactites de massa de bolo caindo das grades…mas tudo bem, o resultado é uma delícia!

Marquei outras receitas de Brownies separadas para testar…então aguardem mais chocolate por aqui.

O Galego gostou tanto que até levou de lanche para a escola! Viva a mamãe!

A receita veio daqui, com várias adaptações minhas.

Brownies

xícara de 240ml

1/2 xícara de manteiga sem sal
1 2/3 xícara de açúcar cristal
2 colheres (sopa) de Nutella                                                 2 colheres (sopa) de Brown Cow ou cobertura de chocolate

4 ovos em temperatura ambiente
1 1/4 xícara de chocolate em pó
1 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 colher (chá) de café solúvel
1 colher (sopa) de extrato de baunilha
1 1/2 xícara de trigo
1 1/2 barras de chocolate ao leite (usei Cobertura de chocolate ao leite)

Pré-aqueça o forno a 175ºC. Unte com manteiga e trigo uma forma retangular de 23x32cm.

Leve ao fogo baixo a manteiga até que derreta. Junte o açúcar e continue mexendo por 1-2 minutos, sem deixar ferver.

Retire do fogo e junte a Nutella e a cobertura de chocolate, mexendo bem para homogeneizar.

Coloque essa mistura num bowl grande e junte o chocolate em pó, ovos, sal, bicarbonato de sódio, café solúvel e a baunilha.  Mexa muito bem até que esteja bem misturado.
Acrescente o trigo e misture até que o trigo seja incorporado na massa.

Coloque na forma já preparada metade da massa, coloque os quadradinhos de chocolate bem espalhados e depois despeje o resto da massa. Leve ao forno por aproximadamente 40 minutos até que os lados do Brownie estejam soltando da forma mas o centro ainda pareça mais mole. Espere esfriar completamente antes de cortar em quadrados.

DSC08183

(recheando o brownie…)

“Mangamole”

25 fev

DSC08189

As mangas estão à toda, lindas, cheirosas e nos convidando a provar todo seu sabor.  O difícil é resistir a fazer sempre as mesmas receitas…então estamos deixando a imaginação nos levar a outro patamar…

A Moqueca de Manga foi um sucesso e já nos conquistou. Torta de manga, Lassi de manga…delícia. Outro dia minha mãe resolveu dar um twist no guacamole e fez com manga ao invés do abacate. Ela me contou e fui procurar na internet. Já havia alguns posts com a receita e ficamos impressionados com a capacidade das pessoas em inventar e modificar sabores de acordo com as necessidades e com o que têm em mãos. Ela não sabia que já existia e fez algo maravilhoso! 

Foi o aperitivo do almoço de ontem… “Mangamole” com tortilla chips! Aconselho a experimentarem, é viciante!!! Quase não almocei de tanto que gostei !

“Mangamole”

4 mangas “de vez” (nem maduras nem verdes” médias, sem cascas e caroços

1 cebola média

1 pimenta dedo de moça sem sementes

coentro (um punhado)

sal

um fio de azeite extravirgem

Coloque tudo no processador de alimentos e pulse algumas vezes. Não é para virar purê, então deixe um pouco pedaçuda. Corrija o sal e sirva.

Pode ser antepasto se servido com tortilla chips. Sobre um salmão grelhado vira complemento do prato principal! Também sobre peito de frango grelhado…delícia!!!

DSC08185

Pasta de pimenta vermelha–Ribb al-harr

15 fev

DSC08159

Não pude deixar de me lembrar dessa receita assim que li o post apimentado no Diga Maria. A Maria postou uma receita perfeita para amantes de pimenta e explica um pouco mais sobre o porque da ardência na boca…Deu vontade…

Aprendi a gostar e apreciar as pimentas…começou ainda adolescente, quando morei na fronteira do México e Estados Unidos…e foi aumentando…ainda sou tímida, vou experimentando devagar , mas confesso que o ardor anestesia a boca e dá uma sensação muito boa… uma experiência gastrosensual…

A ardência das ditas cujas pode ser medida por uma escala desenvolvida por um químico, Scoville. Quer saber mais, leia no blog Edu Explica.

Escala de Scoville

fonte: Edu Explica

Meu pai pediu-me para comprar para minha mãe o livro Man oushé – Inside the street corner Lebanese Bakery, da super simpática Barbara Massad. Libanesa de nascimento ela morou nos Estados Unidos e depois voltou já adulta ao Líbano. A culinária estava na veia, seus pais tinham um restaurante na Flórida e ao voltar para seu país natal tentou ganhar a vida de outras maneiras mas acabou se rendendo a gastronomia. Atualmente é fotógrafa na área de alimentação e escritora de livros de culinária. Saiba mais aqui.

Antes de concluir a compra já estava apaixonada pelo livro…e quando chegou pedi emprestado para namorar…o livro…as fotos… Que qualidade de imagens e quantas histórias maravilhosas. Vale a pena!

Fizemos um jantar típico libanês, que fica para outro post, já que é mais longo…mas essa pasta de pimenta nos conquistou! Uma delícia aos olhos e ao paladar! Não é muito forte, pode ser comida sobre uma bruschetta ou um filé de frango ou carne bovina…ou até acompanhando um cozido…vale tudo!

E as pimenteiras da horta da minha mãe estão sorrindo à toa…carregadas e nos convidando a uma degustação. Vai rolar mais essa semana…e eu dou a maior força…!

DSC08163

Ribb al-harr  – pasta de pimenta vermelha

1 kg pimenta vermelha bem picante (4 xíc)

1 kg pimenta vermelha doce (4 xíc)

2 colheres de sopa de sal

120 ml de azeite

1. Lave as pimentas em água fria. Seque bem. Use luvas para abrir as
pimentas no sentido do comprimento e retire todas as sementes e
membranas.
2. Passe-as pelo processador, junte o sal, mexa bem. Deixe-as por 2
horas num escorredor.
3.Numa panela com pouco azeite cozinhe as pimentas em fogo leve por cerca de 15 min. até ficarem tenras. Deixe esfriar.
4.Coloque num vidro esterilizado e junte o azeite, cobrindo bem a pasta.
5. Para conservar cozinhe os vidros em panela com água por 15 min.

A dona da receita faz sua remessa no final do verão para durar todo o ano. Após aberto deixe na geladeira.

Obs: a receita é suave. Quem preferir pode aumentar a quantidade de
pimenta picante. É importante manter sempre muito azeite sobre a pasta para conservar, senão mofa.

Minha mãe fez menos quantidade, pode ser feita uma proporção para as pimentas que obtiver. O resultado é tão bom que foi possível até passar no pão!!

Fonte: Barbara Abdeni Massaad – Man oushé – Inside the street corner Lebanese Bakery

1-DSC08080

Maionese caseira feita no vidro que vai à mesa

8 fev

DSC07140

Eu sei, o nome desse post ficou meio esquisito, mas é justamente o que a receita/dica é. Simples assim.  Para ajudar a otimizar seu tempo, principalmente num feriado…. e te alimentar melhor, já que não tem conservantes!

Adorei a dica, já fiz várias vezes, passei a receita para frente e quem fez também adorou. Então, bora dividir.  Só que não me lembro onde li…sei que foi na rede, mas em qual site ou blog…infelizmente não anotei a fonte…

Sempre fui fã de maioneses caseiras, especialmente as temperadas. O legal é que dá para fazer ao gosto do freguês, com pimenta, alho, açafrão, salsinha, curry, limão, mostarda, cebolas, escolha seu sabor favorito e mande bala! E como a quantidade é controlável, faça um pouco e não se estragará.

Apesar de muitos chiarem, essa receita usa ovo cru. Felizmente tenho acesso a ovos caipiras super frescos, então faço tranquila. Se você não quer correr o risco use outra receita com ovos cozidos, ok?

Maionese no vidro

1 ovo cru (usei caipira)

sal

mostarda escura

alho amassado

óleo

azeite (o melhor que tiver)

Num vidro grande de boca larga coloque o ovo inteiro, um pouco de sal, um pouco de mostarda (uma colher chá), meio dente de alho amassado e com o mixer ligado vá despejando um fio de óleo dentro do vidro até começar a tomar consistência de maionese. Desligue o mixer, experimente, veja se a quantidade de sal está boa, coloque um pouquinho de azeite (uma colher chá ou mais) e ligue novamente o mixer. A quantidade de maionese será definida por você, mais ou menos óleo. E também se quiser usar mais mostarda, suco de limão…

Eu costumo fazer assim em casa. Mas já fiz com salsinha picada, com manjericão, com raiz forte….

O azeite é para aromatizar, não use somente azeite ou a maionese ficará forte e pesada. E o óleo sempre de girassol ou milho. São mais saudáveis.

Esse dia em que tirei a foto usei num salpicão. Ficou uma delícia! Sempre faço com alguma antecedência e deixo na geladeira para gelar e pegar gosto! Melhor é fazer uma quantidade menor e usar no mesmo dia.

Bom apetite!

Moqueca de manga

4 fev

DSC08065

Ontem almoçamos essa delícia, uma receita que aproveita o que está na estação, suculentas, perfumadas e lindas mangas! Hummmm! Marido disse ser moqueca de “peixe-manga”. Os temperos deixam um gostinho de moqueca mesmo, não fica doce como sobremesa ou algo do gênero.

Usamos mangas orgânicas, tente conseguir da roça ou de um vizinho…são melhores, senão use as compradas no supermercado mesmo…

Melhor de tudo, receita leve, vegetariana e barata!

Adorei e acho que é a época certa para postar aqui, já que as mangas estão lindas e super saborosas! Aproveitem e façam, não vão se arrepender!

A receita é antiga, copiada pela minha mãe de um programa gringo na TV paga…ela não lembra e não anotou a fonte, disse que era um programa de uma indiana que havia sido educada no Ocidente.

DSC08063

Moqueca de Manga

(serve 4 pessoas)

1 cebola média em cubinhos

1 lata de tomate pelati ou 6 tomates maduros (sem pele e sementes)

um punhado de cebolinha picada

um punhado de salsinha picada

3/4 de uma pimenta dedo-de-moça picada e sem sementes

sal à gosto

1/2 colher (café) de açafrão

1/2 colher (café) de curry

1 colher (café) de coentro seco (torrado e moído)

um punhado de coentro fresco picado

suco de 1 limão

azeite

8 mangas grandes (10 médias) maduras cortadas em fatias grossas

2 garrafinhas de leite de coco

Numa penela para moqueca ou uma panela grossa, faça um refogado com azeite, tomates, pimenta. Deixe pegar gosto e cozinhar um pouco os tomates. Adicione os condimentos.  Junte o leite de coco e suco de limão. Acerte o sal. No final coloque as fatias de manga e deixe apurar uns 5 minutos. A manga não deve cozinhar muito, deve ficar firme. Sirva quente com arroz branco.


DSC08069

Baked onion dip love

1 fev

DSC07885

Esta receita maravilhosa estava separada para testar desde que vi no Cinara´s Place, em 2008. Não consigo entender a demora…foi amor à primeira torrada! O sabor das cebolas assadas com cream cheese é de outro mundo, o perfume do prato enquanto assa vai dando água na boca e antecipando a delícia que virá à mesa…

Cinara, minha amiga, nunca me decepcionei com nenhuma receita sua, essa é nota 1000! Obrigada! Também sou “cebolófila”, como você!

Fácil e rápida, a receita encanta a todos, difícil se controlar para não abusar do antepasto e virar prato principal! Servi no almoço de Ano Novo e deixei um dos potes sem assar para minha mãe, para que fizesse no dia seguinte. Ela inovou e fez como recheio de empadinhas sem tampa! Divino do mesmo jeito! Trust me!

Dei uma leve adapatada na receita para meu gosto. Curioso(a)? Vá ao Cinara´s Place para ver como a Cinara fez ou no site de origem da receita.

Baked Onion Dip

226g de cream cheese (temperatura ambiente)

1 xícara de maionese (usei light como a Cinara)

1/2 xícara de queijo Provolone ralado

1/2 xícara de queijo Parmesão ralado

1 xícara de cebolas picadas

1 pitadinha de sal rosa do Himalaia (ou sal comum)

1. Pré-aqueça o forno a 180° C.  Rale as cebolas no ralo do processador de alimentos. Reserve. Troque o ralador pelo picador de alimentos do processador e coloque o cream cheese (em temperatura ambiente) no processador.

2. Adicione a maionese, os queijos, a cebolas ralada e o sal.

3. Coloque a mistura em um forma refratária ou em forminhas individuais. Deixe assar de 30 a 45 minutos. A crosta do patê deve estar bem dourada.

4. Desligue o forno, sirva seu vinho, champanhe ou cerveja e aprecie a maravilha numa torrada, ciabatta ou pão italiano!

DSC07884

                                                     xxxxxxxxxxxx

Segue a receita das empadinhas sem tampa, essa receita é do caderno da minha mãe, ela faz desde que somos crianças e também é sucesso garantido! Serve duas pessoas. A receita pode ser dobrada, triplicada…

Empadinha sem tampa

3 1/2 colheres (sopa) de trigo

1/2 colher (sopa) de manteiga

1/2 colher (sopa) de banha (* ou uma só de manteiga)

1 gema

1 colher (café) rasa de sal

  1. Misture bem os ingredientes.
  2. Forre forminhas de empada untadas com manteiga.
  3. Recheie e leve ao forno médio até dourar.