Arquivo | março, 2010

Quase um “Sourdough French bread” na MPF

29 mar

mar10 048

English version

Mais um pão dentre as milhares de receitas para testar e amar…que difícil escolher uma…este me interessou no ato por ser tipo Sourdough e por ser feito na MPF.  Como eu não tinha muito tempo, não tinha fermento natural e ainda queria um pão de sabor mais forte ele foi a escolha certa.

A tradução literal para Sourdough é “massa azeda” e é obtida pela fermentação natural de farinha que contém uma cultura de Lactobacilos.  Daí o sabor e aroma fortes e intensos desse pão.  Ainda não fiz o fermento natural, aquele vivo, em que a gente tem que alimentar…mas se este feito na MPF é bom fico imaginando o original!

Esta receita é da Bread Baker Bible, uma verdadeira bíblia sobre pães. 

Easy Sourdough French Bread

(xícara medidora 200ml)

1 xícara de água 
2 1/2 colheres (sopa) de vinagre branco 
4 xícaras de trigo
2/3 xícaras de sour cream (usei Buttermilk*)
1 1/2 colher (sopa) de açúcar cristal
1 1/2 colheres (chá) de sal
2 1/2 colheres (chá) de fermento biológico seco (usei 1 tabletinho do fresco)

* Buttermilk: em 2/3 xícara de leite integral coloque uma colher bem cheia de vinagre ou limão para talhar e espere 5 minutos.

Meça os ingredientes cuidosamente e coloque na cuba untada da MPF na ordem acima.
Selecione o ciclo Básico/Pão Branco.  Use a seleção de crosta média ou clara.  Retire o pão após assado e espere esfriar numa grade.

Selecionei o ciclo Massa e após o término (1 1/2h) coloquei para crescer novamente numa forma grande de bolo inglês untada com manteiga (polvilhe um pouco de tirgo por cima e faça um talho na superfície do pão) por aproximadamente 45 minutos.  Levei para assar em forno pré-aquecido a 200ºC por 10minutos e depois deixei no médio até dourar e passar no teste da batida (bata com os nós dos dedos na parte de baixo do pão até que saia um som oco).

Deixe esfriar 5min na forma e depois desenforme.  Coloque o pão sobre uma grade até que esfrie completamente.

mar10 043

Anúncios

Bolo de Cenoura com cobertura de Chocolate no Desafio Culinário

25 mar

mar10 012

A Páscoa está chegando e outro dia fiz esse delicioso e simples bolo de cenoura com cobertura de chocolate…achei que os coelhos ficariam felizes em aparecer na foto com o bolo…! Peguei emprestado do meu pequeno, um ele ganhou há algum tempinho e o de trico é também um sachê lindo e perfumado feito pela Nana do Manga com Pimenta! Luxo total!

E de quebra participo da 2ª série de desafios culinários, que desta vez é o Alfabeto Culinário, proposto pelo blog Delícias e Talentos.  O desafio é fazer receitas que possuam pelo menos 3 ingredientes que comecem com a letra C.  Coloquei em vermelho os 4 da minha receita!

Bolo de cenoura com cobertura de chocolate

(xícara medidora 200ml)

2 cenouras grandes ou 3 médias

3/4 xícara de óleo de milho

2 xícaras de trigo

1 3/4 de açúcar

1 colher (sopa) de fermento em pó

3 ovos inteiros

Bata no liquidificador as cenouras, o óleo e os ovos.  Coloque essa mistura numa tigela e junte o trigo e o açúcar.  Mexa bem e por último acrescente o fermento.  Unte uma forma de buraco com manteiga e farinha.  Leve para assar em forno pré-aquecido.  Temperatura 180º C até dourar e passar no teste do palito. Espere esfriar e desenforme.

Cobertura

1 1/2 colheres (sopa) manteiga

4 colheres (sopa) de açúcar

3 a 4 colheres (sopa) de chocolate em pó

1/4 de tablete (100g) de chocolate meio amargo 60% cacau

7 colheres (sopa) de leite

2 colheres (sopa) de creme de leite

Numa panela misture a manteiga, chocolate em pó, o açúcar, o chocolate em pedacinhos e o leite até engrossar um pouco e começar a desgrudar da panela. Acrescente o creme de leite e dê ponto novamente. Cubra o bolo enquanto a cobertura estiver quente.

Gelado de maçã ácida com noz pecã e canela

23 mar

mar10 016

Fiquei pensando num nome diferente e mais atrativo para este gelado que surgiu na minha cozinha…rebuscado? Cheio de fru-fru? Em inglês? Resolvi que nenhum outro seria mais simples e brasileiro do que este: Gelado de maçã ácida com noz pecã e canela.

Esta receita nasceu da minha curiosidade de tomar sorvete de maçã aliada a várias maçãs cascudas trazidas pelos meus pais lá de São Joaquim.  São maçãs de quintal, nascidas em árvores muito antigas que estão se perdendo, já que não têm valor comercial e não há quem faça o plantio de novas mudas.  Achamos uma pena enorme que estas deliciosas maçãs ácidas se percam, são matéria prima para compotas, schimias, doces de corte e recheios de tortas.  Estas são de vizinhos dos meus pais e para consumo cru acho que são um pouco ácidas.  Há quem goste, como meu pai… 

mar10 032

Não achei material sobre as maçãs cascudas, mas há esta foto  lá no início do post para mostrar para vocês.  Ainda não testei com a maçã Granny Smith, aquela verdinha, mas como também é ácida creio que funcione tão bem quanto à cascuda.

A receita do Gelado de maçã ácida com noz pecã e canela:

(xícara medidora 200ml)

3 maçãs grandes ácidas (sem casca e sementes) picadas em cubinhos

3/4 xícara de água filtrada

1 xícara de açúcar mascavo

canela em pó (à gosto)

1 iogurte natural

1/2 lata de creme de leite

4 colheres (sopa) de açúcar cristal

1/2 xícara de noz pecã em pedacinhos

Numa panela coloque a água, o açúcar mascavo, um pouco de canela em pó e as maçãs em cubinhos.  Deixe cozinhar até que engrosse um pouco a calda e as maçãs estejam macias.  Reserve até esfriar. 

Bata no liquidificador a calda de maçãs com o iogurte, o creme de leite, o açúcar cristal e um pouco mais de canela em pó.  Leve à geladeira por 2 horas.

Coloque na sorveteira e um pouco antes de dar o ponto do sorvete coloque 1/2 xícara de noz pecã em pedacinhos.  Leve para o freezer em recipiente próprio para sorvete até servir. Você vai se surpreender com o sabor que tem esse sorvete, parece recheio de torta de maçã!

Dica do Mangia: como fazer quiabo sem baba

18 mar

mar10 026

Adoro quiabo, aprendi a comer ainda pequena, em casa sempre tinha legumes e verduras nas refeições e ele era presença constante.  Mas foi com a Augusta, uma ajudante da minha avó, que aprendi realmente a apreciar essa delícia:, refogadinho e sem nadinha de baba. 

Do alto de sua mineirice maravilhosa, a Augusta nos ensinou a preparar essa gostosura sequinha, e desde então em casa é assim que se faz, para puro deleite de todos… Detalhe, na última vez que minha irmã mais nova veio da França, onde mora, pediu para a primeira refeição na terrinha esse prato de quiabo da Augusta!

Assim que fazemos:

  • Lave os quiabos um a um e seque com um pano de prato.  Retire as pontas e cabos e corte bem fininho. Reserve.
  • Numa frigideira, de preferência antiaderente, coloque azeite e frite alho e cebola até dourarem.  Coloque então os quiabos em rodelas e deixe o fogo médio.
  • A dica de ouro é não mexer o quiabo com colher e sim usar uma frigideira com cabo e ir fazendo aquele movimento dos chefs: segure o cabo e mexa só a panela.  Se precisar coloque mais um pouco de azeite para não grudar. 
  • Vá mexendo a frigideira até que esteja dourado por igual e acrescente um pouco de sal e gotas de limão.  Pegue um garfo e experimente para ver se já está cozido.  Desligue e sirva. Fica divino!

Além de gostoso o quiabo é um fruto muito bom para saúde, veio da África com os escravos e ficou de vez!

É rico em vitaminas A e C e muito pouco calórico.  Possui fósforo, ferro e cálcio.

De fácil digestão é eficaz contra infecções dos intestinos, rins e bexigas.  Leia mais aqui e aqui.

Fonte: Sua pesquisa.com e Wikipédia

O que tem na minha cozinha: Microplane

16 mar

mar10 020

Quem já machucou os dedos tentando ralar uma cenoura, chocolate ou queijo num ralador ruim sabe o quanto é importante ter um bom acessório na cozinha. 

E algumas coisas têm que ser raladas fininho, não adianta colocar no processador, tipo casca de laranja ou limão…não dá certo…

Depois de ficar babando por um ralador Microplane e ler vários posts onde os (as) blogueiros (as) declaram seu amor por esse gadget de cozinha, pesquisei e me assustei…como é caro aqui no Brasil! Tá, eu sei, é importado…mas não precisavam exagerar, o negócio é caaaaaaaaaaro mesmo…lá nos EUA você acha por US$15,00 e o meu veio da Austrália (minha linda e querida prima trouxe!!!) por AUD$29,50 (cerca de R$47,00 hoje). Gente, vale muito a pena…se você comparar com os preços nas lojas brasileiras, que passeiam de R$100 – 180….Fala sério!

Dá para pedir para aquela amiga, prima, namorado ou marido que está fora do país passeando, vale muito a pena!

Esse ralador tem uma história curiosa, foi desenvolvido por uma empresa americana que fabrica peças para trabalhar madeira. Decidiram fazer peças pequenas para serem usadas por carpinteiros em casa ou pequenas oficinas e uma dona de casa angustiada com seu ralador de cozinha, que não funcionava, descobriu que a nova ferramenta do marido ralava super bem a casca da laranja para fazer um bolo! Pronto, estava descoberta a maravilha! De lá para cá a empresa desenvolveu vários tipos de raladores, que variam o tamanho dos furinhos para cada alimento a ser usado. Leia mais aqui.

Ah, só para lembrar, decidi dividir com vocês o que acho que vale a pena na cozinha, com o intuito meramente de compartilhar experiências…. não é propaganda e não ganho nada com isso, ok?

Na próxima viagem para fora ou quando souber que algum conhecido está de passagem marcada, aproveite para turbinar sua cozinha!

An apple a day keeps the doctor away

12 mar

mar10 003

Meu primeiro contato com a língua inglesa foi na escola e sempre fui apaixonada pelas aulas, talvez pela criatividade das minhas professoras que nos ensinavam através de jogos, músicas e afins.  Desde sempre tive facilidade em aprender outras línguas, falar mesmo, direito, não são tantas, mas me viro bem se precisar em alguns países….dá para não ficar com fome!

Essa frase “an apple a day keeps the doctor away” (algo como : “uma maçã por dia mantém o médico afastado de você”) além de ter uma sonoridade gostosa é uma verdade.  A maçã, de preferência orgânica por favor, além de linda e perfumada, traz inúmeros benefícios para os que a consomem.

Segundo o site Boa Forma:

“A maçã é composta por um conjunto de substâncias que previnem a formação de radicais livres.
Além de viver mais e com qualidade, as vantagens desta fruta são: reduz a chance da pessoa ter câncer de pulmão, mama, próstata, doenças cardiovasculares e até mesmo asma.
Isso tudo porque ela possui:
. quercitina, substância com alto poder antioxidante,
. vitaminas A, B1, B2, niacina, C
. sais minerais, especialmente, potássio, fósforo, magnésio, enxofre, cálcio, sódio, silício e ferro.
Ela ainda contém 85% de água e 63,20 calorias em cem gramas. O ideal é consumir uma por dia.
Acha que acabou? Pois, anote aí.
. A maçã é excelente para o cérebro, porque contém ácido fosfórico em forma facilmente digerível;
. contribui para um sono tranqüilo, impede a formação de cálculos, evita a indigestão, previne a infecção da garganta;
. depura o sangue, por conter ácido málico, limpa o trato vocal, boca, faringe e favorece uma voz com melhor ressonância.
Ela também é ótima para prevenir ou manter a taxa de colesterol em níveis aceitáveis, com a ingestão de uma maçã por dia.”

Mais informações sobre essa deliciosa fruta aqui e aqui.

mar10 002

Estas lindas maçãs vieram lá de São Joaquim, SC, onde meus pais moram, e são do tipo Gala, cuja colheita começa em fevereiro e vai até final de março.  Neste site há várias informações sobre o cultivo da maçã no município.  Vale a pena ir até lá para conhecer as maravilhas do lugar e experimentar as maçãs no pomar. O perfume é incrível!

Sorvete de flocos divino!

4 mar

mar10 004

Há tempos havia um pacotinho de favas de baunilha na minha despensa, presente da minha mana que mora na França.  Matutei muito e não conseguia me decidir em qual receita usar, já que eram especiais e queria que fosse algo muito bom.   Daí meu pequeno resolveu experimentar um sorvete de flocos (industrializado), ele que só toma de chocolate, e me pediu depois de gostar muito do novo sabor, que fizesse em casa.

Pedido feito por filho é ordem para mãe…e estava resolvido que a baunilha seria para fazer o sorvete do pequeno.  Afinal ele gostou tanto do sabor diferente, até que enfim algo sem ser chocolate, que me organizei e fui fazer o gelado.

A receita achei no blog Technicolor Kitchen, da Pat Scarpin, uma bíblia de delícias e fotos super gourmets.  As receitas dela são sucesso garantido e os elogios para este sorvete do David Lebovitz, outro super entendido no assunto, me empolgaram!

A receita é uma maravilha mesmo, servi como sobremesa num jantar de família e adoraram!!! O marido repetiu e só não tomou mais porque acabou…

Ah, meu pequeno…bem, ele achou o gosto muito diferente do sorvete de flocos que tinha tomado e disse que era forte…acho que como os ovos eram caipiras o sorvete ficou com um sabor muito intenso… Mas ainda faço outra receita mais light, do jeito americano (sem ovos) e tenho certeza de que ele vai gostar!

A receita como no blog da Pat com algumas observações em itálico minhas:

Sorvete de flocos
– xícara medidora de 240ml
1 xícara (240ml) de leite integral
¾ xícara (150g) de açúcar
2 xícaras (480ml) de creme de leite fresco, uso dividido (usei de lata mesmo)
1 fava de baunilha
6 gemas grandes (usei 5)
¾ colher (chá) de extrato de baunilha (não coloquei)
140g de chocolate amargo, com menos de 60% de cacau, bem picadinho (usei 70% e achei perfeito)

Misture o leite, o açúcar e 1 xícara (240ml) do creme de leite numa panela de fundo grosso com capacidade para 1-2 litros. Com a ponta de uma faca, abra a fava de baunilha, raspe as sementinhas e adicione-as à panela. Junte a fava também e leve a mistura ao fogo, mexendo para dissolver o açúcar, até começar a ferver. Retire do fogo, tampe e reserve por 30 minutos. (Deixei a infusão na geladeira a noite toda)
Reaqueça a mistura, mexendo, até ficar bem quente. Numa tigela média, bata as gemas com um fuê e em seguida acrescente metade do creme quente, em fio, misturando com o fuê continuadamente. Despeje a mistura de ovos na panela e volte-a ao fogo médio-baixo, mexendo sempre com uma colher de pau, até obter uma espécie de mingau – a temperatura do creme deve ser de 76 a 79ºC e ele deve cobrir as costas da colher de pau. Não deixe ferver.
Coe a mistura numa peneira fina direto para uma tigela de metal. Junte o extrato de baunilha e a xícara de creme de leite fresco restante, misture, e coloque também a fava de baunilha. Leve à geladeira sem cobrir até esfriar, cubra em seguida e refrigere por no mínimo 6 horas. Retire a fava de baunilha e leve a mistura à sua sorveteira, seguindo as instruções do fabricante.
Enquanto isso, derreta o chocolate em banho-maria, mexendo constantemente, e então o transfira para uma xícara medidora de vidro. Quando o sorvete terminar de gelar, despeje o chocolate em fio, diretamente para dentro da sorveteira e deixe a máquina funcionar por mais 30 segundos – o chocolate vai endurecer, formando os flocos. Transfira o sorvete para um pote hermético e deixe no freezer até firmar, pelo menos 4 horas.
Rend.: cerca de 950ml

Obs do Mangia: a parte de derramar o chocolate derretido me deixou um tanto nervosa…não é tão líquido assim e achei que o chocolate iria virar uma bolota…mas no final deu certo!