Arquivo | agosto, 2010

Basil Bread from Corsica / Pão de manjericão da Córsega

31 ago

051

English recipe here

Ganhei esse lindo buquê de manjericão de uma amiga querida! Ela mora numa casa com um pequena horta e sempre que poda o pé dessa cheirosa planta lembra de dividir com os amantes do tempero. Já é a segunda ou a terceira vez que ela me presenteia! E desta vez o buquê era tão grande que tive que terceirizar e dar uma parte para outra amiga, pois não daria conta de usar tudo antes que ele murchasse.

Fiz pesto para uma noite de massa, ficou divino, pena que esqueci de fotografar! Fiz pizza com massa de manjericão, fiz salada com as folhinhas, nossa, até tempero da Nonna eu fiz para aproveitar essa maravilha. Mas queria fazer algo diferente, e por que não um pão?

Achei esta receita de um chef da Córsega, Philipp le Bail, e a foto estava tão linda que me rendi e fui fazer.  O pão ficou uma delícia, o sabor não é muito forte, o que não atrapalhou no café da manhã ao comê-lo com geléia. Até o meu pequeno que adora um pãozinho ficou apaixonado pela receita, levou de lanche para a escola e adorou! Os pães da foto do site ficaram mais verdinhos pois foram pincelados com o purê de manjericão antes de irem ao forno, os meus só continham o tempero na massa. É uma receita que vai muito bem num fondue de queijos ou numa noite de queijos e vinhos. Vai aparecer em casa novamente! Fiz meia receita para experimentar e rendeu bem, uns 20 pãezinhos.

A Córsega é uma ilha situada no mediterrâneo e pertence à França. Em toda a área do mediterrâneo o manjericão é presença constante na mesa, e fico pensando que outras delícias diferentes são feitas com esse tempero! Leia mais sobre a Córsega aqui.

053 

A receita está aqui em inglês, e segue a tradução (livre…):

Pão de manjericão (já é meia receita)

Dica do chef

O segredo para que o pão cresça antes de assar é colocar uma tigela com água para formar humidade.  Esse método tenta replicar as condições de um local próprio para fermentação da massa e protege a mesma contra correntes de vento e mudanças de temperatura.

Ingredientes

-1 kg farinha de trigo

– 30g fermento fresco

– 2 1/4 xícara de água morna (a 26ºC)

– 1  1/2 colher (sopa) de sal

– 125 g purê de manjericão

Para o purê bata no liquidificador:

– 150g folhas de manjericão

-100g azeite de oliva

 

  • Numa tigela grande misture o trigo, fermento e a água morna.  Mexa bem e junte o sal e o purê ao final.  A massa deve ser sovada numa superfície enfarinhada por 20 minutos para chegar ao ponto.
  • Deixe a massa crescer por 30 mintuos.  Abaixe com as mãos e forme bolinhas.  Salpique trigo.
  • Deixe crescer novamente em forma untada com manteiga por aproximadamente 1h, coberto com um pano de prato para que não resseque a casca, ou proceda como indicado na dica do chef.
  • Antes de assar faça cortes na superfície dos pãezinhos com um estilete ou lâmina.
  • Leve ao forno pré-aquecido a 220° C. Reduza a temperatura para 190° C e jogue um pouco de água na base do forno para criar vapor. Asse até que esteja dourado e até que esteja dourado e e ao bater no fundo dos pães saia um som oco.  Deixe esfriar numa grade.

Red wine walnut tin loaf ou Pão de vinho e nozes

25 ago

062

Please scroll down for English

O tema do Bread Baking Day #33 é “Breads with Booze”, isto é, pães que contenham algum tipo de bebida na sua confecção. Já escrevi muito sobre o BBD e como gosto de participar. O último dia é dia 01 de setembro e quase fiquei fora. Este mês é a Adriana do Baking Powders que é a host do evento.

Confesso que demorei a me decidir sobre a receita, já que para mim é novidade usar bebida no pão, a não ser a receita de pão com cerveja, que já experimentei.

Usei como base uma receita do Dan Lepard e fiz algumas adaptações.

Pão de vinho e nozes (adaptado do Dan Lepard)

200g farinha de trigo branca
100g farinha de centeio
1 colher (chá) de sal
30g de fermento fresco para pão
125ml de vinho tinto

75ml de água
50g de noz  pecan em pedaços grandes

100g de noz pecan picadas
2 colheres (sopa) de azeite

Misture as farinhas, sal e fermento numa tigela. Reserve.

No liquidificador bata o vinho, a água e 50g das nozes com o azeite. Junte essa mistura aos secos na tigela.

Acrescente as nozes picadas e misture até que fique uma massa meio grudente. Cubra e reserve por 10 minutos.

Unte com óleo a superfície de trabalho e suas mãos e trabalhe a massa por 10/15 segundos.  Coloque de volta na tigela e cubra novamente por 10 minutos.  Repita a sova de  10/15 segundos e deixe a massa descansar na tigela (coberta) por 45 minutos ou até que dobre de volume.

Unte uma forma de pão com manteiga e trigo e modele o pão com a emenda da massa para baixo.  Cubra e deixe crescer por mais uma hora.

Polvilhe um pouco de trigo e faça talhos na massa com um estilete ou gilete.  Asse em forno pré-aquecido por 40 minutos ou até que esteja dourado e e ao bater no fundo do pão saia um som oco.  Deixe esfriar numa grade.

Adorei o resultado. O sabor do vinho é muito leve e achei que vai muito bem com as pecans. Farei outras vezes!

xxxxxxxxxxxxxx

059

Bread Baking Day #33 theme is “Breads with Booze”. I have already posted about BBD and how I really enjoy to participate in this event.  The last day to submit your recipe to BBD #33 is september 1st.  Adriana from Baking Powders is hosting it this time.

I have to confess that it took me a while to decide on the recipe, since is news for me to use booze in bread. The only time I did use was on beer bread. But I wanted something new.

I used this Dan Lepard´s recipe as a base but made a few changes.

The result came out so beautiful and tasty! The flavor of the wine is very subtle and it goes really well with the pecans.  Nice choice! I´ll be baking it again.

Red wine walnut tin loaf (adapted from Dan Lepard´s)

200g white flour
100g rye
1 tsp fine sea salt
30g fresh bread yeast
125ml red wine plus water to make 200ml
50g whole walnuts, plus 100g coarsely chopped
2 tbsp olive oil

Lightly mix the flours, salt and yeast in a bowl. In a blender, whizz the wine/water mix, the whole walnuts and the oil until smooth, then pour into the flour. Add the chopped walnuts and stir briskly to make a soft, sticky dough. Cover and leave for 10 minutes.

Rub a spoonful of oil on the worksurface and a bit on your hands. Remove the dough and knead on the oiled surface for 10-15 seconds. Return to the bowl, cover again, and leave for another 10 minutes. Finally, repeat the light knead, put the dough back in the bowl and leave for 45 minutes, or until almost doubled in height.

Oil and flour a 1lb loaf tin. Lightly flour the worksurface and roll the dough to roughly 15cm x 20cm. Now roll it tightly from the narrow end into a tight sausage, then plonk this seam-side down into the tin. Press down firmly, cover, and leave for an hour until doubled again. Preheat the oven to 200C/400F/gas mark 6.

Lightly dust the top of the loaf with flour and make criss-cross cuts in it with a knife. Bake for 40 minutes until the loaf pulls away from the tin and is a good brown colour. Remove from the tin and leave to cool on a rack.

Alma em festa

25 ago

063

Ontem chegou pelo correio um pacote mandado pelo Edu, do DCPV, após a participação do Mangia no InterBlog que ele coordena.  Ele já havia me avisado que mandaria um kit DCPV e também que junto vinha um mimo especial. Se estava curiosa, eu???? Imaginem… roendo as unhas!

Marido chegou em casa com o pacote nas mãos e me disse:"Vê, acho que é do moço do blog…”. Corri a abrir e na mesma hora minha alma se encheu de alegria. Quanta delicadeza do Edu e da Dé enviarem um presente assim. Um não, vários: um livro maravilhoso (A Cozinheira e o Guloso, conversas de comer e receitas de fazer), um bilhete muito carinhoso, um CD com as fotos da noite gastronômica e um pacote de lavandas provençais próprias para a cozinha.

Confesso que estava meio tristinha com um acontecimento naquele dia…mas o pacote me deixou tão feliz e de alma lavada que fiquei alguns minutos com um sorriso enorme.

Ele precisava ter mandado algo? Não, mas eles são tão especiais e gentis que fizeram e eu amei! Vou ler o livro com muito carinho e procurar receitas especiais para usar a lavanda.

No mais digo a vocês que a blogosfera tem sorte de ter gente boa assim. E minha alma continua em festa. Obrigada mesmo!

Bolo de clementinas

23 ago

DSC00040

Mais um bolo que me conquistou! Primeiro por ser cítrico e depois por levar amêndoa, o que conferiu ao prato um sabor muito bom e acredito a textura mais úmida.

Essa época de frio me deixa muito feliz por encontrar disponíveis tangerinas, clementinas, ponkans, mexericas, uma infinidade de tipos de laranja que adoro!

Vi a receita no Tachos de Ensaio, o delicioso blog da Marizé, o qual já me inspirou outras vezes. Ela viu num programa da Nigella Lawson e testou. Ainda bem que o fez e que dividiu conosco sua opinião sobre a maravilha.

A foto não está muito boa…tirei como o celular…mas acreditem que o sabor é divino!

Bolo de Clementinas

4 Clementinas (usei mexericas médias)
250g de amêndoa moída
225g de açúcar
1 colher (chá) de fermento
6 ovos inteiros

Coloque as mexericas numa panela com bastante água, leve ao fogo e deixe ferver durante 2 horas e até que as laranjas fiquem macias. Retire do fogo, escorra e deixe esfriar.
Coloque as mexericas (tirei as sementes) no processador e faça um purê.  Junte a amêndoa, o açúcar, o fermento e os ovos inteiros.
Volte a ligar o processador até obter uma mistura homogênea.
Pré-aqueça o forno a 190ºC e forre o fundo de uma forma de anel com papel vegetal. Eu usei uma forma de buraco bem untada com manteiga e farinha.
Leve ao forno durante 45m a 1 hora, ou até que esteja dourado e passe no teste do palito.
Deixe esfriar dentro da forma e sobre uma grade, antes de desenformar.

Pãezinhos de batata e inhame com maionese

18 ago

ago10 037

Escolhi esta receita pois precisava de um pão que fosse rápido, que não precisasse  crescer muito tempo. E adorei o resultado, os pãezinhos ficaram macios, fofinhos e muito saborosos. E a maionese não deu gosto algum, acredito que somente cumpriu o papel de agregar gordura à massa.

São tantas as receitas de pães que quero testar, mas confesso que não sou muito organizada, e muitas vezes tenho que mudar de idéia pois a receita pede muito tempo de  crescimento, às vezes até descanso de um dia para outro…e aí não dá…como vamos ficar sem pão?

Esta receita adaptei quase nada de um livrinho da Claudia Cozinha especial Lanches. Outro achado do meu pai nos sebos da vida. Ainda não havia feito nada desse livro e agora me animei a partir do resultado desse pão.

Ah, esse pano de prato com borda de Patchwork ganhei da minha mãe, são vários paninhos e pegadores de panela que ela fez para as filhas! Amei, não é fofo?

Pãezinhos de batata e inhame com maionese

(rendeu 13 pãezinhos do tamanho de pães de hambúrguer, no livro fala que rende 30, mas na foto são bem pequenos)

* xícara medidora 240ml

2 batatas médias/grandes descascadas, cozidas e espremidas

1 inhame médio descascado, cozido e espremido

1 tablete de fermento biológico fresco (15g)

1 xícara de leite morno

1 colher (s0pa) de açúcar

1 xícara de maionese (usei light)

1 ovo inteiro

eggwash** para pincelar

5 xícaras de trigo (usei quase 6 para dar ponto)

sementes de alcarávia, papoula, gergerlim, linhaça para decorar

**uma gema dissolvida em um tantinho de água

Modo tradicional:

Aqueça o forno a 180ºC.
Numa tigela dissolva o fermento com o leite e o açúcar, use as costas de uma colher para ajudar.

Acrescente nessa mistura do fermento, a batata e o inhame espremidos, a maionese, o ovo e aos poucos a farinha de trigo. Misture bem, modele os pãezinhos, distribua-os em assadeiras levemente untadas com manteiga.

Deixe crescer por 20 minutos, pincele os pãezinhos com o eggwash e decore ao seu gosto com sementes se quiser. Usei semente de papoula e alcarávia em alguns, e nos outros ficou só o eggwash.

Leve ao forno por 30 minutos ou até que estejam dourados e ao bater no fundo do pão saia um som oco.

Deixe esfriar sobre uma grade.

Guarde em pote hermético.

MPF:

Coloquei na cuba untada com óleo: a mistura de fermento, batatas e inhame, o sal, ovo e a maionese. Fui colocando o trigo aos poucos.  Deixei sovar por 15 minutos e depois modelei os pães. Deixei crescer sobre tapetinhos de silicone nas formas e assei.

Cheesecake para o papai

16 ago

ago10 033

Sábado passado pedi ao marido que me disesse uma sobremesa para o dia dos pais. Ele pediu cheesecake.  Que delícia, há tempos não fazia e com uma geléia de framboesa presente da minha mãe ficou uma coisa maravilhosa!

Resolvi fazer a receita da cheesecake assada, apesar de que aqui em casa as duas receitas, no bake e assada, fazem sucesso. A cheesecake assada fica com um sabor mais presente, acho que a que não vai ao forno é mais suave, própria para o verão.

A receita foi adaptada de uma receita que já apareceu aqui no blog.

Baked Cheesecake

Base:

1 pacote de biscoito de maisena
100g de manteiga sem sal amolecida

Triture os biscoitos no processador ou liquidificador até formar uma fina farinha. Misture a manteiga derretida e processe por poucos segundos, só para misturar. Forre o fundo* e as laterais de uma forma (25cm) de fundo falso com essa mistura, alisando levemente com as costas de uma colher. Leve ao forno e asse por 15 minutos. Retire e deixe esfriar por pelo menos 5 minutos.

*muitos cheesecakes somente possuem a base de biscoito, mas na maioria das vezes que faço também cubro as laterais da forma.

Recheio:

450g de cream cheese

500 ml creme de leite fresco

6 colheres (sopa) de açúcar

3 ovos grandes (usei caipiras)

1 colher (chá) de baunilha

Bata na batedeira todos os ingredientes do recheio e cubra a massa de biscoitos já pré-assada e fria. Leve ao forno médio por uma hora ou até que esteja firme ao toque o centro do Cheesecake. Esfrie e leve à geladeira por três horas ou até a hora de servir.

Na hora de servir coloque geléia sobre a fatia e aproveite!

Eu usei uma geléia de framboesas e acho que combina perfeitamente!

Esse da foto eu fiz para servir para o marido, untei bastante uma forma de coração e achei que ficou uma graça!

O Mangia no IB do Da cachaça pro vinho

10 ago

Interblog Mangia che te fa bene menu

clique na imagem para ampliar

Preciso lhes contar da minha alegria na participação do Mangia no Interblogs que o Edu do Da cachaça pro vinho promoveu!

Além do jeito gostoso que o Edu escreve, o que nos aproximou virtualmente foi o amor pelos sorvetes.  Trocamos figurinhas e receitas. E daí para a participação no IB…

Há mais de um ano ele me convidou para sugerir um menu que espelhasse o gosto e a cara do Mangia che te fa bene e a minha.

Na semana passada ele e os confrades saborearam as receitas que mandei e foram lindamente executadas. E hoje ele postou as fotos e as sensações que os pratos causaram… e eu fiquei toda boba!

Obrigada pelo carinho, Edu e amigos! Vocês fizeram com que meu dia ficasse mais especial! E as flores francesas e mineiras perfumaram o ar, adorei!  E aquelas lavandas sobre a sobremesa???? Hummm!

Dêem uma olhada no post aqui. Eu amei e tenho certeza de que também gostarão! E as receitas estão lá…!

Vale a pena sempre passar pelo Da cachaça pro vinho, além do Interblogs que pinta por lá há as dicas maravilhosas de restaurantes e viagens. Corre!